Cientistas descobrem finalmente natureza da “doença jihadista” que afeta Síria e Iraque

Aquilo que alguns costumam chamar de “doença jihadista” começou de repente a afligir os territórios capturados pelo Daesh, causando decomposição e apodrecimento das suas vítimas, começando pelos seus rostos.

A Leishmaniose, que antes nunca tinha sido detectada na Síria e no Iraque, chegou a estes países ao mesmo tempo que o Daesh. A doença temível normalmente se alastra através de moscas que não são endêmicas para essa região.

Agora, quando a maioria dos territórios ocupados pelos terroristas foi libertada, os cientistas finalmente tiveram a chance de estudar os infetados para descobrir a origem do patógeno, o que é indispensável para criar uma vacina.

As moscas que transportam esta estirpe particular do vírus, Leishmania major, tinham vindo do Irã, um país hostil aos militantes do Daesh, indica uma pesquisa publicada a semana passada na revista Neglected Tropical Diseases da PLOS.

Os cientistas sugerem que originalmente estas moscas foram transferidas por hamsters iranianos para os novos territórios. Após chegarem à sua nova localização, as moscas prosperaram nos numerosos cadáveres dos oponentes aos terroristas, que eram frequentemente deixados nas ruas das cidades iraquianas e sírias para apodrecerem.

Segundo os cientistas, foram estas condições que permitiram a propagação desta estirpe, que alastrou de uma região em que era endêmica para uma região não endêmica, provocando uma crise de saúde pública.

D.S. Martin, CDC / Wikimedia

Úlcera cutânea causada pela Leishmaniose num adulto da América Central

A leishmaniose, uma doença causada por protozoários parasitas do gênero Leishmania e disseminada pela picada de certos tipos de moscas, causa uma necrose que se alastra por todo o corpo, às vezes se iniciando por dentro. A forma interna pode matar a vítima em 20-30 dias.

As infecções em seres humanos são causadas por mais de 20 espécies de Leishmania. Entre os fatores de risco estão a pobreza, desnutrição, desmatamento e urbanização. Atualmente há cerca de 12 milhões de pessoas estão infectadas em 98 países.

Os protótipos da primeira vacina apareceram em fevereiro de 2017, mas agora os cientistas têm uma chance de aperfeiçoá-los para combater com maior precisão a estirpe que devora a Síria e o Iraque.

No Brasil, um estudo de Lourena Costa, estudante do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), poderá permitir criar vacina que combate todos os tipos de leishmaniose.

No trabalho, Lourena Costa testou antígenos que podem ser usados no desenvolvimento de vacinas e métodos de diagnóstico para leishmaniose visceral, humana e canina. A ideia é que a vacina desenvolvida por Lourena seja testada já em 2018.

Ciberia // Sputnik News

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA:

Temer vai cortar R$ 1 bilhão do Fies para financiar segurança pública

O governo do presidente Michel Temer deve passar parte do investimento em educação à manutenção do Fundo Nacional da Segurança Pública (FNSP). A medida provisória que destina recursos das loterias federais para o fundo representa …

49 crianças brasileiras foram separadas dos pais e enviadas a abrigos nos EUA

Quarenta e nove crianças brasileiras estão em abrigos e foram separadas dos pais ao ingressarem ilegalmente nos Estados Unidos. A informação é do cônsul-geral adjunto do Brasil em Houston, Felipe Santarosa, que concedeu entrevista à …

Encontrado artefato de ouro que identifica o "Titanic" do século XIX

O navio a vapor Pulaski, conhecido como o “Titanic do seu tempo”, naufragou em 1838, após uma explosão. Afundou em menos de uma hora, levando consigo cerca de um terço da tripulação. Agora, um grupo …

Instituto é criado para "defender" os homens da Lei Maria da Penha

A cidade de Samambaia fica há cerca de 20 quilômetros da capital federal e está prestes a receber o Instituto do Homem. Criado por um advogado que se defende de acusações de agressão, o espaço …

Espanha vai acabar com pedágios nas rodovias

O fim dos contratos de concessão das rodovias espanholas (com duração de 50 anos) terá como resultado a extinção de pedágios em diversas vias até 2021. Em entrevista ao El Pais, José Luís Ábalos, ministro do …

Câmara aprova texto-base do projeto que autoriza a Petrobras a negociar direitos do pré-sal

O plenário da Câmara aprovou nesta quinta-feira (20), por 217 votos a 57 e 4 abstenções, o texto-base da proposta que permite à Petrobras transferir ou negociar até 70% dos campos da cessão onerosa do …

STJ restringe foro privilegiado de governadores

A Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu nesta quarta-feira (20) restringir sua competência para julgar casos relativos a governadores, desembargadores e outras autoridades, conforme previsto na Constituição. Com a decisão do tribunal, governadores …

Atentado com “bomba biológica” é impedido na Alemanha

A polícia judiciária alemã anunciou que a prisão, na semana passada, em Colonia, de um tunisiano impediu um atentado com uma “bomba biológica” com ricina, um veneno 6 mil vezes mais poderoso que o cianeto. “Houve, …

1 milhão de planetas habitáveis poderiam orbitar um buraco negro

De acordo com o astrofísico Sean Raymond, do Observatório de Bordéus, na França, um buraco negro supermaciço poderia, teoricamente, ter até 1 milhão de planetas potencialmente capazes de suportar vida orbitando suas proximidades.  Raymond calculou a …

Misterioso código 3D que os incas utilizavam para se comunicar é revelado

O Império Inca (1400-1532 dC) é uma das poucas civilizações antigas que falava em múltiplas dimensões. Em vez de palavras ou pictogramas, os incas utilizavam dispositivos de corda com nós, o quipo, para comunicarem complexas …