Lua está ‘enferrujada’ nos polos, descobrem cientistas

NASA

A face oculta da Lua: foto obtida em 1968 pela missão Apollo 8

O fenômeno era considerado pouco provável por causa da inexistência de oxigênio ou água líquida no satélite terrestre, pelo que os pesquisadores propuseram teorias sobre o caso.

A sonda espacial indiana Chandrayaan-1 detectou na Lua hematita, um mineral que é formado apenas na presença de oxigênio e água. Em um artigo publicado na revista Science Advances, os cientistas avançaram possíveis teorias para o aparecimento deste mineral semelhante a ferrugem na superfície do satélite da Terra.

Em 2008, o espectrômetro Moon Mineralogy Mapper (M3) a bordo da Chandrayaan-1 encontrou água na forma de gelo em suas regiões polares.

Após decifrar dados do mesmo instrumento, que foi projetado pela NASA, pesquisadores norte-americanos do Laboratório de Propulsão a Jato, EUA, observaram linhas espectrais correspondentes a hematita (Fe2O3).

A hematita é um produto de oxidação de rochas contendo ferro frequentemente encontrado na Terra, em Marte e em alguns asteroides, o que diminui a probabilidade de haver hematita na Lua devido à inexistência de oxigênio ou água líquida.

Além disso, a superfície da Lua está sujeita a constante bombardeio por partículas de vento solar, que contém hidrogênio, o redutor mais forte, enquanto a hematita requer um ambiente oxidante para se formar. A Terra é protegida do vento solar por um campo magnético, que o nosso satélite não possui.

“No início, eu não acreditei em nada nisso. Hematita […] não deve se formar na Lua”, diz Abigail Fraeman, uma das autoras do artigo, em um comunicado de imprensa do Laboratório de Propulsão a Jato. “Mas desde que descobrimos água na Lua, começamos a supor que pode haver uma maior variedade de minerais […] caso essa água tenha reagido com rochas lunares.” Os espectros do M3 mostram que os polos da Lua têm uma composição muito diferente do resto da Lua.

Como se teria formado?

Os autores descrevem um modelo que explica como a oxidação de ferro poderia ter se formado no satélite da Terra. De acordo com os pesquisadores, a fonte de oxigênio foi a atmosfera terrestre. Em 2007, a sonda japonesa Kaguya descobriu que o oxigênio da atmosfera superior da Terra pode alcançar a Lua, o que é consistente com os dados do M3, que indicam uma maior presença de hematita no lado próximo da Lua.

Além disso, como escrevem os autores no artigo, a Lua tem gradualmente se afastado da Terra ao longo do tempo. Há alguns bilhões de anos, quando os dois corpos celestes estavam mais próximos um do outro, chegava mais oxigênio à superfície lunar.

A magnetosfera da Terra, segundo os cientistas, também protege parcialmente do vento solar. Os cálculos mostram que em certos períodos orbitais da Lua o campo magnético da Terra bloqueia até 99% da radiação ionizante do Sol.

Em relação à água, os autores do estudo admitem que o gelo de água nos polos não explica o mistério da hematita, pois o óxido de ferro foi encontrado em áreas sem acumulo de gelo. Como resultado, eles sugerem que a origem seria a poeira cósmica que assenta na superfície da Lua. A poeira pode carregar moléculas de água, bem como liberá-las das rochas lunares durante o impacto. Além disso, o calor desses impactos aumenta a velocidade de oxidação.

Outra teoria

Segundo Yevgeny Slyuta, diretor do Laboratório de Geoquímica da Lua e Planetas do Instituto de Geoquímica e Química Analítica da Academia de Ciências da Rússia, disse à Sputnik, a ferrugem nos polos lunares poderia ter ocorrido devido à queda de meteoritos ferrosos e da ação sobre as partículas de ferro do hidrogênio solar e oxigênio da atmosfera superior da Terra.

“As nanofases do ferro no regolito lunar são formadas como resultado do impacto de meteoritos, fusão e termorredução devido à onda de choque”, o que seu instituto confirmou em um experimento, relata. “O ferro nanofásico começa então a oxidar gradualmente sob ação do hidrogênio e do oxigênio da Terra ao longo de milhões de anos.”

Além disso, conta, as moléculas de água surgem na superfície da Lua devido à queda de cometas, que podem conter até 15% de gelo, bem como por causa da interação do hidrogênio solar com o oxigênio trazido pelos meteoritos. Das moléculas de água, 90% decaem sob ação de fatores cósmicos, tais como a radiação ultravioleta, mas o resto das moléculas de água adere às partículas do solo lunar.

O resultado é um acúmulo gradual de água“, explica Slyuta.

Em relação ao oxigênio, ele chega à Lua soprado pelo vento solar da atmosfera superior da Terra, bem como em cometas e asteroides, o que acontece gradualmente ao longo de centenas de milhões de anos.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …