Rochas marcianas podem esconder sinais de vida de 1 bilhão de anos atrás

NASA/JPL-Caltech/MSSS/JHU-APL

Cratera Jezero preserva vestígios do delta de um antigo rio em Marte.

Rochas ricas em ferro, perto de um antigo lago que existiu em Marte, podem ter pistas fundamentais para encontrar vida no Planeta Vermelho, de acordo com uma pesquisa realizada no Reino Unido.

Essas rochas, que se formam no leito de lagos, são “o melhor local para procurar provas fósseis de vida de 1 bilhão de anos atrás”, informam os cientistas da Universidade de Edimburgo, no Reino Unido, em comunicado sobre a pesquisa.

Feitas de lama compacta ou de argila, essas rochas sedimentares contêm ferro e sílica, um mineral que ajuda a preservar os fósseis. Assim, os cientistas acreditam ser possível encontrar em Marte vestígios fósseis, com pistas sobre a existência de criaturas minúsculas, como os micróbios.

A detecção de tais vestígios seria a prova de que já houve vida no Planeta Vermelho há milhões de anos.

No estudo publicado no Journal of Geophysical Research, os pesquisadores afirmam que as possíveis formas de vida primitivas podem ser reportadas aos chamados períodos Noachiano e Hesperiano, da história de Marte, entre 3 e 4 bilhões de anos atrás.

Naquela altura, Marte tinha uma superfície coberta de água e, portanto, o planeta teria capacidade para acolher vida.

As rochas de Marte de há milhões de anos estão muito melhor preservadas do que as que existem na Terra, da mesma altura. Isto se deve ao fato de o Planeta Vermelho “não ser alvo das placas tectônicas”, explicam os cientistas, notando que “o movimento das enormes placas rochosas que formam a crosta de alguns planetas”, como a Terra, destrói as rochas e os fósseis que elas escondem, ao longo do tempo.

Os pesquisadores analisaram estudos de fósseis na Terra, replicando em laboratório as condições de Marte para identificar os locais mais prováveis do planeta onde poderiam ser encontrados sinais de vida.

As conclusões podem ser fundamentais para futuras missões da NASA no Planeta Vermelho. Um mini-helicóptero da NASA vai explorar Marte em 2020, com o intuito de recolher amostras do planeta para virem a ser analisadas na Terra.

“Há muitos afloramentos de rochas e de minerais interessantes em Marte, onde gostaríamos de procurar fósseis, mas uma vez que não conseguimos enviar rovers a todos eles, tentamos dar prioridade aos depósitos mais promissores, com base na melhor informação disponível”, explica Sean McMahon, que esteve envolvido na pesquisa.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA e Reino Unido teriam dado 'luz verde' a Israel para retaliar Irã após ataque a petroleiro

Irã rejeitou o envolvimento do país no ataque contra o petroleiro Mercer Street no mar Arábico que ocorreu na quinta-feira (29), condenando as acusações lançadas pelo governo israelense. Tel Aviv teria recebido "luz verde" de Washington …

Incêndios causam mortes e devastação no sul da Europa

A União Europeia EU) enviou ajuda para a Turquia nesta segunda-feira (02/08), e voluntários se juntaram a bombeiros na luta contra fortes incêndios que já duram seis dias e mataram oito pessoas no país. Em …

Golpe militar em Mianmar completa seis meses e já resultou em quase mil mortes de civis

Aterrorizados pela repressão da junta militar e pela propagação do coronavírus, poucos birmaneses se atreviam a ir às ruas para protestar neste domingo (1º), quando completam-se seis meses do golpe de Estado que mergulhou …

Governo italiano vende casas a 2 euros na região da Sicília

Mais uma vez o governo italiano está vendendo casas em áreas rurais da Itália, após o sucesso da campanha para repovoamento de áreas abandonadas. Além de promover a ocupação por meio de incentivos para jovens e …

Bolsonaro admite não ter provas de fraudes eleitorais

Em live para a qual convocou veículos de imprensa, Bolsonaro exibiu uma série de teorias falsas, cálculos equivocados e vídeos antigos, já verificados e desmentidos, mas que ainda circulam na internet, como supostas evidências de …

A incrível civilização antiga que mumificava os mortos 2 mil anos antes dos egípcios

"As mais antigas evidências arqueológicas conhecidas de mumificação artificial de corpos", segundo a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), estão presentes na América do Sul, na costa árida …

Delta pode causar covid-19 mais grave, alerta agência americana

Documento interno do órgão de prevenção de doenças dos EUA indica que a variante delta do coronavírus é tão contagiosa quanto a catapora e pode ser transmitida mesmo por indivíduos vacinados. "A guerra mudou", diz …

Vendas de vacinas anticovid impulsionam lucros de laboratórios

A empresa farmacêutica AstraZeneca anunciou nesta quinta-feira (28) que as vendas de sua vacina contra a Covid-19 alcançaram US $ 1,17 bilhão no primeiro semestre do ano. Este número corresponde à entrega de aproximadamente …

Cientistas transformaram água pura em metal pela primeira vez

Cientistas transformaram, pela primeira vez, água pura em metal. A pesquisa poderia permitir um estudo detalhado das condições de extrema alta pressão dentro de grandes planetas. A água pura é um isolante quase perfeito. Sim, a …

Imagens do satélite Amazonia-1 já estão disponíveis — e qualquer um pode acessar

O Ministério da Ciência e Tecnologia comunicou, nesta semana, que as imagens do Amazonia-1 já podem ser acessadas pelo público. O satélite Amazonia-1 foi lançado em fevereiro de 2021 e, desde então, já avançou por etapas importantes, …