HIV pode se esconder no cérebro e aumentar o risco de demência

Cientistas descobriram recentemente que o HIV pode permanecer adormecido no corpo de uma pessoa durante vários anos e que os pacientes com essa condição são mais vulneráveis a condições neurológicas e neuropsiquiátricas.

Sabe-se há muito tempo que o vírus HIV, que causa a Aids, desabilita as células do sistema imunológico, responsáveis pelo combate aos micro-organismos invasores e pela supressão de cânceres malignos.

Agora, os cientistas descobriram que o HIV desabilita não só as células da corrente sanguínea, como também no cérebro e medula espinal. Além disso, o HIV pode permanecer adormecido no corpo de uma pessoa durante vários anos.

O médico e pesquisador Habibeh Khoshbouei tem trabalhado nesta questão durante vários anos, tendo aprendido que uma das consequências do HIV no cérebro é que as doenças relacionadas à idade – condições neurológicas, como a doença de Alzheimer e Parkinson – se desenvolvem muito antes.

Os cientistas queriam entender o motivo por que isso acontecia. Assim, chegaram à conclusão que os efeitos do HIV persistem apesar do tratamento. Embora as terapias antirretrovirais combinatórias (CART) reduzam as cargas virais para níveis indetectáveis no sangue, o HIV pode se esconder dentro do sistema nervoso central, e se integrar aos genomas das células cerebrais chamadas micróglia – células imunes do cérebro.

No cérebro, o HIV continua produzindo proteínas virais e danifica tanto as células infectadas como as não infectadas, aumentando assim o risco de demência, dependência e outros problemas neurológicos.

Através de experiências com ratos de laboratório, os cientistas quiseram compreender melhor a ligação entre a infecção pelo HIV e a doença neurológica. Os cientistas descobriram que uma proteína do HIV, chamada HIV-1 Tat, reduz o nível de uma proteína importante necessária para a produção de um neurotransmissor de dopamina no cérebro.

Além disso, descobriram também que uma enzima necessária para produzir dopamina, chamada tirosina hidroxilase, não estava sendo detectada em alguns neurônios. Isso sugere que os ratos deixaram de conseguir produzir tanta dopamina, o que reduz a capacidade de comunicação entre as células do cérebro, prejudicando a capacidade de movimento, por exemplo.

Dessa forma, os resultados, publicados na revista Glia, revelam como os pacientes com HIV são mais vulneráveis a condições neurológicas e neuropsiquiátricas, de alguma forma ligadas à interrupção dos níveis de dopamina no cérebro.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Twitter vai ser mais rígido com conteúdo adulto na internet e preocupa criadores

Desde o ano passado tem sido mais difícil para os criadores de páginas com o perfil NSFW (Not Safe for Work ou não seguro para ver no trabalho — impróprio, em tradução livre) ter seus …

Otan tenta exibir união, enquanto líderes são flagrados falando de Trump

Chefes de Estado e de Governo de 29 países participaram nesta quarta-feira (4) do segundo dia da cúpula de aniversário de 70 anos da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), em Watford, nos arredores …

Radar aéreo descobre um navio viking em uma fazenda

Um estudo do Instituto Norueguês de Pesquisa do Patrimônio Cultural (NIKU) descobriu um navio viking em uma fazenda usando radar aéreo. O achado foi uma surpresa e um golpe de sorte, uma vez que este local …

Casamentos entre pessoas do mesmo sexo saltam 61,7% no Brasil

O número de casamentos realizados entre pessoas do mesmo sexo em 2018 aumentou 61,7% em relação ao ano anterior, segundo dados divulgados nesta quarta-feira (04/12) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com …

Uber do entulho te ajuda a descartar resíduos corretamente

O lixo é definitivamente um problema contemporâneo de dimensões globais – e não só a qualidade, o material ou o destino desse lixo, mas também a forma de descarta-lo. Dos 387 quilos de resíduos que o …

Asteroide passará perto da Terra a 27.000 km/h na sexta-feira, alerta NASA

Um grande corpo celeste está se movendo na direção da Terra e chegará ao ponto mais próximo do nosso planeta nesta sexta-feira (6). De acordo com as estimativas da NASA, o asteroide 2019 WR3 mede entre …

Mensagem misteriosa pintada em urso polar na Rússia alarma pesquisadores

Imagens compartilhadas por perfis russos nas redes sociais com um urso polar pintado em spray com o símbolo "T-34" ter alarmado especialistas. Eles advertem que a pintura — cujas circunstâncias ainda não foram identificadas — pode …

Experimento deve provar que microgravidade inibe crescimento de tumores

De onde estiver, Stephen Hawking segue presente na ciência, e seus últimos conselhos devem render uma descoberta para lá de impressionante (e revolucionária). Em conversa com um pesquisador da Austrália, o gênio da física falou sobre …

Justiça absolve Lula e Dilma no caso "quadrilhão do PT"

Juiz que analisou caso afirma que denúncia apresentada por Rodrigo Janot contra cúpula do PT em 2017 foi tentativa de "criminalizar a atividade política". Ministério Público pediu absolvição dos réus em outubro. A Justiça Federal do …

Chineses ativam o primeiro radiotelescópio posicionado no lado afastado da Lua

Um experimento que levou mais de um ano para ser concluído no lado afastado da Lua finalmente está em funcionamento. Não está ainda 100%, mas o Netherlands-China Low-Frequency Explorer (NCLE) já consegue captar sinais de …