Ter um filho pode ser mais deprimente que um divórcio ou uma morte

Um novo estudo feito na Alemanha afirmou que ter um bebê pode ser pior para o bem-estar mental de uma pessoa do que o divórcio ou a morte de um parceiro.

Parece horrível, não é mesmo? Como assim ter um filho é deprimente?

Bom, é cedo para tirar quaisquer conclusões do estudo, que precisa ser replicado para ser corroborado. Mas os resultados são intrigantes e podem servir como base para refletirmos sobre a fenômeno de formação de famílias no mundo atual.

O principal objetivo do estudo, desenvolvido por Rachel Margolis e Mikko Myrskylä e publicado na revista Demography, era explorar por que a taxa de natalidade em muitos países desenvolvidos caiu e manteve-se baixa.

Além disso, a pesquisa queria descobrir porque muitas vezes há uma disparidade entre o número de filhos que as pessoas dizem que querem ter, e quantos elas realmente têm.

Os pesquisadores acompanharam 2.016 casais alemães sem filhos do nascimento de seu primeiro bebê até cerca de dois anos depois. Eles tiveram que responder repetidamente a pergunta “Quão satisfeito você está com sua vida, considerando todas as coisas?”, sendo que a resposta ia de 0 (totalmente insatisfeito) a 10 (totalmente satisfeito).

Os casais estavam em geral satisfeitos antes do nascimento de seu bebê, com a felicidade crescendo em antecipação à gravidez. No entanto, após o nascimento da criança, apenas 30% dos pais relataram os mesmos ou maiores níveis de satisfação. O resto – 70% – disse que a sua felicidade tinha diminuído.

Entre as novas mães e pais que ficaram menos felizes, 37% (742) reportaram uma queda de uma unidade, 19% (383) uma queda de duas unidades, e 17% (341) uma queda de três unidades. Isso é considerado muito grave.

Por que tão triste?

Por que ter um recém-nascido vem com tanto descontentamento? Provavelmente, porque esses primeiros anos são difíceis, repletos de noites sem dormir e desafios anteriormente desconhecidos.

Aliás, outro estudo de 2011, publicado no Population and Development Review, mostrou que ter filhos vem com uma queda de felicidade nos primeiros anos, mas com um aumento na felicidade geral bem mais tarde, quando eles já não dependem mais dos pais (e param de sugar toda a alegria de suas almas).

No novo estudo alemão, os desafios da paternidade foram divididos em três categorias que afetaram o desejo de reproduzir de novo: primeiro foram considerados problemas de saúde na gravidez (sentidos por ambos os sexos), e depois complicações durante o parto. O terceiro era o desafio contínuo da educação dos filhos.

Os pais relataram cansaço devido a problemas amamentação, privação do sono, depressão, isolamento doméstico e piora do relacionamento conjugal.

Outra descoberta surpreende da nova pesquisa é que a queda de felicidade vista foi extrema em comparação a outros estudos que utilizaram as mesmas medidas. O divórcio foi medido com uma queda de 0,6 na felicidade, por exemplo, e a morte de um cônjuge ou parceiro a 1,0.

Já ter um bebê levou a uma queda média de 1,4 na felicidade das pessoas, e muitos pais que haviam indicado o desejo de ter mais filhos pararam depois do primeiro. A associação de negatividade foi particularmente elevada para pais mais velhos e aqueles com níveis mais elevados de educação.

A conclusão da pesquisa é de que os casais devem considerar a mudança que sua vida sofrerá antes de tomar a decisão de ter um filho. Expectativas um pouco mais realistas podem evitar uma queda tão grande em felicidade.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Covid: saúde mental piorou para 53% dos brasileiros sob pandemia, aponta pesquisa

Mais da metade dos brasileiros entrevistados por uma pesquisa declararam que sua saúde emocional e mental piorou desde o início da pandemia, em índice superior à média dos 30 países e territórios pesquisados. Segundo pesquisa do …

Senado oficializa criação da CPI da Pandemia

Presidente do Senado diz que foco deve estar nas ações e omissões do governo federal e no repasse de recursos da União para estados e municípios. STF julgará determinação do ministro Barroso que ordenou abertura …

Bernie Madoff, maior golpista da história, morre em prisão norte-americana, diz relato

Bernard Madoff, o ex-financista que realizou a maior fraude de investimento na história dos Estados Unidos, morreu aos 82 anos de idade, de acordo com relatos da mídia. Em 2009, o notório financista recebeu uma sentença …

Salvator Mundi, obra mais cara de Da Vinci avaliada em R$2,6 bi, é vista em iate de príncipe

A obra de arte mais cara do mundo é ‘Salvator Mundi’, atribuída a Leonardo da Vinci. Com valor estimado em mais de 400 milhões de dólares ou superior aos 2,6 bilhões de reais, seu paradeiro …

Variante indiana da Covid-19 se propaga mais rápido e é menos detectada por testes PCR

A Índia enfrenta a pior onda de contaminações da Covid-19 desde o início da pandemia, com mais de 165 mil casos registrados nas últimas 24 horas: duas vezes mais do que no último pico, em …

Tipo sanguíneo não afeta risco de contrair COVID-19, diz novo estudo

Um estudo buscou entender se determinados tipos sanguíneos trazem mais riscos de contrair a COVID-19, e concluiu que não é o caso. Com a pandemia, muito se questiona em relação ao comportamento da COVID-19 em nosso …

Buracos negros são famintos, mas possuem boas maneiras à 'mesa', aponta estudo

Todos os buracos negros supermassivos nos centros das galáxias possuem períodos nos quais devoram a matéria situada de seus arredores. De acordo com um estudo publicado na revista científica Astronomy & Astrophysics, as galáxias ativas têm …

Pnad e Caged: No auge do desemprego, Brasil enfrenta falhas nas estatísticas do mercado de trabalho que confundem e desorientam

Num momento em que o país tem registrado números diários de mortes por covid-19 que ultrapassam 4 mil e diversos Estados e municípios reforçam medidas de distanciamento social, na tentativa de conter a propagação do …

Jovem negro de Minnesota morreu por “disparo acidental”, afirma polícia

Policial teria confundido arma de descarga elétrica com arma de fogo. Incidente em meio a julgamento da morte de George Floyd acirra tensões e agrava protestos. Mineápolis e outras cidades ampliam toque de recolher. A policial …

Bia, assistente de voz do Bradesco, vai responder mensagens de assédio

O Bradesco precisou tomar providências para proteger uma mulher de assédio. No caso, uma mulher que nem existe fisicamente. A mulher que dá voz ao sistema de inteligência artificial do aplicativo, a Bia (sigla para Bradesco …