Para imprensa europeia, cloroquina se tornou “arma política” no Brasil

Simone Venezia / EPA

A imprensa europeia demonstra surpresa e preocupação com a decisão do governo brasileiro de ampliar o uso da cloroquina e da hidroxicloroquina para o tratamento de doentes com sintomas leves do coronavírus no SUS.

Sites de notícias e jornais destacam o assunto nesta quinta-feira (21), afirmando que o medicamento se tornou uma arma política de Bolsonaro.

O Brasil de Jair Bolsonaro aposta na cloroquina” é o título da matéria publicada no site do canal de TV francês France 24.

O texto destaca que a decisão do Ministério da Saúde se deve às “semanas de pressão do presidente, que considera milagroso o medicamento”.

A matéria lembra que o uso da cloroquina e da hidroxicloroquina – cujos efeitos até hoje não foram cientificamente provados – foi o que motivou a renúncia de Nelson Teich do Ministério da Saúde na última sexta-feira (15), “o segundo ministro a deixar a pasta em menos de um mês”, ressalta France 24.

“Os populistas fãs da cloroquina” diz uma das manchetes do jornal francês Le Parisien desta quinta-feira, destacando que, além de Bolsonaro, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e da Rússia, Vladimir Putin, também defendem o uso da droga antimalária contra o coronavírus. “Três homens na liderança de países castigados pelo vírus. Com a cloroquina como uma boia de salvamento”, publica o diário.

“Mas o que eles têm todos com a cloroquina?“, questiona Le Parisien. Entrevistado pelo jornal, Gaspard Estrada, diretor-executivo do Observatório Político da América Latina e do Caribe, afirma que “Jair Bolsonaro luta por sua sobrevivência política e procura se afastar de toda consideração científica para fazer valer sua ação contra a epidemia”.

Já a cientista política Nicole Bacharan diz que “os populistas estão na busca permanente de soluções simples”.

Autorização de cloroquina é “vitória” de Bolsonaro

No resto da Europa, a decisão do governo brasileiro também tem forte repercussão.

O jornal português Público acredita que a aprovação do novo protocolo de tratamento contra o coronavírus “é uma vitória de Bolsonaro”, em uma queda de braço “que dura quase desde o início da pandemia da Covid-19 no Brasil e que esteve na origem das demissões de dois ministros da Saúde”.

A matéria destaca que, após o anúncio do Ministério da Saúde, Bolsonaro comemorou, dizendo que “ainda não há comprovação científica” do uso da cloroquina contra o coronavírus, mas, segundo ele, o Brasil está em guerra e “pior do que ser derrotado é a vergonha de não ter lutado”, escreveu.

Para o jornal português, o uso do medicamento se tornou “uma arma política no Brasil, onde a pandemia progride de forma descontrolada”.

O diário também destaca que, apesar dos mais de mil mortos na terça-feira, o presidente apareceu sorridente e fez uma piada em uma live nas redes sociais, dizendo que “quem é de direita toma cloroquina, quem é de esquerda toma tubaína”.

“Não há provas”

O jornal britânico The Guardian ressalta que estudos mostraram que a droga não é eficaz contra a doença e pode ter efeitos colaterais graves em alguns casos. O correspondente do diário no Brasil entrevistou Ana Ribeiro, coordenadora do serviço de epidemiologia do hospital Emílio Ribas, em São Paulo. “Não há provas. Estão dizendo que a cloroquina funciona, mas eles não mostram nenhum resultado”, declarou.

“O Brasil se move às cegas diante da velocidade da epidemia” é manchete do jornal espanhol El País. A matéria afirma que dados oficiais mostram que “dezenove a cada vinte contágios não são contabilizados na nação mais populosa da América Latina”.

Utilizando o método da London School of Hygiene and Tropical Medicine e se baseando nas informações indicadas pelo Ministério da Saúde do Brasil no último sábado (16), o diário afirma que o número de contagiados no país seria de 3,7 milhões de pessoas e não 233.142 como indicou o governo neste dia.

El País também publica gráficos sobre a evolução da doença no Brasil e analisa a situação das cidades brasileiras mais afetadas pela Covid-19, São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Fortaleza, São Luís e Manaus.

Segundo o jornal, dois meses após as medidas de quarentena terem sido implementadas no país, “políticos, autoridades sanitárias e investigadores agem às cegas” e quase 18 mil pessoas já morreram, “um número muito subestimado”.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Metade da matéria do universo havia sumido, mas foi encontrada

Uma equipe internacional de pesquisadores parece ter finalmente resolvido o “problema dos bárions desaparecidos”. Bárion é uma classificação genérica para um tipo partículas que engloba prótons e nêutrons. Estas partículas, por sua vez, são os blocos …

Máscara elétrica autolimpante que carrega celular deverá custar apenas 1 dólar

Devido à pandemia do coronavírus, diversos especialistas alertam para a, cada vez mais real, possibilidade de usarmos máscaras para sair de casa até, no mínimo, o final do ano. Por isto, diversas empresas estão estendendo …

Bolsonaro bate recorde de rejeição, mostra Datafolha

Na primeira pesquisa feita após divulgação de vídeo da reunião ministerial, 43% dos entrevistados consideram governo ruim ou péssimo. Entre os quatro últimos presidentes eleitos, Bolsonaro é o pior avaliado. O índice de rejeição ao presidente …

Renault detalha plano econômico e anuncia 4.600 cortes na França

A empresa automobilística revelou nesta sexta-feira seu plano de cortes no país que integra um plano de economias de cerca de € 2 bilhões (cerca de R$ 12 bilhões) em três anos. A Renault …

Asteroide que dizimou os dinossauros teria atingido a Terra em "ângulo letal"

A teoria mais aceita é a de que os dinossauros foram extintos após um asteroide atingir a Terra de maneira catastrófica há 66 milhões de anos, causando danos sem precedentes em todo o planeta. Agora, segundo …

Repórter da CNN é preso ao vivo em protesto por morte de homem negro. Trump pede tiros em manifestantes

Minneapolis vive uma escalada de violência provocada por um policial branco que matou, de forma brutal, um homem negro. George Floyd foi asfixiado pelo joelho do oficial enquanto era filmado em plena luz do dia. Nem …

Diário de oficial nazista revela suposta localização de toneladas de ouro em castelo

Pesquisadores que buscam bilhões de dólares em tesouros nazistas roubados da Europa acreditam ter encontrado a localização de toneladas de ouro debaixo de antigo castelo alemão. Os pesquisadores acreditam ter encontrado 28 toneladas de ouro roubadas …

Coreia do Sul registra aumento de casos de coronavírus e teme nova onda da epidemia

A Coreia do Sul anunciou nesta quinta-feira (28) o maior aumento de novas contaminações por coronavírus em quase dois meses, devido a um surto de casos em um armazém de uma empresa de comércio …

Desigualdade eleva letalidade da covid na favela, diz estudo

Quase todos os dias, com ou sem pandemia, a diarista Joceliane Gomes Santos de Freitas, 29 anos, sai de casa às 7h em Barra do Ceará, comunidade de Fortaleza onde mora com o marido e …

Descoberta galáxia raríssima em forma de "anel de fogo" a 10 bilhões de anos-luz

Astrônomos capturaram uma imagem de uma galáxia localizada a cerca de 10,8 bilhões de anos-luz de distância. Mas o que realmente impressionou os pesquisadores é que se trata de um tipo muito raro: uma galáxia …