Novo estudo aponta Uber e Lyft como responsáveis por aumento de 70% da poluição

(dr) Tech in Asia

Um novo estudo divulgado pela Union of Concerned Scientists nesta terça-feira (25) afirma que as viagens feitas em carros de apps como o Uber e o Lyft foram responsáveis por um aumento de 69% nos níveis de poluição climática, em média. Acontece que nas cidades essas viagens normalmente substituem as de baixo carbono, como transporte público, ciclismo ou caminhada.

O relatório aponta que as empresas de viagens particulares poderiam reduzir essas emissões com um esforço mais concentrado para eletrificar sua frota de veículos ou incentivar os clientes a fazerem passeios em grupo.

Mesmo assim, o estudo afirma que, sozinhas, essas estratégias não abordariam as preocupações crescentes de congestionamento. “Para que os passeios contribuam para melhores resultados climáticos e de congestionamento, as viagens devem ser combinadas e elétricas e incentivar modos de baixas emissões, como transporte de massa, ciclismo e caminhada”.

É uma tarefa difícil, mas tanto a Uber quanto a Lyft e outras empresas do setor mostraram vontade de reduzir suas emissões de carbono. Até agora, seus métodos incluem a introdução de serviços de compartilhamento de bicicletas e scooters, agendamento e emissão de bilhetes de transporte público integrados em seus respectivos aplicativos e programas de incentivo para que os motoristas mudem para carros elétricos.

Apesar desses esforços, a maioria das viagens que acontecem nas plataformas da Uber e da Lyft são feitas em veículos a gás. As empresas tentaram promover viagens em grupo, mas os clientes demonstraram relutância em compartilhar suas viagens, e os serviços de compartilhamento de bicicletas e scooters estão sujeitos aos regulamentos e condições locais do mercado.

Ao The Verge, um porta-voz da Uber disse o seguinte: “Queremos que o Uber faça parte da solução para lidar com as mudanças climáticas, trabalhando com as cidades para ajudar a criar um futuro de transporte com baixo carbono. Para desbloquear as oportunidades que temos para reduzir as emissões, continuaremos investindo em produtos e advogando políticas que reduzam a posse de carros, promovam viagens mais comuns e apoiem uma maior adoção de bicicletas, scooters, veículos ecológicos e o uso de transporte público”.

Enquanto isso, um porta-voz da Lyft aponta o relatório como enganoso.

“Este relatório, como muitos outros, faz alegações enganosas sobre o compartilhamento de carros. A Lyft incentiva o uso de viagens compartilhadas, foi a primeira empresa a colocar informações de transporte público em nosso aplicativo e, no ano passado, fez uma das maiores implantações isoladas de veículos elétricos no país. Estamos ansiosos para continuar esse trabalho em parceria com as cidades, para avançar no transporte compartilhado e sustentável”.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Coronavírus poderia ser a 1ª de muitas outras pandemias futuras, adverte cientista

Apesar do registro de mais de um milhão de infectados à escala mundial, a doença poderia ser suplantada por patologias bem mais perigosas. Comparando com as doenças que poderiam reaparecer como resultado do aquecimento global, o …

Pesquisadores portugueses revelam que os neandertais foram pioneiros na exploração de recursos marinhos

Um novo estudo liderado por pesquisadores da Universidade de Lisboa (Portugal) descobriu que a familiaridade dos hominídeos com o mar e os seus recursos é muito mais antiga do que se pensava – ao que …

Filipinas: presidente Duterte diz que polícia deve matar quem perturbar confinamento

O presidente filipino, Rodrigo Duterte, disse que as forças de ordem podem abater qualquer pessoa que provoque “transtornos” nas regiões onde o confinamento da população foi decretado. As autoridades do país tentaram minimizar as declarações …

Evangélicos fazem coro com Bolsonaro e negam riscos do coronavírus

O presidente Jair Bolsonaro gosta de copiar o seu ídolo americano, Donald Trump – da suposta inofensividade do coronavírus até os poderes de cura de medicamentos como cloroquina e hidroxicloroquina, passando pela teoria da conspiração …

'Estamos em guerra': França confiscou 1 milhão de máscaras destinadas à Espanha e Itália

Os dois países se envolveram em uma disputa diplomática depois que parte das máscaras com destino a outros países vindas da China foram retidas em cidades francesas. As autoridades francesas apreenderam milhões de máscaras que uma …

Sobrevivente da 2ª Guerra e Gripe Espanhola se cura do coronavírus ao 104 anos

Depois da Segunda Guerra Mundial e da pandemia de gripe espanhola, a nova inimiga do soldado aposentado William ‘Bill’ Lapschies, nascido em Salem em 1916, foi a Covid-19 – e ele venceu a batalha! Aos 104 …

Quarentena em todo o mundo deixou a crosta terrestre mais "silenciosa"

As medidas de isolamento social adotadas para conter o novo coronavírus (SARS-CoV-2) estão deixando a Terra mais silenciosa - ao menos para os “ouvidos” sensíveis dos sismógrafos. É que as atividades humanas, tais como a circulação …

UE teme que política autoritária adotada na Hungria por causa do coronavírus tenha efeito dominó no bloco

Em nome da luta contra o novo coronavírus, a Hungria estabeleceu estado de emergência e concedeu poderes ilimitados ao governo de Viktor Orbán. A Europa condena o uso político da pandemia da Covid-19 e …

Grécia põe campo de refugiados em quarentena após infeção

Autoridades confirmam ao menos 20 infecções, todas sem sintomas. Exames foram feitos após uma mulher que deu à luz ter testado positivo para o novo coronavírus no hospital. A Grécia colocou em quarentena o campo de …

Bactérias em rochas a 6 km de profundidade no Pacífico reacendem esperanças de vida em Marte

Bactérias unicelulares recém-descobertas nas profundezas marinhas deram aos investigadores pistas sobre como podem encontrar vida em Marte. A novidade científica foi anunciada hoje (2) no portal SciTechDaily em um artigo da Universidade de Tóquio, Japão. Estas …