Pterossauro do tamanho de um avião é descoberto no deserto de Gobi

Mark Witton and Darren Naish

Ilustração dos pterossauros gigantes Quetzalcoatlus, do grupo dos Azhdarchidae

Um pterossauro gigante foi descoberto no deserto de Gobi, entre a China e a Mongólia. A criatura enorme, parecida com um dragão, teria vivido há 70 milhões de anos e, provavelmente, teve uma envergadura de 10 a 12 metros. Para colocar isso em perspectiva, é uma envergadura maior que a altura de um prédio de três andares.

Segundo detalhes da descoberta, publicada no Journal of Vertebrate Paleontology, a criatura vem da família Azhdarchidae, um grupo de pterossauros que existiram no período Cretáceo tardio.

Os pterossauros (assim como os pterodáctilos) são muitas vezes pensados ​​erroneamente como dinossauros. Ao contrário dos pássaros, que são um tipo de dinossauro, os pterossauros são realmente répteis voadores.

Este espécime particular foi encontrado no habitat árido do interior do que é agora a Mongólia. Embora o animal tivesse asas, ele podia caminhar sobre quatro patas e, provavelmente, perseguia suas presas no chão – já que podiam ser dinossauros bebês.

Os paleontologistas descobriram cinco fragmentos dos ossos do pescoço do animal em 2006 em uma região chamada Gurilin Tsav, no oeste de Gobi. A área é bastante conhecida por ser um tesouro de fósseis para a paleontologia. Entretanto, fósseis de pterossauro são raros no local.

Ossos de espécies gigantes de pterossauros foram encontrados na Europa e na América do Norte, mas estes restos encontrados no deserto de Gobi provam que eles também viveram na Ásia.

Os pesquisadores acreditam que o achado é um dos maiores pterossauros que já existiu, rivalizando, em termos de tamanho, com seus primos, o Quetzalcoatlus (encontrado no Texas) e Hatzegopteryx (encontrado na Romênia). Esses últimos também tinham uma envergadura estimada de 10 a 12 metros e, em altura, pensa-se que foram altos como girafas (aproximadamente 5,5 metros).

A questão agora é que os paleontólogos só têm restos parciais do pterossauro, o que torna difícil calcular com precisão o tamanho e a forma da criatura. Pode ser que o pescoço seja desproporcionalmente grande em comparação com o resto do corpo e os pesquisadores estariam então superestimando seu tamanho. Outra hipótese é a de que o espécime pode ser maior (ou menor) que a média da sua espécie.

De forma frustrante, os fósseis de pterossauros estão muitas vezes mal preservados e incompletos porque seus ossos não eram tão resistentes quanto os dos dinossauros.

Os cientistas ainda não nomearam as novas espécies e também não decidiram se tratam-se, de fato, de novas espécies, isto porque os restos fósseis estão incompletos. No entanto, o achado comprova, pela primeira vez, que havia pterossauros gigantes vagando pelo céu asiático.

EM, Ciberia // IFLScience

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Governo italiano vende casas a 2 euros na região da Sicília

Mais uma vez o governo italiano está vendendo casas em áreas rurais da Itália, após o sucesso da campanha para repovoamento de áreas abandonadas. Além de promover a ocupação por meio de incentivos para jovens e …

Bolsonaro admite não ter provas de fraudes eleitorais

Em live para a qual convocou veículos de imprensa, Bolsonaro exibiu uma série de teorias falsas, cálculos equivocados e vídeos antigos, já verificados e desmentidos, mas que ainda circulam na internet, como supostas evidências de …

A incrível civilização antiga que mumificava os mortos 2 mil anos antes dos egípcios

"As mais antigas evidências arqueológicas conhecidas de mumificação artificial de corpos", segundo a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), estão presentes na América do Sul, na costa árida …

Delta pode causar covid-19 mais grave, alerta agência americana

Documento interno do órgão de prevenção de doenças dos EUA indica que a variante delta do coronavírus é tão contagiosa quanto a catapora e pode ser transmitida mesmo por indivíduos vacinados. "A guerra mudou", diz …

Vendas de vacinas anticovid impulsionam lucros de laboratórios

A empresa farmacêutica AstraZeneca anunciou nesta quinta-feira (28) que as vendas de sua vacina contra a Covid-19 alcançaram US $ 1,17 bilhão no primeiro semestre do ano. Este número corresponde à entrega de aproximadamente …

Cientistas transformaram água pura em metal pela primeira vez

Cientistas transformaram, pela primeira vez, água pura em metal. A pesquisa poderia permitir um estudo detalhado das condições de extrema alta pressão dentro de grandes planetas. A água pura é um isolante quase perfeito. Sim, a …

Imagens do satélite Amazonia-1 já estão disponíveis — e qualquer um pode acessar

O Ministério da Ciência e Tecnologia comunicou, nesta semana, que as imagens do Amazonia-1 já podem ser acessadas pelo público. O satélite Amazonia-1 foi lançado em fevereiro de 2021 e, desde então, já avançou por etapas importantes, …

Alemanha acusa médico sírio de crimes contra a humanidade

Promotores federais da Alemanha acusaram nesta quarta-feira (28/07) um médico sírio de assassinato e crimes contra a humanidade. O suspeito enfrenta 18 acusações de tortura contra pacientes de hospitais militares nas cidades sírias de Homs e …

Suposto 'padrão' citado por Bolsonaro não indica fraude eleitoral; presidente admite não ter provas

O presidente Jair Bolsonaro usou sua live semanal desta quinta-feira (29/07) para fazer uma apresentação questionando a lisura das últimas eleições e apontando o que considera ser "fortíssimos indícios" de fraudes nas urnas eletrônicas. No entanto, …

Cientistas revelam novos dados sobre neandertais e denisovanos após analise sanguínea

Cientistas, que analisaram os genes de três neandertais e um denisovano, descobriram que ambas as espécies de pessoas ancestrais provêm da África. Os autores também encontraram uma ligação genética entre os neandertais e os aborígines …