Lua está ‘enferrujada’ nos polos, descobrem cientistas

NASA

A face oculta da Lua: foto obtida em 1968 pela missão Apollo 8

O fenômeno era considerado pouco provável por causa da inexistência de oxigênio ou água líquida no satélite terrestre, pelo que os pesquisadores propuseram teorias sobre o caso.

A sonda espacial indiana Chandrayaan-1 detectou na Lua hematita, um mineral que é formado apenas na presença de oxigênio e água. Em um artigo publicado na revista Science Advances, os cientistas avançaram possíveis teorias para o aparecimento deste mineral semelhante a ferrugem na superfície do satélite da Terra.

Em 2008, o espectrômetro Moon Mineralogy Mapper (M3) a bordo da Chandrayaan-1 encontrou água na forma de gelo em suas regiões polares.

Após decifrar dados do mesmo instrumento, que foi projetado pela NASA, pesquisadores norte-americanos do Laboratório de Propulsão a Jato, EUA, observaram linhas espectrais correspondentes a hematita (Fe2O3).

A hematita é um produto de oxidação de rochas contendo ferro frequentemente encontrado na Terra, em Marte e em alguns asteroides, o que diminui a probabilidade de haver hematita na Lua devido à inexistência de oxigênio ou água líquida.

Além disso, a superfície da Lua está sujeita a constante bombardeio por partículas de vento solar, que contém hidrogênio, o redutor mais forte, enquanto a hematita requer um ambiente oxidante para se formar. A Terra é protegida do vento solar por um campo magnético, que o nosso satélite não possui.

“No início, eu não acreditei em nada nisso. Hematita […] não deve se formar na Lua”, diz Abigail Fraeman, uma das autoras do artigo, em um comunicado de imprensa do Laboratório de Propulsão a Jato. “Mas desde que descobrimos água na Lua, começamos a supor que pode haver uma maior variedade de minerais […] caso essa água tenha reagido com rochas lunares.” Os espectros do M3 mostram que os polos da Lua têm uma composição muito diferente do resto da Lua.

Como se teria formado?

Os autores descrevem um modelo que explica como a oxidação de ferro poderia ter se formado no satélite da Terra. De acordo com os pesquisadores, a fonte de oxigênio foi a atmosfera terrestre. Em 2007, a sonda japonesa Kaguya descobriu que o oxigênio da atmosfera superior da Terra pode alcançar a Lua, o que é consistente com os dados do M3, que indicam uma maior presença de hematita no lado próximo da Lua.

Além disso, como escrevem os autores no artigo, a Lua tem gradualmente se afastado da Terra ao longo do tempo. Há alguns bilhões de anos, quando os dois corpos celestes estavam mais próximos um do outro, chegava mais oxigênio à superfície lunar.

A magnetosfera da Terra, segundo os cientistas, também protege parcialmente do vento solar. Os cálculos mostram que em certos períodos orbitais da Lua o campo magnético da Terra bloqueia até 99% da radiação ionizante do Sol.

Em relação à água, os autores do estudo admitem que o gelo de água nos polos não explica o mistério da hematita, pois o óxido de ferro foi encontrado em áreas sem acumulo de gelo. Como resultado, eles sugerem que a origem seria a poeira cósmica que assenta na superfície da Lua. A poeira pode carregar moléculas de água, bem como liberá-las das rochas lunares durante o impacto. Além disso, o calor desses impactos aumenta a velocidade de oxidação.

Outra teoria

Segundo Yevgeny Slyuta, diretor do Laboratório de Geoquímica da Lua e Planetas do Instituto de Geoquímica e Química Analítica da Academia de Ciências da Rússia, disse à Sputnik, a ferrugem nos polos lunares poderia ter ocorrido devido à queda de meteoritos ferrosos e da ação sobre as partículas de ferro do hidrogênio solar e oxigênio da atmosfera superior da Terra.

