Por que cientistas estão determinados a provar que Einstein estava errado

(dr) Arthur Sasse / Nate D Sanders Auctions

A foto de Albert Einstein com a língua de fora foi tirada em 1951, depois das celebrações de seu aniversário de 72 anos

Ano entra, ano sai, e tanto a lei dos corpos em queda de Galileu Galilei quanto a teoria da relatividade de Albert Einstein são testadas novamente apenas para os pesquisadores confirmarem pela enésima vez que os gênios estavam corretos.

Foi o que aconteceu com um novo experimento superpreciso conduzido por um grupo internacional de pesquisadores, incluindo cientistas do Centro Nacional de Estudos Espaciais da França e da Agência Espacial Europeia. Por que os cientistas estão tão determinados a provar que Einstein e Galileu estavam errados?

Por causa das inconsistências na nossa compreensão do universo. “A mecânica quântica e a relatividade geral, que são as duas teorias básicas a partir das quais toda a física é construída hoje, ainda não estão unificadas”, explicou o principal autor do estudo, Peter Wolf, diretor do Centro Nacional de Pesquisa Científica de Paris, ao Live Science.

Além disso, enquanto os pesquisadores pensam que o universo é composto principalmente de matéria escura e energia escura, não conseguimos detectar essas substâncias até hoje.

“Se vivemos em um mundo onde há matéria escura ao redor que não podemos ver, isso pode ter uma influência no movimento dos objetos. Essa influência seria muito pequena, mas estaria lá mesmo assim. Portanto, se os cientistas vissem objetos caírem em taxas diferentes, isso poderia ser uma indicação de que estamos realmente observando o efeito da matéria escura”, acrescentou Wolf.

Queda e relatividade

Dita a história que, no século XVII, Galileu subiu na Torre de Pisa e derrubou duas balas de canhão de tamanhos diferentes do alto do monumento a fim de provar sua teoria de que os objetos cairiam a mesma taxa de velocidade, não importa a sua massa. Esse entendimento mais tarde foi atualizado por Einstein em sua teoria da relatividade.

Agora, depois de passar dois anos derrubando dois objetos de massa diferente em queda livre a partir de um satélite, os pesquisadores confirmaram que eles caem a uma taxa dentro de somente dois trilionésimos de 1% um do outro.

Ambos os objetos eram cilíndricos, um feito de titânio e o outro de platina, e estavam suspensos em um campo magnético. Eles “caíram” por 100 a 200 horas a cada experimento, e sua velocidade foi deduzida a partir das forças que os pesquisadores precisavam aplicar para mantê-los no lugar dentro do satélite.

A equipe de cientistas concluiu que os objetos caíram a quase exatamente na mesma taxa toda vez (o que prova que Galileu estava certo), mesmo tendo sido derrubados em momentos diferentes (o que prova que Einstein estava certo).

Próximos passos

Conforme já comentamos, esta não é a primeira que pesquisadores desafiam Galileu e Einstein. O novo teste, no entanto, foi uma ordem de magnitude mais sensível do que os anteriores. Isso não significa que desistiram. Por enquanto, a equipe só divulgou 10% dos dados coletados durante estes dois anos. Eles planejam fazer novas análises no restante.

Além disso, já estão formulando experimentos similares duas ordens de magnitude mais sensíveis, bem como em escalas minúsculas, por exemplo, com átomos individuais de tipos diferentes.

Um artigo sobre a pesquisa foi publicado na revista científica Physical Review Letters.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Brasil ruma para "tempestade perfeita" em meio a pandemia

Abril teria sido um mês ocupado para os hospitais brasileiros, de qualquer modo: enquanto a população ainda enfrentas o vírus da dengue, a estação da gripe vai começar a se manifestar. Em 2020, porém, o …

Empresa japonesa testa nova molécula contra a Covid-19

O grupo japonês Fujifilm anunciou nesta quarta-feira (1) o início de testes clínicos de seu medicamento antigripal Avigan para avaliar sua eficácia contra o novo coronavírus. Até o final de junho, o produto vai ser …

Razão pela qual tubarões caçam em torno da Europa e EUA é revelada

Tubarões e grandes prestadores marinhos evitam caçar em águas quentes equatoriais e preferem viver mais ao norte e ao sul, em zonas que compreendem a Europa, os Estados Unidos e a África do Sul. Os tubarões …

Os distanciamentos do coronavírus mudaram a maneira como a Terra se move

As pessoas têm ficado em casa para diminuir a velocidade com a qual o novo coronavírus se espalha. Mas essa atitude pode significar que o planeta também está se movendo um pouco menos. Pesquisadores que estudam …

Facebook não quis investigar desinformação vinda de site norte-americano

“Facebook” e “transparência” são duas palavras que geralmente estão juntas em pautas mais espinhosas, e desta vez não é diferente: segundo uma reportagem veiculada pelo jornal norte-americano The New York Times, a rede social mais …

Maduro denuncia navio turístico 'pirata' português que afundou embarcação da Marinha venezuelana

O presidente venezuelano Nicolás Maduro denunciou o ataque e afundamento de um barco da Marinha da Venezuela por um navio turístico "pirata", a noroeste da ilha de La Tortuga. Na noite de segunda-feira (30), o navio …

Mundo do futebol tenta atenuar perdas financeiras com reduções de salários

O mundo do futebol, como qualquer actividade que gera dinheiro e emprega pessoas, começa a sentir os efeitos do confinamento visto que em quase todas as partes do mundo não se pratica futebol e os …

Políticos da oposição pedem renúncia de Bolsonaro em manifesto

Haddad, Ciro, Boulos e outras lideranças endossam documento crítico à atuação do presidente diante da pandemia de coronavírus. Texto diz que Bolsonaro é um líder irresponsável e agrava a crise com mentiras e crimes. Políticos da …

Economia alemã pode encolher até 5,4% em 2020

Conselho de Consultores Econômicos aponta que pandemia de coronavírus vai, inevitavelmente, levar a Alemanha a uma recessão ainda no primeiro semestre deste ano. A pandemia do novo coronavírus vai, inevitavelmente, levar a Alemanha a uma recessão …

Tênis da Apple nunca comercializado é vendido em leilão por R$ 50 mil

  Você já ouviu falar dos tênis da Apple? Se disse não, está entre a maioria, porque a grande parte das pessoas, mesmo os fãs mais ardorosos da companhia, talvez sequer saibam que esses calçados tenham …