Reconhecimento de genocídio armênio aprofunda crise entre EUA e Turquia

Daniel Kopatsch / EPA

Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, declarou nesta quarta-feira (30) que o reconhecimento do “genocídio armênio” pela Câmara de Representantes dos Estados Unidos “não tem nenhum valor”. Insatisfeita com a decisão, a Turquia convocou o embaixador americano na capital Ancara, em sinal de protesto.

O reconhecimento do genocídio, quando entre 1,2 milhão e 1,5 milhão de armênios morreram na Primeira Guerra Mundial nas mãos de tropas do Império Otomano, acontece em um momento delicado das relações entre a Turquia e os Estados Unidos.

Desde o início da ofensiva militar turca contra os curdos da Síria – que foram aliados dos americanos no país em guerra –, Washington e Ancara vivem um gelo diplomático.

Nesta terça-feira (29), a Câmara de Representantes americana também adotou sanções contra autoridades turcas em relação à operação na Síria. Os congressistas americanos admitiram, por ampla maioria, a ocorrência do “genocídio armênio”, durante votação que provocou aplausos no plenário. Foi a primeira vez que uma resolução sobre este tema foi submetida a uma votação em plenário em uma das Casas do Congresso americano.

Trinta países e a maioria dos historiadores reconhecem o genocídio armênio, negado pela Turquia. O Império Otomano era aliado da Alemanha e do Império austro-húngaro na Primeira Guerra Mundial. “Endereço-me ao público americano e ao resto do mundo: esta medida não tem nenhum valor, não a reconhecemos”, declarou Erdogan durante um discurso perante os deputados do seu partido em Ancara.

Aprovação por ampla maioria

O embaixador David Satterfield foi convocado ao ministério das Relações Exteriores turco pela “decisão sem fundamentos jurídicos adotada pela Câmara de Representantes”, indicaram fontes à agência AFP.

O texto não-vinculante, aprovado por 405 votos contra 11, convoca a “lembrar o genocídio armênio” e a “rejeitar as tentativas de associar o governo americano à negação do genocídio armênio”.

A Turquia prefere adotar a versão segundo a qual massacres recíprocos aconteceram na época, em um contexto de guerra civil e fome, que deixou centenas de milhares de mortos nos dois lados. O governo turco considerou a posição dos deputados americanos inapropriada, em um momento de “extrema fragilidade” no campo da segurança.

“Como um passo político sem sentido, orienta-se unicamente ao lobby armênio e aos grupos anti-Turquia”, destacou a chancelaria turca em nota oficial.

Armênia elogia decisão prometida desde Obama

Já o primeiro-ministro armênio, Nikol Pashinyan, elogiou a decisão, que qualificou de “passo corajoso em direção à verdade e à justiça histórica, que também oferece consolo aos milhões de descendentes dos sobreviventes do genocídio”.

“A Armênia agradece profundamente aos membros da Câmara de Representantes por sua votação impressionante (…), que demonstra fidelidade infinita à verdade, à justiça, humanidade, solidariedade e aos valores universais dos direitos humanos”, afirmou o ministério armênio das Relações Exteriores em um comunicado.

Em abril de 2017, pouco depois de assumir a Casa Branca, o presidente Donald Trump definiu o massacre dos armênios, em 1915, como “uma das piores atrocidades de massa do século 20″, embora tenha evitado usar a palavra “genocídio”. Ancara demonstrou sua insatisfação na ocasião e criticou a “desinformação” do presidente americano.

Antes de ser eleito em 2008, seu antecessor, Barack Obama tinha se comprometido a reconhecer o genocídio, embora não o tenha feito em seus dois mandatos na presidência.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …