Reino Unido e União Europeia estabelecem prioridades e calendário de negociação do Brexit

A União Europeia (UE) e o Reino Unido estabeleceram nesta segunda-feira (19) as prioridades da negociação e o calendário para os próximos dois anos, em sua primeira discussão formal sobre o Brexit, que durou cerca de oito horas.

Os direitos dos cidadãos da UE e do Reino Unido que vivem em cada um dos lados do Canal da Mancha, a fronteira entre Irlanda do Norte e Irlanda e o acordo financeiro do “divórcio” foram formalizados como prioridades das negociações.

Os pontos principais foram apresentados em uma coletiva de imprensa conjunta entre o negociador-chefe da UE para o Brexit, Michel Barnier, e o secretário de Estado para a saída do Reino Unido da União Europeia, David Davis, que se encontrarão uma vez por mês a partir de agora e até 29 de março de 2019 – data em que está prevista a saída definitiva do bloco.

Davis indicou que a maior parte do tempo desta primeira jornada foi ocupada pela questão da fronteira da Irlanda do Norte, que, segundo ele, deveria ser “o mais invisível possível” para evitar colocar em perigo a paz e a estabilidade política na região.

Barnier, por sua vez, disse que a vontade da UE é que também “se cumpra em absoluto o Acordo de Sexta-Feira Santa“, mas fez uma ressalva ao assinalar que deverá existir uma fronteira com todas as suas consequências para serviços e mercadorias, se o Reino Unido deixar o mercado comum.

Sobre os direitos dos cidadãos, o porta-voz do lado britânico disse que a primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, apresentará uma “minuta de proposta” na cúpula comunitária de chefes de Estado e de governo da UE desta semana, que acontece na quinta (22) e na sexta-feira (23), um documento que também será remetido ao parlamento britânico.

Os dois representantes insistiram nos dois períodos distintos de negociação que vão ocorrer, primeiro sobre o “divórcio”, e depois sobre a futura relação entre Bruxelas e Londres, na qual, segundo Barnier, “o Reino Unido já não terá os benefícios que tinha quando era membro da UE”.

Davis indicou, no entanto, que no futuro, em nível comercial, interessa “a ambos” uma “associação o mais forte possível”.

“O Reino Unido sairá da UE, não o contrário. É a realidade, e que cada um assuma as responsabilidades, que são humanas, econômicas, etc. Não se pode subestimar essas consequências”, disse o negociador-chefe europeu, ao ser perguntado por um jornalista britânico que concessões Bruxelas estava pensando em fazer a Londres nas negociações.

“Não é que tenha que fazer concessões, tampouco há o interesse de um revanche. Tentarei, a todo o momento, deixar a paixão de lado e me limitarei à base legal e ao bom espírito”, acrescentou Barnier.

// EFE

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …