Kim Jong-un teria ordenado execução do irmão

Uma morte misteriosa em plena luz do dia, em um aeroporto movimentado. Foi desta forma, com suspeitos desconhecidos e diversas versões para um suposto envenenamento, que Kim Jong-nam, meio-irmão exilado do ditador norte-coreano, Kim Jong-un, foi assassinado, na segunda-feira, em Kuala Lumpur.

Pouco antes de morrer, Kim Jong-nam, que já havia criticado o regime do irmão, teria dito que fora atacado por duas mulheres enquanto esperava um voo para Macau, onde estava radicado desde a década passada.

Sua morte, porém, está envolta numa aura de mistério com diversas versões — o que fez a Coreia do Sul decidir realizar na quarta-feira uma reunião do Conselho de Segurança Nacional.

A rede de TV YTN, citando fontes do governo malaio, diz que Kim Jong-Nam teria sido atingido com uma agulha envenenada. No entanto, a agência de notícias Bernama cita policiais que alegam que uma mulher cobriu o rosto de Kim Jong-nam com um pano embebido num líquido que fez seus olhos queimarem.

Já o diário malaio “Star” cita um policial, Fadzil Ahmat, segundo o qual o irmão do líder da Coreia do Norte disse ter sido agarrado por trás por uma mulher que derramara um líquido sobre seu rosto. Um outro relato fala ainda num ataque com spray. A polícia malaia não se manifestou oficialmente.

Embora não tenha apresentado qualquer evidência que sustente sua tese, o deputado sul-coreano Kim Young-woo acredita que o líder norte-coreano Kim Jong-un esteja por trás do assassinato.

“Não se remove alguém que está há tanto tempo longe de seu país natal, sem fazer nada de importante, de uma hora para outra”, afirmou Kim Young-woo”. “Há indícios de que Kim Jong-nam tinha seguidores, e que seu irmão se sentia inseguro com sua popularidade”.

Fontes americanas também indicaram à Reuters, sob anonimato, a crença de que o líder norte-coreano Kim Jong-un seja culpado do assassinato.

Nascido em 1971, Kim Jong-nam era filho da atriz Song Hye-rim, forçada a abandonar o marido para viver com o então ditador norte-coreano, Kim Jong-il. Por esse motivo, de acordo com Cheong Seoeng-chang, analista de lideranças norte-coreanas do Instituto Sejong, na Coreia do Sul, ele era considerado um filho ilegítimo, e cresceu isolado.

Embora tenha sido matriculado numa escola de Genebra em 1980, sua avó o levou de volta a Pyongyang no fim da adolescência, já que o jovem desenvolvera sinais de alcoolismo, diz Cheong.

No fim da década de 1990, o filho mais velho do ditador norte-coreano passou a trabalhar no Ministério de Segurança Pública. Kim Jong-nam, no entanto, caiu em desgraça anos mais tarde, depois de ser detido, ao lado do filho, tentando entrar no Japão com um passaporte falso da República Dominicana.

Embora tenha afirmado que queria apenas conhecer a versão japonesa da Disneylândia, em Tóquio, Kim Jong-nam foi deportado para a capital norte-coreana, e o incidente, somado ao exílio de sua mãe, que fugiu para a Rússia e morreu no ano seguinte, fez com que seu pai se afastasse dele e nomeasse sucessor seu irmão mais novo, Kim Jong-un.

Após o incidente, Kim Jong-nam se radicou em Macau, onde ganhou notoriedade por jogar intensamente nos cassinos locais e pela constante embriaguez.

Rumores que indicavam uma transferência planejada para lavar dinheiro do regime norte-coreano em bancos e cassinos levaram a instituição financeira Delta Asia a cortar todos os laços com a Coreia do Norte em 2007, depois de o Tesouro americano acusá-la de agir em conluio com Pyongyang.

Em entrevista de 2010 à rede de TV japonesa Asahi, Kim Jong-nam disse estar disposto a ajudar Kim Jong-un quando ele “precisasse de apoio do exterior”, deixando claro o desinteresse em se tornar o próximo líder da Coreia do Norte.

Porém, em outra entrevista ao diário “Tokyo Shimbun”, Kim Jong-nam afirmou que a educação ocidental o levou a questionar o regime, fazendo com que passasse a ser visto com desconfiança.

Ao contrário de diversos membros da família, Kim Jong-nam não tinha título oficial nem qualquer participação no governo norte-coreano. Com a chegada de Kim Jong-un ao poder, ele voltou a criticar a transferência hereditária de poder no país, e descreveu o regime como “uma piada para o mundo”.

Na Coreia do Norte, execuções de parentes do Querido Líder — que assumiu o título do pai — não são novidade.

O Instituto de Segurança Nacional da Coreia do Sul afirma que Kim Jong-un mandou executar 340 pessoas desde que chegou ao poder em 2011, entre as quais o próprio tio, Jang Song-thaek, em 2013. Segundo o “Daily Mail”, um agente norte-coreano tentou assassinar Kim Jong-nam em Macau, em 2011, mas foi baleado por guarda-costas.

“Kim Jong-nam estava exilado há anos, mas continuava sendo o filho mais velho de Kim Jong-il”, afirmou Namkoong Young, da Universidade Hankuk, em Seul. “Caso houvesse algum plano da elite para remover Kim Jong-un, seu irmão deveria ser eliminado“.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …