Para imprensa europeia, cloroquina se tornou “arma política” no Brasil

Simone Venezia / EPA

A imprensa europeia demonstra surpresa e preocupação com a decisão do governo brasileiro de ampliar o uso da cloroquina e da hidroxicloroquina para o tratamento de doentes com sintomas leves do coronavírus no SUS.

Sites de notícias e jornais destacam o assunto nesta quinta-feira (21), afirmando que o medicamento se tornou uma arma política de Bolsonaro.

O Brasil de Jair Bolsonaro aposta na cloroquina” é o título da matéria publicada no site do canal de TV francês France 24.

O texto destaca que a decisão do Ministério da Saúde se deve às “semanas de pressão do presidente, que considera milagroso o medicamento”.

A matéria lembra que o uso da cloroquina e da hidroxicloroquina – cujos efeitos até hoje não foram cientificamente provados – foi o que motivou a renúncia de Nelson Teich do Ministério da Saúde na última sexta-feira (15), “o segundo ministro a deixar a pasta em menos de um mês”, ressalta France 24.

“Os populistas fãs da cloroquina” diz uma das manchetes do jornal francês Le Parisien desta quinta-feira, destacando que, além de Bolsonaro, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e da Rússia, Vladimir Putin, também defendem o uso da droga antimalária contra o coronavírus. “Três homens na liderança de países castigados pelo vírus. Com a cloroquina como uma boia de salvamento”, publica o diário.

“Mas o que eles têm todos com a cloroquina?“, questiona Le Parisien. Entrevistado pelo jornal, Gaspard Estrada, diretor-executivo do Observatório Político da América Latina e do Caribe, afirma que “Jair Bolsonaro luta por sua sobrevivência política e procura se afastar de toda consideração científica para fazer valer sua ação contra a epidemia”.

Já a cientista política Nicole Bacharan diz que “os populistas estão na busca permanente de soluções simples”.

Autorização de cloroquina é “vitória” de Bolsonaro

No resto da Europa, a decisão do governo brasileiro também tem forte repercussão.

O jornal português Público acredita que a aprovação do novo protocolo de tratamento contra o coronavírus “é uma vitória de Bolsonaro”, em uma queda de braço “que dura quase desde o início da pandemia da Covid-19 no Brasil e que esteve na origem das demissões de dois ministros da Saúde”.

A matéria destaca que, após o anúncio do Ministério da Saúde, Bolsonaro comemorou, dizendo que “ainda não há comprovação científica” do uso da cloroquina contra o coronavírus, mas, segundo ele, o Brasil está em guerra e “pior do que ser derrotado é a vergonha de não ter lutado”, escreveu.

Para o jornal português, o uso do medicamento se tornou “uma arma política no Brasil, onde a pandemia progride de forma descontrolada”.

O diário também destaca que, apesar dos mais de mil mortos na terça-feira, o presidente apareceu sorridente e fez uma piada em uma live nas redes sociais, dizendo que “quem é de direita toma cloroquina, quem é de esquerda toma tubaína”.

“Não há provas”

O jornal britânico The Guardian ressalta que estudos mostraram que a droga não é eficaz contra a doença e pode ter efeitos colaterais graves em alguns casos. O correspondente do diário no Brasil entrevistou Ana Ribeiro, coordenadora do serviço de epidemiologia do hospital Emílio Ribas, em São Paulo. “Não há provas. Estão dizendo que a cloroquina funciona, mas eles não mostram nenhum resultado”, declarou.

“O Brasil se move às cegas diante da velocidade da epidemia” é manchete do jornal espanhol El País. A matéria afirma que dados oficiais mostram que “dezenove a cada vinte contágios não são contabilizados na nação mais populosa da América Latina”.

Utilizando o método da London School of Hygiene and Tropical Medicine e se baseando nas informações indicadas pelo Ministério da Saúde do Brasil no último sábado (16), o diário afirma que o número de contagiados no país seria de 3,7 milhões de pessoas e não 233.142 como indicou o governo neste dia.

El País também publica gráficos sobre a evolução da doença no Brasil e analisa a situação das cidades brasileiras mais afetadas pela Covid-19, São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Fortaleza, São Luís e Manaus.

Segundo o jornal, dois meses após as medidas de quarentena terem sido implementadas no país, “políticos, autoridades sanitárias e investigadores agem às cegas” e quase 18 mil pessoas já morreram, “um número muito subestimado”.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Morre primeiro paciente que se curou da aids

Conhecido como "o paciente de Berlim", Timothy Ray Brown passou por um transplante de células-tronco em 2007 e se curou tanto da aids como de uma leucemia. Mas o câncer retornou nos últimos meses e …

Ausência nas eleições poderá ser justificada pelo celular

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) anunciou nesta quarta-feira (30) que a justificativa de ausência nas próximas eleições - cujas votações ocorrerão em 15 de novembro (1º turno) e 29 de novembro (2º turno) - poderá …

"Mafalda" perde seu criador, Quino, aos 88 anos

O criador de Mafalda, o cartunista argentino Quino, morreu aos 88 anos. O icônico ilustrador e humorista marcou a vida argentina e do mundo todo com a criação da pequena menina com grandes ideias que …

Muito além de Netuno: objeto binário choca cientistas por ter partes orbitando muito perto

Um objeto transnetuniano (TNO, na sigla em inglês) binário foi detectado por uma rede de observação nos EUA. Objetos transnetunianos consistem em pequenos corpos gelados que orbitam o Sol a uma distância longínqua, para além …

Acusados de financiar terrorismo na Síria com bitcoins são detidos na França

A Procuradoria Nacional Antiterrorista (PNAT) da França anunciou a detenção nesta terça-feira (29) de 29 pessoas acusadas de transferir recursos a jihadistas na Síria graças a um circuito sofisticado no qual foram utilizadas criptomoedas. A …

Donald Trump e Joe Biden travam debate caótico

Xingamentos e interrupções marcam primeiro duelo direto. Trump se recusa a condenar racistas, e Biden chama presidente de palhaço e mentiroso. Democrata sinaliza que pretende retaliar Brasil por devastação ambiental. Faltando pouco mais de um mês …

Flight Simulator tem um bug com buraco bizarro no mapa do Brasil

Vejam só: encontraram um bug respeitável na edição 2020 de Flight Simulator, o respeitado simulador de voo da Microsoft. E, para o nosso orgulho, a falha se localiza especificamente no Brasil. Se você sobrevoar as coordenadas …

Médica fez viagem institucional para impedir aborto de criança vítima de estupro e Damares teria atuado nos bastidores

Uma reportagem da Folha de São Paulo afirmou que uma das médicas que trabalhou para impedir o aborto legal de uma criança de 10 anos que foi estuprada em São Mateus, ES, confessou, em entrevista, …

COVID-19: produção de vacina pode causar morte de meio milhão de tubarões, alertam especialistas

Óleo natural feito a partir do fígado dos tubarões é um componente-chave entre os ingredientes utilizados por vários candidatos a vacina contra a COVID-19. A Shark Allies, uma organização de defesa aos tubarões, da Califórnia, EUA, …

Quem é Amy Barrett, a indicada de Trump para Suprema Corte?

Se aprovada pelo Senado, atual juíza federal e católica devota poderá influenciar a vida pública dos EUA por décadas e mover de vez a composição da Corte para uma orientação conservadora. Se no Brasil o presidente …