Supermercados europeus ameaçam boicotar produtos brasileiros contra projeto de reforma agrária

Grandes supermercados e produtores de alimentos europeus ameaçaram nesta quarta-feira boicotar produtos do Brasil em resposta ao projeto reforma agrária entregue em abril pelo governo. Segundo os 38 signatários de uma carta conjunta, o texto que facilita a privatização das terras levaria a um desmatamento maior da floresta amazônica.

Em uma carta aberta aos parlamentares brasileiros, os grupos afirmam que consideram “extremamente preocupante” a apresentação, em abril, do projeto de lei 510/21.

O texto foi proposto após a retirada, no ano passado, de uma proposta similar, apoiada pelo presidente Jair Bolsonaro, à qual já haviam manifestado oposição. Segundo os signatários, esta medida, que prevê a privatização das terras, “ameaça mais do que nunca a Amazônia”.

Fazem parte das empresas que contestam o projeto grandes redes de supermercados britânicos, como Tesco, Sainsbury’s, Asda, Morrisons e Marks & Spencer, assim como a alemã Aldi e a suíça Migros, além de empresas de produção de alimentos como a National Pig Association, o fundo público de previdência sueco AP7 e outros gestores de investimentos.

O texto prevê a “regularização fundiária, por alienação, ou concessão de direito real de uso, das ocupações de áreas de domínio da União”.

Segundo o site do Senado brasileiro, o projeto “estabelece como marco temporal de ocupação a data de 25 de maio de 2012, quando foi editado o Código Florestal”. Além disso, o PL “amplia a área passível de regularização para até 2.500 hectares e dispensa vistoria prévia da área a ser regularizada, podendo ser substituída por declaração do próprio ocupante”.

Apesar da promessa de que o Brasil buscará a neutralidade de carbono até 2050, feita durante a reunião de cúpula do clima organizada em 22 de abril pelo presidente americano, Joe Biden, Bolsonaro não fez nada para desestimular a exploração da floresta amazônica para a agricultura ou mineração.

“Ao longo do último ano, assistimos a uma série de circunstâncias que provocaram níveis extremamente elevados de incêndios florestais e desmatamento no Brasil”, denunciam os signatários da carta aberta. Eles afirmam que, se nada for feito, “não teremos outro remédio a não ser reconsiderar nosso apoio e uso da cadeia de abastecimento de produtos agrícolas brasileiros”.

Ameaças frequentes

Essa não é a primeira vez que grupos europeus de distribuição de alimentos ou até consumidores ameaçam boicotar o Brasil em retaliação à política ambiental de Brasília. Iniciativas semelhantes foram vistas na Alemanha ou na Escandinávia, principalmente após os incêndios registrados na Amazônia em 2019, cujas imagens chocaram o mundo.

Em 2019 e 2020, o desmatamento na Amazônia foi de 10.700 quilômetros quadrados e 9.800 km2, respectivamente, os maiores níveis desde 2008, de acordo com dados oficiais.

Em uma entrevista à AFP, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, afirmou em abril que, se o Brasil receber US$ 1 bilhão de ajuda da comunidade internacional, poderá reduzir o desmatamento ilegal da floresta amazônica em até 40%.

//

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Portugal isola Lisboa para conter disseminação de variante

Em meio a alta de casos e difusão da variante delta do coronavírus, detectada inicialmente na Índia, governo português restringe circulação para dentro e para fora da região metropolitana da capital no fim de semana. Em …

Astrônomos descobrem as maiores estruturas giratórias conhecidas no universo

Tentáculos de galáxias com centenas de milhões de anos-luz de comprimento podem ser os maiores objetos giratórios do universo, um novo estudo descobriu. Corpos celestes muitas vezes giram, planetas, estrelas e galáxias. No entanto, aglomerados gigantes …

Facebook implementa software de IA capaz de detectar fotos e vídeos falsos

Os deepfakes são arquivos de mídia, incluindo fotos, vídeos e áudio, editados através de inteligência artificial (IA), que fornecem alto realismo e muitas vezes causam confusão após serem compartilhados nas redes sociais. Na quarta-feira (16), os …

China envia três astronautas para sua estação espacial

Grupo deverá ficar três meses no espaço e colocar em funcionamento o módulo central da estação espacial Tiangong. China não participa da ISS por decisão dos EUA. A primeira missão tripulada enviada pela China para a …

Putin “não quer Guerra Fria com EUA”, diz Biden após encontro com presidente russo

Os presidentes dos Estados Unidos, Joe Biden, e da Rússia, Vladimir Putin, participaram nesta quarta-feira (16) de uma esperada reunião bilateral. O encontro realizado em Genebra acontece em um contexto de forte tensão entre …

Variante lambda do coronavírus: o que se sabe sobre mutação que se espalha pela América do Sul e preocupa OMS

Os vírus usam técnicas diferentes para continuar infectando as pessoas. E o caso da covid-19 não é exceção. As versões atuais da doença estão se espalhando muito mais facilmente do que a original, que surgiu na …

Embaixadores da Rússia e dos EUA "regressam ao trabalho", diz Putin após cúpula com Biden

A Rússia e os EUA acordaram o regresso de seus embaixadores, informou Vladimir Putin. Vladimir Putin, presidente da Rússia, disse, após conversas com seu homólogo americano Joe Biden, que os embaixadores russo e norte-americano voltam …

Cientistas desvendam segredos genéticos dos menores mamíferos mergulhadores do mundo

Biólogos descobriram os segredos genéticos dos menores mamíferos mergulhadores do mundo: os musaranhos aquáticos. Usando amostras de DNA para construir uma árvore evolutiva, cientistas revelaram em um estudo recente que o comportamento destes mamíferos comedores de …

Pandemia, tufões e inundações agravaram crise alimentar na Coreia do Norte

O líder norte-coreano Kim Jong-Un admitiu que o país enfrenta uma "situação alimentar crítica", informou a mídia estatal nesta quarta-feira (16). A Coreia do Norte, cuja economia sofre com os reflexos de várias sanções …

Israel ataca Faixa de Gaza em resposta a balões incendiários

Bombardeios israelenses miram alvos do Hamas, testando cessar-fogo acertado em maio após 11 dias de conflito com militantes palestinos. Marcha de nacionalistas judeus em Jerusalém elevou tensão. Israel bombardeou alvos do Hamas na Faixa de Gaza …