Petrobras se recusa a abastecer navios iranianos

(dv) Agência Petrobras

A Petrobras afirmou nesta sexta-feira (19/07) que não irá reabastecer dois navios iranianos que estão parados próximo ao porto de Paranaguá, no litoral do Paraná, devido às sanções impostas pelos Estados Unidos ao Irã.

As embarcações estão na região desde o início de junho e deveriam retornar ao país de origem com uma carga de milho.

“A Petrobras não forneceu combustível à empresa exportadora, pois os navios iranianos por ela contratados e a empresa iraniana proprietária dessas embarcações encontram-se sancionados pelos Estados Unidos. Caso a Petrobras venha a abastecer esses navios, ficará sujeita ao risco de ser incluída na mesma lista, o que poderia ocasionar graves prejuízos à companhia”, disse a empresa em nota.

O governo americano impôs uma série de sanções ao Irã e a empresas iranianas depois de o presidente Donald Trump ter retirado os Estados Unidos do acordo nuclear assinado em 2015 pelos dois países com a participação ainda da Rússia, da China, do Reino Unido, da França e da Alemanha.

Os navios Bavand e Termeh, que supostamente pertencem à empresa iraniana Sapid Shipping, chegaram ao porto no sul do país no início de junho trazendo ureia, que é usada para fazer fertilizantes. Eles deveriam retornar ao Irã com milho brasileiro. Juntos transportariam 116 mil toneladas do cereal. O país é o maior comprador de milho brasileiro e está entre os maiores importadores de soja e carne bovina do Brasil.

Em nota, a Petrobras destacou que há outras fornecedoras de combustível no país e disse que “mantém seu compromisso em atender a demanda de seus clientes, desde que observadas as normas aplicáveis e suas políticas de conformidade”.

Segundo o G1, a empresa dona dos cargueiros chegou a conseguir uma liminar para o abastecimento dos navios, no entanto, a decisão foi derrubada pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli. A palavra final sobre a questão será tomada pelo colegiado da Corte.

A companhia alega que a Petrobras é a única petroleira que pode fornecer esse tipo de combustível no Brasil devido ao monopólio deste segmento e destaca que o combustível será usado para a exportação de milho.

“Ainda que a norma do Tesouro Americano fosse aplicada à Petrobras, o transporte de alimentos é uma das exceções previstas no que a lei americana chama de ‘Humanitarian Exception’, ou exceção humanitária, que é uma licença geral para o transporte de commodities agrícolas, comida, medicamentos e equipamentos médicos”, afirmou a dona dos cargueiros em nota ao G1.

De acordo com O Estado de S.Paulo, outros dois navios iranianos aguardam para atracar no Porto de Imbituba, em Santa Catarina. Questionada pelo jornal, a Petrobras afirmou que não fornecerá combustível às embarcações, caso seja solicitado. O porto, porém, não faz abastecimentos, por isso, os navios devem seguir viagem. Não há detalhes sobre a rota.

Navios de empresas de outros países que transportariam milho para o Irã puderam deixar o Brasil sem enfrentar nenhum problema. Segundo uma fonte da Petrobras, a situação é inédita. Por possuir ações na Bolsa de Nova York, a estatal ficaria impedida de negociar com empresas e países sancionados pelos Estados Unidos.

Tensões entre EUA e Irã

O impasse no Brasil ocorre num momento de aproximação entre Trump e o presidente Jair Bolsonaro e de conflitos entre Washington e Teerã. Desde que deixaram o acordo com o Irã, os Estados Unidos voltaram a impor sobre a economia iraniana todas as sanções que tinham sido suspensas após o pacto, incluídas medidas sobre o setor petrolífero.

Teerã concordou em permanecer no acordo com a condição de que os outros signatários apoiassem seu desejo de ter acesso aos mercados internacionais. O governo islâmico, no entanto, começou a reduzir seus compromissos depois de um ano, ao constatar que não compensava seguir no acordo por causa da pressão americana.

