Para ajudar colegas cegos, estudantes criam mapa acessível das regiões brasileiras na Bahia

(dv) Eduardo Souza e Laíse dos Sales / RPA

Pensando na dificuldade do aprendizado de estudantes com deficiência visual, Eduardo Souza e Laíse dos Sales, respectivamente do 1º e 2º ano do ensino médio do Colégio Estadual Luiz Viana Filho, de Irecê (BA), criaram um mapa acessível do Brasil.

Eles utilizaram materiais como retalhos de tecidos, papel camurça, cola 3D e folhas de E.V.A. O mapa possui texturas diferentes, feitas especialmente para os colegas cegos.

A ideia do projeto partiu de Eduardo, que possui um colega de sala que é cego, o Frailan. O estudante ficou curioso em saber como seria lecionar para alguém com essa deficiência. Além disso, o pai de Laise também é cego, o que a ajudou na inspiração para o projeto.

“Nosso objetivo é proporcionar uma ferramenta para que as pessoas com deficiência visual possam aprender os assuntos relacionados às regiões do Brasil”, explica Eduardo. Mas quem vê o ótimo resultado final, provavelmente não imagina como foi difícil o processo.

Primeiro, eles procuraram os professores e descobriram que não havia material específico para alunos cegos na própria escola. Após uma pesquisa, os estudantes descobriram globos terrestres que são capazes de transmitir o aprendizado. Infelizmente, esse material possui um alto custo para ser produzido.

A alternativa encontrada foi a construção um mapa tátil, com o apoio da professora Alda Freitas, professora de geografia e orientadora do projeto, intitulado de “Mapa tátil das regiões brasileiras: conhecendo o Brasil com as mãos”.

Para obter uma versão fiel dos mapas já existentes, os alunos pesquisaram e realizaram testes com integrantes da Associação de Deficientes Visuais de Irecê e Região (Adevir).

De acordo com João Cordeiro, o presidente da Adevir, a experiência de conhecer as regiões foi marcante para os membros da associação.

“Eles se surpreenderam com esse trabalho, mas principalmente as pessoas que nunca enxergaram. O mapa possibilita a noção exata de onde há terra e de onde está o mar e a Amazônia, por exemplo, que são áreas muito importantes, mas que os estudantes geralmente desconhecem pelo fato de as escolas não terem essa ferramenta para as pessoas cegas”, explica.

O projeto também causou impacto na própria professora, que relatou que ele possibilitou mudanças nas próprias práticas pedagógicas. “A ação dos alunos me causou uma inquietação e me provocou a conhecer melhor a educação inclusiva, sendo que todos os alunos têm a mesma necessidade e direito de aprender”, destaca Alda.

Apesar de muito bem-sucedido, os estudantes ainda enfrentam dificuldades para levá-lo adiante, pois não possuem recursos para produzir os próximos mapas.

Mesmo assim, o grupo pretende confeccionar novas unidades a serem distribuídas gratuitamente em outras escolas do município e associações de pessoas com deficiência visual. Eles também planejam realizar a inscrição na Feira de Ciências, Empreendedorismo e Inovação da Bahia (FECIBA), do próximo ano.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Restaurante alemão proíbe entrada de crianças

Chamado "cozinha da vovó" em alemão, estabelecimento barra menores de 14 anos após 17h. Proprietário diz querer proporcionar um "oásis de paz" a seus clientes. Um restaurante no balneário de Binz, na ilha alemã de Rügen, …

Sobe número de mortos com queda de ponte em Gênova

Com a morte do motorista romeno de 36 anos Marian Rosca, subiu para 43 o número de mortos após o desabamento de um viaduto na cidade de Gênova, na Itália. Dos nove feridos que estavam …

Identificadas as galáxias mais antigas do Universo (no quintal da Via Láctea)

Astrônomos identificaram algumas das galáxias mais antigas do Universo em órbita da Via Láctea. Encontrar estas entidades cósmicas é como encontrar os restos dos primeiros humanos que habitaram a Terra. Segundo os autores do estudo, publicado …

Sul da Índia "se afoga" nas piores inundações em um século

O estado indiano de Kerala vive há dez dias as piores inundações em um século por causa das torrenciais chuvas de monção, que já deixaram cerca de 200 mortos e mais de 220 mil evacuados …

200 mil bombas de Hiroshima: o poder do supervulcão de Santorini

Um novo estudo, realizado com base em análises de anéis de árvores, pode definir com mais precisão o momento em que o supervulcão de Santorini, na Grécia, entrou em erupção. A nova pesquisa ajudou a …

Matemáticos do MIT resolvem um velho mistério sobre o espaguete

Partir um palito de espaguete seco em somente dois pedaços é uma missão praticamente impossível. Ou era, até que matemáticos do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), nos EUA, conseguiram descobrir um truque que permite …

Colapso de ponte em Gênova: sobe para 41 o número de mortos

O número de vítimas da desmoronamento de uma pontos na cidade de Gênova, no noroeste da Itália, subiu para 41, depois que as equipes de bombeiros encontraram entre os blocos de concreto um veículo com …

Morre o ex-secretário-geral da ONU e Nobel da Paz Kofi Annan

Morreu neste sábado (18) o ex-secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU) e vencedor do prêmio Nobel da Paz, o ganês Kofi Annan, de 80 anos. A informação foi confirmada pela família. Não foram divulgados …

Dos 27,4 mil registros de candidaturas, 8,4 mil são de mulheres

As candidaturas femininas nas eleições de outubro chegam a 30,7%, o equivalente a 8.435, do total de 27.485 pedidos de registros encaminhados ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O Centro-Oeste é a região com maior percentual …

"Multa do bem" diminui casos de atropelamento no trânsito

Elogiar motoristas que dão preferência aos pedestres no trânsito é uma maneira simples de evitar atropelamentos. Afinal, quem não gosta de ser elogiado quando faz a coisa certa? Qualquer pessoa gosta, e a psicologia tem …