NASA descobre grandes quantidades de água em cratera iluminada na Lua

Marshall Space Flight Center / NASA

Nesta segunda-feira (26), a NASA revelou os resultados de dois estudos que trouxeram novas descobertas sobre a Lua: dados obtidos pelo observatório aéreo Stratospheric Observatory for Infrared Astronomy (SOFIA) confirmam, pela primeira vez, que existe água na superfície iluminada da Lua, onde a luz solar incide.

Já um estudo feito com dados da missão Lunar Reconnaissance Orbiter revelaram outras grandes áreas capazes de conter água por lá. Essas descobertas sugerem que a água pode estar distribuída pela superfície lunar, e não limitada apenas aos locais frios e na sombra.

Como voa a altitudes de cerca de 13 km, o SOFIA consegue ficar acima de 99% do vapor d’água na atmosfera e observa melhor o universo infravermelho. Com o instrumento Faint Object infraRed CAmera for the SOFIA Telescope (FORCAST), o observatório identificou o comprimento de onda específico das moléculas de água, e os dados mostraram que havia uma quantidade relativamente surpreendente na cratera Clavius, ensolarada e localizada no hemisfério sul lunar.

“Nós já tínhamos indicações de que a água que conhecemos poderia estar presente no lado iluminado da Lua, e agora sabemos que está lá”, diz Paul Hertz, diretor da divisão de astrofísica no Science Mission Directorate, da NASA.

Os dados mostram que a água se encontra concentrada em 100 a 412 partes por milhão — equivalente a uma garrafa de água de 300 ml — e presa em um metro cúbico de solo espalhado pela superfície lunar. Para comparação, considere o deserto do Saara, que tem 100 vezes a quantidade de água encontrada no solo lunar.

Como a Lua não tem atmosfera, essa água sob a luz solar já deveria ter sido perdida no espaço. “Mesmo assim, estamos observando-a. Tem algo gerando a água, e algo a prendendo lá”, diz Casey Honniball, do ASA Goddard Space Flight Center.

Isso levanta algumas questões: a água poderia estar presa em pequenas estruturas no solo que se formam pelo calor gerado pelo impacto de micrometeoritos, ou poderia estar escondida entre grãos de solo lunar e protegida da luz do sol.

As armadilhas de gelo

Já o outro estudo, produzido pelo professor Paul Hayne, verificou dados obtidos pela sonda Lunar Reconnaissance Orbiter para estudar a distribuição das “armadilhas de gelo”, locais onde a água não só poderia existir como também estaria permanentemente presa em locais na sombra. Eles encontraram essas armadilhas em tamanhos variados, além de sombras permanentes em ambos os polos lunares.

A equipe de Hayne encontrou 40 mil quilômetros de área capaz de reter água na superfície lunar, que é mais que o dobro da área que os cientistas esperavam ter água na Lua.

“Se você se imaginar de pé na Lua perto dos polos, você veria várias sombras. Muitas dessas pequenas sombras podem estar cheias de gelo”, explica.

O mais interessante aqui é que essas áreas de sombra são capazes de manter a água ou o gelo presos ali por grandes períodos. “Se a água entra ali, ela não vai para lugar nenhum por um bilhão de anos”, disse.

Hayne ressaltou que a equipe ainda iria precisar encontrar esse gelo com rovers ou missões tripuladas, mas a descoberta pode dar o suporte que as missões para os humanos voltarem para a Lua precisam.

A água é um recurso importantíssimo no espaço profundo e um ingrediente essencial para a vida como a conhecemos. A NASA tem planos para enviar a primeira mulher e o próximo homem para a Lua em 2024 por meio do programa Artemis, de modo que a agência precisa descobrir o máximo que puder sobre a presença da água por lá.

A existência de água por lá traz implicações importantes para futuras missões lunares, porque poderia ser tratada e usada para beber, utilizada como propelente de foguete e o oxigênio poderia ser usado para a respiração.

Para Ian Crawford, professor de ciência planetária e astrobiologia na Universidade de Londres, o local onde a água está pode ser mais acessível devido à luz solar. Entretanto, ainda é preciso verificar a forma em que a água existe ecomo extraí-la — e, no fim, a melhor forma fazer isso é voltando para a Lua, o que acontecerá em um futuro não tão distante.

Os estudos foram publicados na revista Nature Astronomy, e podem ser acessados aqui e aqui.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …

Em último vídeo do mandato, Merkel pede que população se vacine

A chanceler alemã Angela Merkel, que deixará o poder na próxima quarta-feira (8), voltou a defender neste sábado (4) a vacinação contra a Covid-19, no último de uma série de mais de 600 vídeos …

Descobrem na China ferramenta de marfim de 99 mil anos, possivelmente a mais antiga do país

Pesquisadores desenterraram uma pá de marfim datada de há cerca de 99.000 anos em um sítio arqueológico do Paleolítico na província chinesa de Shandong. Acredita-se que o objeto seja uma das primeiras ferramentas de osso utilizadas …