Pandemia gera queda recorde de emissões de CO2 de origem fóssil em 2020

As emissões de CO2 de origem fóssil registraram queda recorde de 7% em 2020 por conta das medidas de confinamento aplicadas contra a pandemia da Covid-19. Essa é uma das conclusões do balanço anual do Global Carbon Project (GCP) publicado nesta quinta-feira (10).

O relatório analisa as emissões anuais de CO2 de origem fóssil e sua persistência na atmosfera, responsáveis pelas mudanças climáticas e suas consequências catastróficas. Este relatório é publicado regularmente na Conferência do Clima da ONU (COP).

Neste ano, sua publicação ocorre em um contexto particular. A 26ª reunião da COP marcada para Glasgow, na Escócia, foi adiada por um ano. Uma reunião virtual será realizada neste sábado entre vários chefes de Estado para celebrar o quinto aniversário do Acordo de Paris.

Os resultados também são inéditos, com estimativa de queda de 7% nas emissões globais de CO2 fóssil no ano, o equivalente a 2,4 bilhões de toneladas. No auge do lockdown, na primavera do Hemisfério Norte, as emissões chegaram a ter queda de 17% em relação a 2019.

Essa diminuição ainda não havia sido observada nas crises mundiais anteriores (1945, 1981, 1992, 2009). Nesses períodos, as emissões nunca ultrapassaram 900.000 toneladas. A diminuição das emissões em 2020 parece mais evidente nos Estados Unidos (-12%), na União Europeia (-11%) e na Índia (-9%).

A queda foi menor na China (-1,7%), onde as medidas de restrição foram colocadas em prática no início do ano e foram mais limitadas no termpo, explica o comunicado da Global Carbon Project.

No país, as emissões aumentaram 2% em 2018. “Se não houvesse Covid-19, esse crescimento provavelmente continuaria“, disse Philippe Ciais, pesquisador do Laboratório de Ciências Climáticas e Ambientais, em uma entrevista coletiva.

Aumento esperado em 2021

Por setor, as reduções nas emissões de CO2 foram maiores no transporte de superfície, que representa 21% das emissões globais. Elas foram “reduzidas pela metade nos países onde houve um lockdown mais rígido“, segundo o comunicado.

As emissões na aviação despencaram 75%, mas representam apenas 2,8% das emissões mundiais, embora não parem de crescer. Na indústria, que correspondem a 22% das emissões mundiais, elas “foram reduzidas em 30% nos países com confinamento mais rígido”.

Por um longo período de tempo, “o crescimento das emissões globais foi de 0,9% ao ano em média entre 2010 e 2019”, depois de 3% ao ano entre 2000 e 2009. Portanto, isso não é suficiente para reduzir o efeito estufa e seus impactos.

Além disso, esse declínio relacionado à crise do coronavírus deve ter vida curta. Na China, “as emissões voltaram ao nível anterior em abril”, lamentou Philippe Ciais. “Pode-se esperar um aumento em 2021”, acrescentou. “É uma queda temporária. A maneira de mitigar as mudanças climáticas não é interromper as atividades, mas acelerar a transição para a energia de baixo carbono” insiste o pesquisador.

Além disso, a diminuição das emissões de CO2 não leva à redução da concentração de CO2 na atmosfera, observou. “A grande questão é se os investimentos relacionados com a recuperação econômica permitirão um aumento real da energia de baixo carbono e uma redução visível das emissões”, concluiu Ciais.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

As vovós que lutam pela democracia na Polônia

Idosas polonesas organizam protestos regulares contra erosão da democracia no país, governado por partido ultraconservador. "Não sou capaz de ficar tranquila em casa, cada violação dos direitos me dói", diz aposentada. Clima de fim de expediente …

Coruja super rara dá o ar da graça depois de 125 anos

A coruja rajá de Bornéu (Otus brookii brookii) é uma espécie tão pequena que apenas seu tamanho já tornaria sua identificação mais complexa. Nativa do Sudeste da Ásia e com peso médio de apenas 100 gramas, …

Nintendo bate todos os recordes de lucros com videogames durante a pandemia

A Nintendo apresentou resultados recordes para o ano fiscal de 2020/21 encerrado em 31 de março, impulsionada pela mania global dos videogames em tempos de pandemia, mas o grupo japonês não espera repetir essa …

Doença cerebral misteriosa intriga médicos no Canadá

Médicos no Canadá têm deparado com pacientes que apresentam sintomas semelhantes aos da doença de Creutzfeldt-Jakob, um mal raro e fatal que ataca o cérebro. Mas quando resolveram investigar o mal em mais detalhe, o …

Governador do Rio diz que operação que terminou com 25 mortos foi ação de 'inteligência'

O governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, afirmou que a operação da Polícia Civil realizada no Jacarezinho foi "ação pautada e orientada por longo e detalhado trabalho de inteligência e investigação".  A operação terminou com …

Butantan diz que ataques de Bolsonaro à China afetam vacinas

Presidente insinuou que chineses, principais fornecedores de matéria-prima para imunizantes ao Brasil, criaram vírus como parte de "guerra química". "Essas declarações têm impacto", diz diretor do Instituto Butantan. A direção do Instituto Butantan e o governador …

Fotos da última sessão de Kurt Cobain são vendidas como NFT

As imagens da última sessão de fotos da vida do compositor e cantor Kurt Cobain irão a leilão em formato de token não-fungível, os célebres NFTs. O anúncio foi feito por Jesse Frohman, fotógrafo por trás …

EUA, França e Rússia apoiam quebra de patentes contra a Covid-19, mas laboratórios resistem

A ideia de suspender as patentes da fabricação de vacinas contra a Covid-19 continuou a ganhar apoio em todo o mundo nesta quinta-feira, após o impulso inicial dado Estados Unidos. Porém, os laboratórios resistem, …

Descoberta a evidência mais antiga de atividade humana

Uma das atividades mais antigas de humanos foi identificada em uma caverna na África do Sul. Uma equipe de geólogos e arqueólogos encontrou evidências de que nossos ancestrais estavam fazendo fogo e ferramentas na Caverna …

Jeff Bezos: os planos do homem mais rico do mundo para voo espacial turístico

O fundador da Amazon, Jeff Bezos, afirma que está pronto para levar pessoas ao espaço. A empresa Blue Origin, do empresário americano detentor de uma fortuna estimada em R$ 1 trilhão, diz que lançará uma tripulação …