Kim Jong-un dá mais poderes a irmã mais nova

(dv) KCNA

Kim Jong-un inspecciona uma empresa de defesa na província de Kangwon. À esquerda, a irmã mais nova, Kim Yo-jong

A irmã mais nova do líder norte-coreano, Kim Yo-jong, foi eleita membro suplente do politburo do Partido dos Trabalhadores da Coreia, informou a Agência Telegráfica Central da Coreia (KCNA).

Em um discurso ao Comitê Central do Partido dos Trabalhadores da Coreia do Norte no sábado (08/10), o ditador Kim Jong-un soltou mais uma de suas rotineiras ameaças aos EUA e anunciou mudanças na estrutura de comando do país.

O líder norte-coreano deixou mais uma vez claro que a família Kim é quem manda na Coreia do Norte. O ditador determinou que sua irmã caçula, Kim Yo-jong, vai substituir Kim Kyong Hee, tia de ambos, como membro permanente do Politburo.

Kyong Hee foi uma figura influente do governo do pai de Jong-un, Kim Jong-il, que governou a Coreia do Norte até 2011. A família Kim comanda o país desde 1948.

Kim Yo-jong, 30 anos, estudou em uma escola suíça, tal como seu irmão, Kim Jong-un. Em 2014, ela foi eleita para o Parlamento da Coreia do Norte e em maio de 2016 entrou para o Comitê Central do partido no poder.

“Isso mostra que o status de Yo-jong é muito mais substanticial do que se acreditava anteriormente e é uma consolidação adicional do poder da família Kim Jon-un”, diz Michael Madden, especialista em Coreia do Norte na Universidade John Hopkins, citado pelo jornal britânico The Guardian.

Pouco se sabe sobre a irmã do atual ditador. Recentemente ela foi incluída em uma lista de figuras do regime alvo de sanções internacionais por suspeita de ter cometido “graves abusos contra os direitos humanos”.

Ela é vista frequentemente com o irmão e já foi apontada como detentora da posição de vice-diretora do departamento de propaganda do país e responsável por cuidar da imagem pública do ditador.

Segundo Michael Madden, Kim Yo-jong é uma das “confidentes mais próximas” do ditador norte-coreano, mas dada a natureza patriarcal da cultura política da Coreia do Norte, ela não nunca foi considerada como potencial sucessora”.

Em 2014, Kim Jong-un sumiu por semanas, supostamente por causa de problemas de saúde, e a imprensa ocidental especulou se Yo-jong poderia assumir o governo. No período, ela teria assumido algumas das funções do ditador.

“Como uma das assessoras próximas de seu irmão, ela empreendeu tarefas administrativas adicionais – recebendo relatórios, informando Jong-un, encaminhando suas instruções, convocando altos funcionários”, explicou Madden.

A ascensão de Kim Yo-jong  a membro suplente do politburo ocorreu na reunião plenária do comitê central que teve lugar em Pyongyang em 7 de outubro, nas vésperas do aniversário do Partido dos Trabalhadores da Coreia, no dia 10 de outubro.

Durante a sessão plenária, Choe Ryong-hae, de 67 anos, vice-presidente do partido e um dos assistentes mais próximos do atual líder, foi eleito membro da poderosa Comissão Militar Central.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

'Síndrome de Havana': lesão cerebral atinge ao menos 130 diplomatas e oficiais americanos, dizem EUA

Diplomatas, agentes da CIA e oficiais de defesa dos EUA relataram sintomas graves da perturbação conhecida como "síndrome de Havana" nas últimas semanas. O elevado número de casos causa espanto. Nas últimas semanas, foram relatados mais …

RJ comunica 1º caso de raiva em cachorro em quase três décadas

Pela primeira vez desde 1995, o Laboratório Municipal de Saúde Pública (Lasp) do Rio de Janeiro diagnosticou um caso de raiva animal. A descoberta parte do resultado de perícia no corpo de um cão morto …

O que dizem cientistas sobre isenção de máscaras para vacinados nos EUA

Os Estados Unidos anunciaram nesta quinta-feira (13/05) o fim da obrigatoriedade do uso de máscaras de proteção na maioria das situações para pessoas que já foram completamente vacinadas contra a covid-19. Segundo a nova orientação do …

Putin: Rússia reagirá de maneira devida às ameaças perto de suas fronteiras

Durante reunião com membros do Conselho de Segurança da Rússia nesta sexta-feira (14), o presidente da Rússia pediu que lhe fosse reportado sobre o agravamento do conflito israelo-palestino, que toca diretamente os interesses de segurança …

Covid: 16 mil pessoas foram imunizadas com doses de vacina trocadas no Brasil

Um levantamento de dados da Folha de São Paulo com informações do DataSUS, base de dados do Ministério da Saúde, mostrou que pelo menos 16 mil pessoas receberam doses de vacinas diferentes em seu processo …

Covid-19: diretor do Butantan prevê vacinação lenta até setembro no Brasil

Como diretor do Instituto Butantan desde 2017, Dimas Covas sempre precisou aliar o conhecimento técnico e científico com as particularidades do mundo político que, na visão dele, não parecem seguir uma lógica. E essa necessidade se …

Escalada de violência entre israelitas e palestinianos já fez mais de 100 mortos

O conflito entre israelitas e palestinianos subiu de tom na madrugada de hoje, com o Exército israelita a bombardear a faixa de Gaza. Desde segunda-feira já morreram 119 palestinianos nestes ataques, entre eles 31 …

Maduro diz estar disposto a negociar com oposição

Declaração é feita após líder oposicionista Juan Guaidó propor diálogo mediado por comunidade internacional. Noruega já estaria em contato com regime e oposição. O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, afirmou nesta quarta-feira (12/05) que está disposto …

CPI da Covid ouve Pfizer para entender como Brasil foi para o 'fim da fila' das vacinas

O depoimento do comando da farmacêutica Pfizer na sessão desta quinta-feira (13/5) da CPI da Covid tem o objetivo de esclarecer as circunstâncias da recusa do governo Bolsonaro à compra de vacinas da empresa, ainda …

Google é multado pela Itália em mais de € 100 milhões

A Autoridade Garantidora da Concorrência e do Mercado da Itália multou a Google por abuso de posição dominante no mercado, acusando-a de restrições do aplicativo Enel X no sistema Android Auto. A Autoridade Garantidora da Concorrência …