Nas últimas semanas, as tensões entre os dois países aumentaram após vários incidentes ocorridos no Estreito de Ormuz. Em junho, dois navios petroleiros foram atingidos por explosões na região. Os Estados Unidos culparam o Irã, que negou envolvimento. No mesmo mês, um drone americano foi abatido pelos iranianos, acirrando ainda mais a crise. Trump, disse que cancelou de última hora um ataque aéreo a alvos iranianos em represália à derrubada da aeronave não tripulada.

O Estreito de Ormuz possui uma considerável importância para a economia do planeta: pela rota marítima entre o Irã e Omã passa um terço do petróleo mundial transportado pelo mar. Esse estreito representa, portanto, um elo importante entre os produtores de petróleo da região – Arábia Saudita, Irã, Emirados Árabes Unidos, Kuwait e Iraque – e os mercados na Ásia, Europa e América do Norte.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

A China diz ter identificado uma nova doença muito mais mortal do que o Covid-19

A embaixada da China no Cazaquistão alertou sobre uma nova pneumonia desconhecida que seria ainda mais mortífera do que o coronavírus (Sars-CoV-2) causador Covid-19, de acordo com o South China Morning Post (SCMP). “A taxa de …

The Sims ganhará reality show para premiar jogadores em US$ 100 mil

A longeva franquia The Sims, onde gamers gerenciam todos os aspectos da vida de avatares virtuais, vai ganhar um reality show. Veiculado pela emissora norte-americana CBS, a atração se chamará “Spark’d” e deve ir ao ar …

Nudes de 100 anos encontrados dentro de parede são avaliados em milhares de dólares

O senso comum sugere que as gerações passadas eram mais conservadoras que as atuais, especialmente no que diz respeito à sexualidade. Basta escavarmos um pouco a memória – ou as paredes de nossas casas – para …

Presidente interina da Bolívia testa positivo para covid-19

A presidente interina da Bolívia, Jeanine Áñez, revelou nesta quinta-feira (09/07) que foi infectada pelo novo coronavírus e que iniciará um período de quarentena. "Junto com toda a minha equipe, temos trabalhado pelas famílias bolivianas durante …

Após Bolsonaro tirar máscara em entrevista, ABI entra com ação contra presidente no STF

A Associação Brasileira de Imprensa (ABI) apresentou nesta quinta-feira (9) uma queixa criminal ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra o presidente Jair Bolsonaro, depois que ele tirou a máscara em uma entrevista em que anunciou …

A quantidade de nitrogênio emitida pela pecuária já ultrapassou os limites seguros

A quantidade de nitrogênio emitida pela criação de animais para abate é superior ao que o planeta pode aguentar. Cientistas alertam que é necessário diminuir o consumo de carne e laticínios. As principais fontes de nitrogênio …

França vai adotar teste de saliva nos aeroportos para evitar 2ª onda de Covid-19

O governo francês anunciou nesta sexta-feira (10) a implementação de testes a base de saliva em seus aeroportos. A medida, que tem como objetivo evitar uma segunda onda de contaminação pelo coronavírus, visa principalmente os …

De 4.200 anos? Arqueólogos desvendam em Israel 'emoji' mais antigo do mundo

Arqueólogos israelenses encontraram evidências de arte rupestre sem precedentes em dólmens de 4.200 anos. O novo projeto de pesquisa faz parte de um estudo de dólmens (monumentos megalíticos tumulares construídos por humanos) na Alta Galileia e …

Governo remarca Enem para janeiro e fevereiro de 2021

O Ministério da Educação anunciou nesta quarta-feira (08/07) as novas datas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2020, adiado em razão da epidemia de covid-19. As provas em papel serão aplicadas em 17 …

Steve Jobs dizia acreditar na eficiência do trabalho remoto já em 1990

Com a chegada da pandemia do novo coronavírus e, consequentemente o isolamento social, muitas pessoas conseguem continuar trabalhando normalmente de forma remota. Mesmo dentro de casa, felizmente, algumas empresas conseguem manter o contato com seus funcionários …