Antiviral remdesivir é aprovado para testes no Brasil e na Europa

O Brasil já pode começar a fazer testes com o remdesivir, medicamento antiviral, no tratamento de pacientes com a COVID-19, segundo declaração feita pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) nesta quarta-feira (25).

A Anvisa anunciou ainda que o estudo que será realizado no país será de fase 3, que envolve a observação de pacientes que estão sendo tratados com o medicamento. Receberão a droga pessoas que já estão hospitalizadas com quadro de pneumonia grave provocada pelo novo coronavírus, divididas em dois grupos.

O primeiro será tratado com o remdesivir combinado com outro medicamento chamado tocilizumabe, que atua no organismo como imunoregulador e é usado contra a artrite reumatoide. Já o segundo grupo receberá o remdesivir administrado com um placebo. A ideia é que no Brasil, segundo autorização solicitada pela empresa PPD do Brasil Suporte a Pesquisa Clínica Ltda, 105 pacientes passem pelo teste.

Aprovação na Europa

O remdesivir também recebeu a aprovação da Agência Europeia de Medicamentos (EMA), que agora poderá ser receitado para pacientes diagnosticados com a covid-19, necessitando de respiração mecânica, e que tenham a partir de 12 anos de idade.

Cabe à Comissão Europeia finalizar a autorização de forma burocrática, o que deve acontecer em até uma semana. Uma vez aprovada, a indicação da droga estará vigente a 27 países e será válida por um ano.

Como ainda não há a comprovação de que o medicamento seja realmente efetivo contra a COVID-19, a empresa fabricante Gilead, farmacêutica norte-americana, precisa informar à União Europeia os resultados dos testes do remdesivir, assim como seus efeitos colaterais, até dezembro.

Para que serve o remdesivir?

O Remdesivir é um antiviral desenvolvido para o combate da ebola, mas que já apresentou resultados positivos no tratamento de outros tipos de coronavírus, responsáveis pelas doenças SARS e MERS.

Nos Estados Unidos, o medicamento já vem sendo itulizado para pacientes graves da covid-19, logo após a autorização do FDA, órgão regulador do país que funciona como a Anvisa aqui no Brasil.

De acordo com a FDA, o critério usado para a aprovação da droga foi um estudo realizado pelo Instituto Nacional Americano de Saúde (NIH), que conduziu testes em 1.063 pacientes não só dos Estados Unidos, como da Ásia e da Europa.

O resultado mostrou que pessoas tratadas com o remdesivir se recuperaram cerca de quatro dias antes daqueles que não receberam o medicamento. No início de junho, a Coreia do Sul e a Índia também começaram os testes com o remédio.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Essa “formiga-diabo” pré-histórica ataca sua presa há 99 milhões de anos

Uma linhagem extinta há tempos, nomeada afetuosamente de “formiga do inferno” ou “formiga-diabo”, foi encontrada presa em âmbar há 99 milhões de anos atrás, com sua mandíbula em formato de foice agarrada firme na presa. No …

Mataram um crocodilo de meia tonelada e 4,5 metros depois de 50 anos de perseguição

Notícia triste para quem luta pela preservação do meio ambiente. Conhecido como Demônio, um crocodilo de meia tonelada e 4,5 metros, que segundo moradores aterrorizava vilarejos na ilhas Bangka Belitung (Indonésia), foi morto na semana …

China diz que encontrou traços de coronavírus em frango brasileiro

Carga de asas de frango que chegou a Shenzhen, no sul do país asiático, foi confiscada. Funcionários da alfândega que entraram em contato com alimentos foram testados, mas exames deram negativo. Traços do novo coronavírus foram …

Vacinação em SP começa em janeiro, segundo diretor do Butantan

Com a pandemia, inúmeras empresas estão dedicadas ao desenvolvimento de uma vacina que possa ajudar na luta contra a COVID-19. Nesta quarta-feira (12), o diretor do Instituto Butantan, Dimas Tadeu Covas, afirmou que o estado …

Descoberto "Stonehenge de madeira" de 4.500 anos em Portugal

A estrutura de madeira achada é a "única na pré-história da Península Ibérica", explicou o arqueólogo que lidera as escavações. Durante uma escavação no sítio arqueológico de Perdigões, arqueólogos descobriram uma estrutura para fins cerimoniais de …

Coronavírus reaparece na "protegida" Nova Zelândia e gera alerta

A detecção de quatro casos de transmissão local do novo coronavírus, depois de mais de 100 dias sem o vírus, levou as autoridades da Nova Zelândia a restaurar a quarentena em Auckland, cidade mais populosa …

Viagem aos anos 90: Airbnb abrirá reservas para pernoites na última Blockbuster

Quem viveu o boom das locadoras nos anos 90 sabe que ir até uma Blockbuster ou redes semelhantes de VHS e DVDs era um verdadeiro programa de final de semana: a experiência de assistir a …

Joe Biden escolhe Kamala Harris como candidata a vice

Senadora eleita pela Califórnia pode se tornar a primeira mulher vice-presidente dos Estados Unidos, caso chapa democrata derrote Donald Trump em eleição de novembro. O candidato à presidência dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou nesta terça-feira …

Bilionários do Vale do Silício apostam em bunkers para vencer fim do mundo

Esqueça a vida no espaço: bilionários do Vale do Silício estão se preparando para o apocalipse comprando bunkers. A parte mais abastada da população mundial tem se mostrado interessada em adquirir “buracos na terra” equipados para …

Presidente russo Vladimir Putin anuncia registro de 1ª vacina contra COVID-19

Nesta terça-feira (11), o presidente Vladimir Putin anunciou o registro da primeira vacina russa contra a COVID-19. "Tanto quanto sei, nesta manhã foi registrada, pela primeira vez no mundo, uma vacina contra a COVID-19", disse o …