Rochas marcianas podem esconder sinais de vida de 1 bilhão de anos atrás

NASA/JPL-Caltech/MSSS/JHU-APL

Cratera Jezero preserva vestígios do delta de um antigo rio em Marte.

Rochas ricas em ferro, perto de um antigo lago que existiu em Marte, podem ter pistas fundamentais para encontrar vida no Planeta Vermelho, de acordo com uma pesquisa realizada no Reino Unido.

Essas rochas, que se formam no leito de lagos, são “o melhor local para procurar provas fósseis de vida de 1 bilhão de anos atrás”, informam os cientistas da Universidade de Edimburgo, no Reino Unido, em comunicado sobre a pesquisa.

Feitas de lama compacta ou de argila, essas rochas sedimentares contêm ferro e sílica, um mineral que ajuda a preservar os fósseis. Assim, os cientistas acreditam ser possível encontrar em Marte vestígios fósseis, com pistas sobre a existência de criaturas minúsculas, como os micróbios.

A detecção de tais vestígios seria a prova de que já houve vida no Planeta Vermelho há milhões de anos.

No estudo publicado no Journal of Geophysical Research, os pesquisadores afirmam que as possíveis formas de vida primitivas podem ser reportadas aos chamados períodos Noachiano e Hesperiano, da história de Marte, entre 3 e 4 bilhões de anos atrás.

Naquela altura, Marte tinha uma superfície coberta de água e, portanto, o planeta teria capacidade para acolher vida.

As rochas de Marte de há milhões de anos estão muito melhor preservadas do que as que existem na Terra, da mesma altura. Isto se deve ao fato de o Planeta Vermelho “não ser alvo das placas tectônicas”, explicam os cientistas, notando que “o movimento das enormes placas rochosas que formam a crosta de alguns planetas”, como a Terra, destrói as rochas e os fósseis que elas escondem, ao longo do tempo.

Os pesquisadores analisaram estudos de fósseis na Terra, replicando em laboratório as condições de Marte para identificar os locais mais prováveis do planeta onde poderiam ser encontrados sinais de vida.

As conclusões podem ser fundamentais para futuras missões da NASA no Planeta Vermelho. Um mini-helicóptero da NASA vai explorar Marte em 2020, com o intuito de recolher amostras do planeta para virem a ser analisadas na Terra.

“Há muitos afloramentos de rochas e de minerais interessantes em Marte, onde gostaríamos de procurar fósseis, mas uma vez que não conseguimos enviar rovers a todos eles, tentamos dar prioridade aos depósitos mais promissores, com base na melhor informação disponível”, explica Sean McMahon, que esteve envolvido na pesquisa.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Sobreviventes retornam a Auschwitz nos 75 anos da libertação

Autoridades de 50 países participam da solenidade no antigo campo de concentração na Polônia, em meio a temores pelo aumento do antissemitismo. "Precisamos tomar cuidado para que não volte a acontecer", diz sobrevivente. Mais de 200 …

Por que cientistas querem tanto provar que Einstein e Galileu estavam errados

Ano entra, ano sai, e tanto a lei dos corpos em queda de Galileu Galilei quanto a teoria da relatividade de Albert Einstein são testadas novamente apenas para os pesquisadores confirmarem pela enésima vez que …

Morreu Kobe Bryant, um dos maiores astros da NBA

Neste domingo (26), o astro do basquete norte-americano, Kobe Bryant, faleceu em acidente de helicóptero, na cidade de Los Angeles, nos EUA. Autoridades e testemunhas levantam as primeiras hipóteses sobre a causa da queda. O lendário …

Coronavírus terá impacto no PIB chinês e na economia global

A nova epidemia de coronavírus é um balde de água fria na cabeça do mundo. A começar pelos chineses. Em 2003, o último vírus mortal se propagando pelo mundo inteiro – o SARS – …

Abelhas adoram cannabis e este caso de amor pode ajudar a salvar a espécie

Consideradas os seres vivos mais importantes do planeta, as abelhas são animais insubstituíveis, dos quais dependemos para viver. No entanto, nas últimas décadas, devido ao aquecimento global e o uso execessivo de pesticidas, elas estão …

Cientistas finalmente descobriram como capturar o espectro todo da luz solar para gerar hidrogênio

Pela primeira vez, cientistas da Universidade Estadual de Ohio (EUA) desenvolveram uma molécula que é capaz de coletar a energia de todo o espectro da luz solar. O processo, 50% mais eficiente que as atuais …

Você agora pode ouvir a voz de uma múmia de 3 mil anos

Com uso de tomografia computadorizada, impressão 3D e laringe eletrônica, pesquisadores do Reino Unido reconstruíram o trato vocal de uma múmia egípcia. Para a realização do projeto que teve início em 2013, foi preciso combinar medicina, …

Krakatoa, o inferno de Java: a erupção há 137 anos que foi sentida no planeta inteiro

Em 1883, o mundo presenciou um evento natural tão bombástico e violento que pôde ser notado de alguma forma por praticamente todos os habitantes do planeta. A erupção do vulcão Krakatoa, na Indonésia, lançou detritos a …

Educação e confiança fazem da Dinamarca país menos corrupto do mundo

Imagine poder almoçar tranquilamente num restaurante ou fazer compras enquanto deixa o seu bebê no carrinho, estacionado do lado de fora na calçada. Essa cena, que faz parte do cotidiano dos dinamarqueses, só é …

Brasil adianta ponteiros do Relógio do Juízo Final

O Relógio do Juízo Final teve seus ponteiros ajustados nesta quinta-feira (23/01) para a marca de apenas 100 segundos para a meia-noite, simbolizando o maior perigo para a humanidade registrado desde criação do dispositivo em …