“As nanofases do ferro no regolito lunar são formadas como resultado do impacto de meteoritos, fusão e termorredução devido à onda de choque”, o que seu instituto confirmou em um experimento, relata. “O ferro nanofásico começa então a oxidar gradualmente sob ação do hidrogênio e do oxigênio da Terra ao longo de milhões de anos.”

Além disso, conta, as moléculas de água surgem na superfície da Lua devido à queda de cometas, que podem conter até 15% de gelo, bem como por causa da interação do hidrogênio solar com o oxigênio trazido pelos meteoritos. Das moléculas de água, 90% decaem sob ação de fatores cósmicos, tais como a radiação ultravioleta, mas o resto das moléculas de água adere às partículas do solo lunar.

O resultado é um acúmulo gradual de água“, explica Slyuta.

Em relação ao oxigênio, ele chega à Lua soprado pelo vento solar da atmosfera superior da Terra, bem como em cometas e asteroides, o que acontece gradualmente ao longo de centenas de milhões de anos.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Calheiros anuncia nome das 14 pessoas que passaram de testemunhas a investigados na CPI da Covid

Segundo senador, é preciso mudar o "patamar" da investigação pois já há provas e indícios concretos contra as pessoas inseridas na lista, que agora será encaminhada ao presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM). Nesta sexta-feira (18), …

Turistas “madrugam” para visitar Disneyland Paris, que reabre após oito meses por causa da pandemia

Depois de oito meses de portas fechadas, o parque Disneyland Paris reabriu para o público nesta quinta-feira (17). A atração, um dos principais destinos turísticos da Europa, volta a funcionar, mas mantém medidas sanitárias …

Cientistas desvendam mistério de 'apagamento' de estrela gigante Betelgeuse

Astrônomos dizem que solucionaram o mistério sobre por que uma das mais conhecidas estrelas que iluminava o céu à noite começou a perder o brilho há cerca de um ano. Betelgeuse, uma supergigante vermelha da …

Portugal isola Lisboa para conter disseminação de variante

Em meio a alta de casos e difusão da variante delta do coronavírus, detectada inicialmente na Índia, governo português restringe circulação para dentro e para fora da região metropolitana da capital no fim de semana. Em …

Astrônomos descobrem as maiores estruturas giratórias conhecidas no universo

Tentáculos de galáxias com centenas de milhões de anos-luz de comprimento podem ser os maiores objetos giratórios do universo, um novo estudo descobriu. Corpos celestes muitas vezes giram, planetas, estrelas e galáxias. No entanto, aglomerados gigantes …

Facebook implementa software de IA capaz de detectar fotos e vídeos falsos

Os deepfakes são arquivos de mídia, incluindo fotos, vídeos e áudio, editados através de inteligência artificial (IA), que fornecem alto realismo e muitas vezes causam confusão após serem compartilhados nas redes sociais. Na quarta-feira (16), os …

China envia três astronautas para sua estação espacial

Grupo deverá ficar três meses no espaço e colocar em funcionamento o módulo central da estação espacial Tiangong. China não participa da ISS por decisão dos EUA. A primeira missão tripulada enviada pela China para a …

Putin “não quer Guerra Fria com EUA”, diz Biden após encontro com presidente russo

Os presidentes dos Estados Unidos, Joe Biden, e da Rússia, Vladimir Putin, participaram nesta quarta-feira (16) de uma esperada reunião bilateral. O encontro realizado em Genebra acontece em um contexto de forte tensão entre …

Variante lambda do coronavírus: o que se sabe sobre mutação que se espalha pela América do Sul e preocupa OMS

Os vírus usam técnicas diferentes para continuar infectando as pessoas. E o caso da covid-19 não é exceção. As versões atuais da doença estão se espalhando muito mais facilmente do que a original, que surgiu na …

Embaixadores da Rússia e dos EUA "regressam ao trabalho", diz Putin após cúpula com Biden

A Rússia e os EUA acordaram o regresso de seus embaixadores, informou Vladimir Putin. Vladimir Putin, presidente da Rússia, disse, após conversas com seu homólogo americano Joe Biden, que os embaixadores russo e norte-americano voltam …