Cientistas descobrem finalmente natureza da “doença jihadista” que afeta Síria e Iraque

Aquilo que alguns costumam chamar de “doença jihadista” começou de repente a afligir os territórios capturados pelo Daesh, causando decomposição e apodrecimento das suas vítimas, começando pelos seus rostos.

A Leishmaniose, que antes nunca tinha sido detectada na Síria e no Iraque, chegou a estes países ao mesmo tempo que o Daesh. A doença temível normalmente se alastra através de moscas que não são endêmicas para essa região.

Agora, quando a maioria dos territórios ocupados pelos terroristas foi libertada, os cientistas finalmente tiveram a chance de estudar os infetados para descobrir a origem do patógeno, o que é indispensável para criar uma vacina.

As moscas que transportam esta estirpe particular do vírus, Leishmania major, tinham vindo do Irã, um país hostil aos militantes do Daesh, indica uma pesquisa publicada a semana passada na revista Neglected Tropical Diseases da PLOS.

Os cientistas sugerem que originalmente estas moscas foram transferidas por hamsters iranianos para os novos territórios. Após chegarem à sua nova localização, as moscas prosperaram nos numerosos cadáveres dos oponentes aos terroristas, que eram frequentemente deixados nas ruas das cidades iraquianas e sírias para apodrecerem.

Segundo os cientistas, foram estas condições que permitiram a propagação desta estirpe, que alastrou de uma região em que era endêmica para uma região não endêmica, provocando uma crise de saúde pública.

D.S. Martin, CDC / Wikimedia

Úlcera cutânea causada pela Leishmaniose num adulto da América Central

A leishmaniose, uma doença causada por protozoários parasitas do gênero Leishmania e disseminada pela picada de certos tipos de moscas, causa uma necrose que se alastra por todo o corpo, às vezes se iniciando por dentro. A forma interna pode matar a vítima em 20-30 dias.

As infecções em seres humanos são causadas por mais de 20 espécies de Leishmania. Entre os fatores de risco estão a pobreza, desnutrição, desmatamento e urbanização. Atualmente há cerca de 12 milhões de pessoas estão infectadas em 98 países.

Os protótipos da primeira vacina apareceram em fevereiro de 2017, mas agora os cientistas têm uma chance de aperfeiçoá-los para combater com maior precisão a estirpe que devora a Síria e o Iraque.

No Brasil, um estudo de Lourena Costa, estudante do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), poderá permitir criar vacina que combate todos os tipos de leishmaniose.

No trabalho, Lourena Costa testou antígenos que podem ser usados no desenvolvimento de vacinas e métodos de diagnóstico para leishmaniose visceral, humana e canina. A ideia é que a vacina desenvolvida por Lourena seja testada já em 2018.

Ciberia // Sputnik News

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Fóssil quase completo revela segredos sobre leão marsupial que aterrorizou a Austrália

A recente descoberta do fóssil de um esqueleto quase completo de um leão marsupial extinto revelou alguns dos seus segredos. Segundo a equipe de cientistas, cujo estudo foi publicado no dia 12 de dezembro na revista …

Boris, um robô altamente avançado, era na verdade um homem disfarçado

Em um fórum dedicado à robótica, a estação televisiva Rússia 24 apresentou um robô humanoide altamente avançado. Mas Boris era apenas um disfarce. “O Boris já aprendeu a dançar e não é ruim nisso”, foi assim …

Senado dos EUA responsabiliza príncipe saudita pelo homicídio de Khashoggi

Os senadores norte-americanos aprovaram por unanimidade uma resolução que refere que o príncipe herdeiro é “responsável pelo homicídio”, solicitando ao governo da Arábia Saudita que “garanta a aplicação de medidas apropriadas”. O Senado dos Estados Unidos …

Desigualdade cria ambiente propício para extrema direita no Brasil, diz Dilma

Personificada no presidente eleito Jair Bolsonaro, a extrema direita estava latente no Brasil e aproveitou-se da desigualdade para pavimentar seu crescimento. A avaliação foi feita pela ex-presidente Dilma Rousseff, derrotada nas eleições de outubro ao …

Químicos usados em panelas e roupas tornam os pênis menores

Um novo estudo científico concluiu que a exposição a altos níveis de compostos perfluoroalquílicos, mais conhecidos por PFCs, atrofia o crescimento dos órgãos sexuais masculinos, tornando os pênis menores e afetando também a fertilidade dos …

Atriz pornô é condenada a pagar 293 mil dólares a Donald Trump

Stormy Daniels foi condenada a pagar 293 mil dólares a Donald Trump para cobrir os gastos do presidente dos EUA com a Justiça. A atriz pornô Stormy Daniels, cujo nome real é Stephanie Clifford, foi condenada …

McDonald's vai reduzir uso de antibióticos na produção da carne

A resistência aos antibióticos representa uma ameaça à saúde global e à segurança alimentar. Quanto mais antibióticos são dados ao gado, mais rapidamente as bactérias podem se adaptar e se tornar resistentes. Quando se trata de …

Uma tonelada de chocolate invadiu as ruas de uma cidade na Alemanha

Um “rio” de chocolate invadiu as ruas de Werl, na Alemanha, esta semana. Um tanque de uma fábrica local produtora de chocolate transbordou, derramando cerca de uma tonelada de chocolate nas ruas da cidade, se …

Sonda da NASA captou o som do vento em Marte

A sonda InSight da NASA pousou em Marte em 26 de novembro, tendo a missão de estudar o interior do Planeta Vermelho. Por enquanto, nos presenteou com o som do vento no nosso planeta vizinho. No …

Voyager 2 da NASA já entrou no espaço interestelar

Pela segunda vez na história, um objeto feito pelo homem alcançou o espaço entre as estrelas. A sonda Voyager 2 da NASA saiu da heliosfera – a bolha protetora de partículas e campos magnéticos criada …