Johnson & Johnson é condenada a pagar US$ 572 milhões

Justiça do estado americano de Oklahoma disse que empresa contribuiu para epidemia de opioides ao promover de forma enganosa analgésicos altamente viciantes. Abuso destas substâncias já causou milhares de mortes nos EUA.

Em uma decisão histórica nos Estados Unidos, a multinacional americana Johnson & Johnson foi condenada nesta segunda-feira (26/08) a pagar 572 milhões de dólares por danos ao estado de Oklahoma por seu papel na crise dos opioides.

A decisão pode afetar os rumos de outros quase 2 mil processos apresentados contra fabricantes de opioides em várias jurisdições do país. O valor, no entanto, ficou abaixo das expectativas de alguns analistas, que imaginavam que a multa pudesse chegar a 2 bilhões de dólares.

O juiz Thad Balkman disse que os promotores demostraram que a J&J promoveu de forma enganosa o uso de analgésicos legais que são altamente viciantes.

“Essas ações comprometeram a saúde e a segurança de milhares de pessoas em Oklahoma”, disse o juiz.

Balkman afirmou que o laboratório Janssen, a divisão farmacêutica da J&J, adotou práticas de “propaganda enganosa na promoção de opioides”, o que levou a uma crise de dependência desses analgésicos, mortes por overdose e um aumento das síndromes de abstinência neonatal neste estado americano.

“A crise dos opioides devastou Oklahoma e deve ser contida imediatamente”, disse o juiz. Desde 2000, cerca de 6 mil pessoas no estado morreram de overdose de opioides, de acordo com os procuradores do Estado.

Os 572 milhões de dólares da multa imposta à empresa J&J deverão ser usados para enfrentar a epidemia pelos próximos 30 anos por meio de programas de tratamento e prevenção.

A Janssen distribui o adesivo Duragesic (Fentanil) e os comprimidos Nucynta (Tapentadol), que não são os opioides mais populares do país.

O Oxycontin (Oxicodona), um dos mais populares, pertence ao laboratório Purdue, que fez um acordo de 270 milhões de dólares com o estado de Oklahoma, em vez de enfrentar os tribunais.

Nesta segunda-feira, o novo Relatório Mundial sobre Drogas da Organização das Nações Unidas (ONU), apresentado em Viena, apontou a devastação causada pelos opioides.

Segundo a organização, a crise de opioides nos Estados Unidos e no Canadá pelo abuso de analgésicos sintéticos, como o Fentanil – 50 vezes mais potente do que a heroína -, voltou a chamar a atenção dos especialistas da ONU. Estima-se que 4% de todos os americanos adultos tenham consumido algum tipo de opioide, pelo menos uma vez, em 2017. Das 70.237 mortes por overdose registradas nos EUA nesse ano, 47.600 foram por causa do uso de opioides, 13% a mais do que em 2016.

“A overdose de droga na América do Norte realmente alcançou dimensões de epidemia“, ressaltou a chefe da Seção de Estatísticas e Pesquisas do UNODC e autora do relatório, a italiana Angela Me, que alertou que existem indícios de um aumento no consumo de Fentanil na Europa.

// DW

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Tratamento para tuberculose é recorde, mas 3 milhões não têm acesso

Em 2018, o número de pessoas que receberam tratamento para a tuberculose bateu um recorde histórico em grande parte devido a uma melhor detecção e diagnóstico da doença. Em todo o mundo, sete milhões de pessoas …

"Blob": o que é a misteriosa criatura com 720 sexos e sem cérebro

Ele não tem boca, estômago, olhos, tampouco pode detectar ou digerir alimentos. Também não tem braços ou pernas, mas consegue se locomover — e, em um único dia, dobrar de tamanho. É capaz de aprender e …

Planalto suspende indicação de Eduardo Bolsonaro para embaixada nos EUA

Desgaste político e crise entre clã Bolsonaro e PSL minam nomeação do filho do presidente, que dificilmente seria aprovada pelo Senado. Caso ocorre após batalha pela liderança da legenda na Câmara. O Palácio do Planalto decidiu …

EUA aplicam tarifas punitivas sobre produtos da UE

Após aval da OMC, entram em vigor aumentos tarifários de 10% e 25%, afetando 7,5 bilhões de dólares em produtos do bloco europeu. Bruxelas poderá retaliar com sanções. As autoridades de comércio dos Estados Unidos confirmaram …

Polícia libera filho do chefe do narcotráfico El Chapo depois de emboscada

Alvos de uma violenta represália dos narcotraficantes, os policiais mexicanos foram obrigados a soltar Ovidio Guzmán López, um dos filhos do célebre El Chapo, do cartel de Sinaloa, pouco depois de prendê-lo, nesta quinta-feira (17) …

Pesquisa identifica quais as preferências musicais em cada região do Brasil

Ainda que a cultura brasileira tenha o hábito de importar, no bom e no mal sentido, tudo que pode de países estrangeiros – em especial dos EUA e alguns países da Europa – na hora …

Estudo descobre que humanos têm capacidade de regeneração como a salamandra

Infelizmente, seres humanos não podem se dar ao luxo de perder nenhum pedacinho do corpo, porque todos são insubstituíveis. Ou talvez não. Um estudo da Universidade Duke (EUA) descobriu que somos muito melhores em regenerar cartilagem …

Polícia da Holanda encontra família que diz ter passado 9 anos fechada em quarto secreto ‘esperando o fim do mundo’

Uma família de seis pessoas que passou nove anos em uma fazenda "esperando o fim do mundo" foi descoberta pela polícia na Holanda, depois que um deles apareceu em um bar da região de Ruinerworld. Um …

Ter um cachorro pode te ajudar a viver mais, aponta estudo

Nos últimos anos diversas pesquisas apontaram as vantagens de se ter um cachorro em casa. Nossos fiéis amigos de quatro patas são muito mais do que companheiros, mas podem nos ajudar a viver mais. É …

Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência

Em um artigo publicado na terça-feira (15) na revista Scientific American, Gilbert Levin, um ex-engenheiro da NASA que trabalhou nas missões Viking, faz uma afirmação polêmica: a de que, desde a década de 1970, a …