Reconhecimento de genocídio armênio aprofunda crise entre EUA e Turquia

Daniel Kopatsch / EPA

Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, declarou nesta quarta-feira (30) que o reconhecimento do “genocídio armênio” pela Câmara de Representantes dos Estados Unidos “não tem nenhum valor”. Insatisfeita com a decisão, a Turquia convocou o embaixador americano na capital Ancara, em sinal de protesto.

O reconhecimento do genocídio, quando entre 1,2 milhão e 1,5 milhão de armênios morreram na Primeira Guerra Mundial nas mãos de tropas do Império Otomano, acontece em um momento delicado das relações entre a Turquia e os Estados Unidos.

Desde o início da ofensiva militar turca contra os curdos da Síria – que foram aliados dos americanos no país em guerra –, Washington e Ancara vivem um gelo diplomático.

Nesta terça-feira (29), a Câmara de Representantes americana também adotou sanções contra autoridades turcas em relação à operação na Síria. Os congressistas americanos admitiram, por ampla maioria, a ocorrência do “genocídio armênio”, durante votação que provocou aplausos no plenário. Foi a primeira vez que uma resolução sobre este tema foi submetida a uma votação em plenário em uma das Casas do Congresso americano.

Trinta países e a maioria dos historiadores reconhecem o genocídio armênio, negado pela Turquia. O Império Otomano era aliado da Alemanha e do Império austro-húngaro na Primeira Guerra Mundial. “Endereço-me ao público americano e ao resto do mundo: esta medida não tem nenhum valor, não a reconhecemos”, declarou Erdogan durante um discurso perante os deputados do seu partido em Ancara.

Aprovação por ampla maioria

O embaixador David Satterfield foi convocado ao ministério das Relações Exteriores turco pela “decisão sem fundamentos jurídicos adotada pela Câmara de Representantes”, indicaram fontes à agência AFP.

O texto não-vinculante, aprovado por 405 votos contra 11, convoca a “lembrar o genocídio armênio” e a “rejeitar as tentativas de associar o governo americano à negação do genocídio armênio”.

A Turquia prefere adotar a versão segundo a qual massacres recíprocos aconteceram na época, em um contexto de guerra civil e fome, que deixou centenas de milhares de mortos nos dois lados. O governo turco considerou a posição dos deputados americanos inapropriada, em um momento de “extrema fragilidade” no campo da segurança.

“Como um passo político sem sentido, orienta-se unicamente ao lobby armênio e aos grupos anti-Turquia”, destacou a chancelaria turca em nota oficial.

Armênia elogia decisão prometida desde Obama

Já o primeiro-ministro armênio, Nikol Pashinyan, elogiou a decisão, que qualificou de “passo corajoso em direção à verdade e à justiça histórica, que também oferece consolo aos milhões de descendentes dos sobreviventes do genocídio”.

“A Armênia agradece profundamente aos membros da Câmara de Representantes por sua votação impressionante (…), que demonstra fidelidade infinita à verdade, à justiça, humanidade, solidariedade e aos valores universais dos direitos humanos”, afirmou o ministério armênio das Relações Exteriores em um comunicado.

Em abril de 2017, pouco depois de assumir a Casa Branca, o presidente Donald Trump definiu o massacre dos armênios, em 1915, como “uma das piores atrocidades de massa do século 20″, embora tenha evitado usar a palavra “genocídio”. Ancara demonstrou sua insatisfação na ocasião e criticou a “desinformação” do presidente americano.

Antes de ser eleito em 2008, seu antecessor, Barack Obama tinha se comprometido a reconhecer o genocídio, embora não o tenha feito em seus dois mandatos na presidência.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Asteroide passará perto da Terra a 27.000 km/h na sexta-feira, alerta NASA

Um grande corpo celeste está se movendo na direção da Terra e chegará ao ponto mais próximo do nosso planeta nesta sexta-feira (6). De acordo com as estimativas da NASA, o asteroide 2019 WR3 mede entre …

Mensagem misteriosa pintada em urso polar na Rússia alarma pesquisadores

Imagens compartilhadas por perfis russos nas redes sociais com um urso polar pintado em spray com o símbolo "T-34" ter alarmado especialistas. Eles advertem que a pintura — cujas circunstâncias ainda não foram identificadas — pode …

Experimento deve provar que microgravidade inibe crescimento de tumores

De onde estiver, Stephen Hawking segue presente na ciência, e seus últimos conselhos devem render uma descoberta para lá de impressionante (e revolucionária). Em conversa com um pesquisador da Austrália, o gênio da física falou sobre …

Justiça absolve Lula e Dilma no caso "quadrilhão do PT"

Juiz que analisou caso afirma que denúncia apresentada por Rodrigo Janot contra cúpula do PT em 2017 foi tentativa de "criminalizar a atividade política". Ministério Público pediu absolvição dos réus em outubro. A Justiça Federal do …

Chineses ativam o primeiro radiotelescópio posicionado no lado afastado da Lua

Um experimento que levou mais de um ano para ser concluído no lado afastado da Lua finalmente está em funcionamento. Não está ainda 100%, mas o Netherlands-China Low-Frequency Explorer (NCLE) já consegue captar sinais de …

"Vão ter que mudar", diz Greta sobre Bolsonaro e Trump em retorno à Europa

A ativista chegou em Lisboa na tarde desta terça-feira (3), 21 dias depois de sair dos EUA a bordo de um veleiro. A jovem sueca retorna à Europa para participar da COP 25, a conferência …

Museu decide comprar apenas obras de mulheres por um ano por reparação histórica

Para se transformar a velha normalidade repleta de preconceitos, violências e desigualdades embutidas é preciso atitudes efetivas e concretamente transformadoras. Da mesma forma que a dívida histórica racial deve ser reparada não somente no discurso, mas …

Black Friday no Brasil superou a dos EUA nos apps de compras, segundo estudo

Neste ano, a Black Friday fez a sua marca entre as compras dos brasileiros. O próprio Canaltech fez uma cobertura muito especial em torno da Black Friday deste ano.Importada dos EUA, a tradição está mesmo …

Para acalmar a crise, presidente chileno propõe ajuda de R$ 520 para 1 milhão de famílias

O presidente do Chile, Sebastián Piñera, propôs nesta terça-feira (3) a criação de um bônus de 100.000 pesos chilenos (cerca de R$ 520), que serão distribuídos para 1,3 milhão de famílias. O objetivo da medida, …

Anvisa dá aval à venda de maconha medicinal em farmácias

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou nesta terça-feira (03/12) um novo marco regulatório para o registro e venda de produtos à base de cannabis em farmácias no país, tornando o Brasil a nação …