Ministério prevê vacinação entre 20 de janeiro e 10 de fevereiro

A cada dia que passa, a população anseia por uma vacina contra a covid-19. Em novembro, o Ministério da Saúde divulgou a primeira parte do Plano de Operacionalização da Vacina, e, nesta terça-feira (29), trouxe à tona uma data para começar a vacinação: entre 20 de janeiro e 10 de fevereiro.

No entanto, para isso, é necessário que os fabricantes obtenham o registro junto à Anvisa.

“Na melhor hipótese, nós estaríamos começando a vacinação a partir do dia 20 de janeiro. Num prazo médio, entre 20 de janeiro e 10 de fevereiro. E no prazo mais longo, a partir de 10 de fevereiro”, anunciou o secretário-executivo Élcio Franco.

“Nós precisamos que os fabricantes obtenham o registro junto à Anvisa, e que eles entreguem doses suficientes para que sejam distribuídas. Se o distribuidor obtiver o registro e eventualmente não tiver dose para distribuir… O Ministério da Saúde enquanto Ministério da Saúde tem feito a sua parte, fizemos o plano [nacional de imunização], estamos com a operacionalização pronta, nos preparando para esse grande dia, mas precisamos que os laboratórios solicitem o registro”, completou.

Países como os Estados Unidos, China, Canadá e Rússia já começaram suas campanhas de vacinação. A Argentina começou a vacinar sua população nesta terça (29). O Brasil, por sua vez, já tem contrato com a vacina da AstraZeneca e da Universidade de Oxford, mas os imunizantes ainda não obtiveram aprovação.

Pfizer x Anvisa

Na segunda-feira (28), a Pfizer anunciou que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) pediu uma série de “análises específicas” para liberação emergencial da vacina, então iria recorrer à submissão contínua. Esse procedimento de submissão contínua implica no seguinte: conforme os dados técnicos forem gerados, deverão ser apresentados à agência, de modo que o processo regulatório seja agilizado.

Com a submissão contínua, as empresas interessadas no registro de vacinas contra a covid-19 não precisarão aguardar a disponibilização de todos os dados e documentos técnicos nem o preenchimento de todos os requerimentos regulatórios para então apresentá-los à Anvisa por meio da submissão do pedido de registro.

Frente a isso, a diretoria da Anvisa chamou a Pfizer para uma nova reunião nesta quarta-feira (30). A agência aponta que a Pfizer e a AstraZeneca entregaram os resultados parciais dos estudos de fase 3 (última etapa) em 5 e 22 de dezembro, respectivamente. Nenhum dos dois laboratórios pediu a liberação de uso emergencial no Brasil.

Nesta terça (29), a Anvisa ainda atualizou as diretrizes para a análise e aprovação do uso emergencial de vacinas contra a covid-19. Agora, o laboratório não precisa mais informar um cronograma de disponibilização das doses ao país. Além disso, a empresa também não precisará mais informar a quantidade das doses disponíveis, bastando entregar uma previsão desse total. A agência também passou a sugerir o modelo do Reino Unido ou mesmo da própria empresa do formulário do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE) a ser assinado pelo paciente da vacina em uso emergencial.

Basicamente, a ideia por trás dessas alterações é “facilitar o entendimento do processo de envio de documentos, bem como tornar o procedimento mais ágil”. Vale ressaltar que, um dia antes, a Anvisa publicou a certificação de Boas Práticas de Fabricação para a Pfizer.

CT //

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …