Uso de analgésicos comuns pode aumentar o risco de ataques cardíacos

Um novo estudo sugere uma ligação entre o consumo de altas doses de analgésicos anti-inflamatórios – como ibuprofeno – e ataques cardíacos.

A pesquisa, publicada no British Medical Journal, baseia-se em um estudo anterior, que já havia identificado uma possível ligação no consumo desses medicamentos e riscos de doenças cardíacas.

Esse estudo mais recente sugere que o risco pode ser maior nos primeiros 30 dias de uso. Mas cientistas afirmam que são necessários mais testes para identificar o tamanho do risco e de que forma essa relação se dá.

Nesse estudo, um time internacional de cientistas analisou dados de 446.763 pessoas para tentar entender a ocorrência de problemas cardíacos.

Os cientistas, contudo, focaram apenas em pessoas que consumiram anti-inflamatórios não esteroides (como ibuprofeno, aspirina, diclofenaco, celecoxibe e naproxeno) adquiridos com receita médica – e não em pessoas que compraram os analgésicos sem receita.

Ao se debruçar nos dados do Canadá, Finlândia e Reino Unido, pesquisadores identificaram o risco de ataque cardíaco já na primeira semana de consumo. O risco foi destacado ao longo do primeiro mês quando as pessoas estavam tomando doses altas – por exemplo, 1200 mg de ibuprofeno por dia.

Mas cientistas admitem que há outros fatores que dificultam estabelecer com precisão de que forma se dá a relação direta de causa e efeito entre analgésicos e ataques cardíacos.

Dá para culpar os analgésicos?

Kevin McConway, professor emérito de estatística da Open University, no Reino Unido, questionou aspectos do estudo. Ele cita o exemplo de alguém que sofre com dor intensa e é medicado com altas doses de analgésico, e, então, tem um ataque do coração na semana seguinte ao início do uso do medicamento.

“Vai ser bem difícil dizer se o ataque cardíaco foi causado pelo analgésico ou pelo o que quer que tenha levado à prescrição do medicamento. Pode até ser uma outra coisa completamente diferente”, afirma.

O professor McConway salienta que fatores como fumo e obesidade também podem estar por trás do risco de ataques do coração nas pessoas focadas no estudo.

O que os pacientes devem fazer?

Médicos estão cientes de que estudos anteriores já indicavam que anti-inflamatórios não esteroides podem aumentar o risco de problemas do coração e de derrames.

Atualmente no Reino Unido, por exemplo, há a recomendação de usar com cautela esses medicamentos em pacientes com problemas cardíacos. Em alguns casos, como em pacientes com falência cardíaca, esses remédios não podem ser receitados sob hipótese alguma.

Mike Knapton, da British Heart Foundation, sugere que pacientes e médicos avaliem riscos e benefícios relacionados ao uso de elevadas doses desses analgésicos convencionais, em especial nos casos dos que já tiveram um ataque cardíaco ou que têm risco em potencial.

A médica e professora Helen Stokes-Lampard, por sua vez, afirma que qualquer decisão de prescrever esse tipo de medicamento precisa se basear no prontuário do paciente e em circunstâncias individuais, que precisam ser revisadas periodicamente.

Ela diz que o uso deles em pessoas com dores crônicas já está sendo reduzido e que alguns dos medicamentos testados na pesquisa (como celecoxibe) já não mais são prescritos no Reino Unido. “Sabe-se que o uso prolongado pode provocar efeitos colaterais sérios em alguns pacientes”, afirma Stokes-Lampard.

O que se sabe sobre o uso desses remédios sem receita médica?

A pesquisa analisou somente casos de quem usa analgésico com receita médica. Não avaliou, portanto, a situação de pacientes que compram esse tipo de medicamento sem prescrição, nas farmácias.

Mas a professora Helen Stokes-Lampard disse que o estudo deveria também chamar atenção para os pacientes que se automedicam com anti-inflamatórios não esteroides para se livrar de dores.

O sistema de saúde público do Reino Unido, por exemplo, orienta as pessoas a tomar sempre as menores doses possíveis por um curto período de tempo. E se as pessoas acham que precisam de doses mais altas, tem de sempre consultar um médico.

Quão alto é o risco de ter um ataque cardíaco?

Pesquisadores independentes dizem que uma das principais armadilhas do estudo é que ele não especifica claramente qual é o risco absoluto – ou o risco básico de pessoas terem ataques cardíacos ao usarem os anti-inflamatórios não esteroides.

Sem compreender o tamanho do risco, afirmam esses pesquisadores, é difícil avaliar o impacto de um possível aumento nas chances de se ter um ataque cardíaco.

Enquanto isso, o professor Stephen Evans, da escola britânica de Higiene e Medicina Tropical, em Londres, disse que, apesar de o estudo ter indicado que mesmo o uso por alguns dias pode estar associado a um risco aumentado de ataque cardíaco, essa relação pode não ser tão clara quanto os autores sugerem.

“As duas questões principais são que os riscos são relativamente pequenos e, para a maioria das pessoas que não tem alto risco de um ataque cardíaco, essas descobertas têm implicações mínimas“, concluiu.

// BBC

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …