Remédios comuns estão ligados a risco 30% maior de demência

Um novo estudo britânico sugere que algumas classes de drogas anticolinérgicas – particularmente as usadas para tratar depressão, mal de Parkinson e incontinência urinária – podem levar a um risco maior de demência.

Não é de hoje que os cientistas sabem que o uso prolongado de certos medicamentos pode afetar negativamente a cognição. Alguns anticolinérgicos são perigosos neste sentido: podem levar a um risco 30% maior da condição. Um artigo sobre a pesquisa foi publicado em abril no British Medical Journal.

Os anticolinérgicos bloqueiam os efeitos da acetilcolina, uma substância química liberada pelas células nervosas para enviar sinais a outros nervos e músculos.

Os remédios são prescritos para 20% a 50% de idosos nos Estados Unidos para tratar uma variedade de condições neurológicas, psiquiátricas, gastrointestinais, respiratórias e musculares. No Reino Unido, 34% a 48% dos adultos mais velhos os tomam.

O novo estudo analisou o risco de demência em cerca de 350 mil idosos no Reino Unido. Os pesquisadores descobriram que as pessoas que tomaram por um ano ou mais certos tipos de anticolinérgicos, como os usados para tratar depressão, Parkinson e incontinência urinária, tinham cerca de 30% de aumento no risco de desenvolver demência no futuro.

Algumas outras classes de anticolinérgicos – incluindo os utilizados para asma e problemas gastrointestinais – não pareceram aumentar o risco da condição.

A análise se baseou em informações do Banco de Dados de Pesquisa Clínica do Reino Unido para identificar 40.770 pacientes, com idades entre 65 e 99 anos, que foram diagnosticados com demência entre abril de 2006 e julho de 2015.

Os cientistas compararam quantas doses diárias de drogas anticolinérgicas foram prescritas entre 4 e 20 anos antes do diagnóstico nesses pacientes, em relação a um grupo de controle de quase 300 mil indivíduos.

“No total, houve 27 milhões de eventos de prescrição. Descobrimos que cerca de 9% dos casos de demência tinham tomado anticolinérgicos no passado, em comparação com cerca de 6% do grupo de controle”, disse George Savva, da Universidade de East Anglia, principal autor do estudo.

Isso significa que os pacientes com diagnóstico de demência tiveram mais exposição a medicamentos anticolinérgicos durante o período de estudo.

Especificamente, os anticolinérgicos usados para depressão (por exemplo, amitriptilina), incontinência urinária (a oxibutinina) e doença de Parkinson (como prociclidina) foram associados a um risco aumentado de cerca de 30% de desenvolver demência.

Isso quer dizer que, se uma pessoa tem um risco base de 10% de desenvolver demência em determinado ano, esse risco aumenta para 13% com o uso a longo prazo desses medicamentos.

Embora o risco aumentado de 30% seja significativo, ainda é menor do que o risco associado a outros fatores modificáveis para demência, como tabagismo, isolamento social e inatividade física. Esses fatores de estilo de vida estão associados a um aumento de 40% a 60% no risco de desenvolver demência.

As razões exatas para a ligação entre anticolinérgicos e demência não são claras. Os cientistas sabem que os níveis de acetilcolina são expressivamente mais baixos em pessoas com o mal de Alzheimer, a causa mais comum de demência em adultos mais velhos, pelo que algumas drogas anticolinérgicas podem bloquear a atividade normal da substância em regiões do cérebro associadas à memória e à cognição, resultando em sintomas de demência.

Há também algumas evidências vindas de estudos com animais de que os anticolinérgicos podem afetar a neuroinflamação.

É necessário ressalvar, no entanto, que a pesquisa foi de natureza observacional, o que torna difícil tirar conclusões definitivas sobre causalidade. Ou seja, não prova que anticolinérgicos causam a condição.

No entanto, particularmente à medida que as opções de tratamento aumentam, esses resultados dão peso à noção de que os médicos devem ser proativos na identificação de alternativas aos anticolinérgicos, se possível.

Os cientistas não aconselham que os pacientes parem de tomar medicamentos por conta própria.

Ciberia // HypeScience / ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …