Vacina contra febre amarela esgota no município do Rio

PAHO / WHO

-

Desde que as informações sobre a incidência de febre amarela em Minas Gerais começaram a circular, a procura pela vacina no município do Rio triplicou, o que esgotou as doses em muitos pontos da cidade.

A Secretaria Municipal de Saúde descartou a possibilidade de uma vacinação em massa no Rio de Janeiro e recomenda a imunização apenas para quem for viajar para regiões em que há transmissão da doença. Mesmo assim, a média mensal de cinco mil doses aplicadas subiu para 17 mil em janeiro deste ano.

Não há febre amarela na cidade do Rio. Só devem ser vacinadas as pessoas que passaram por avaliação médica, assim como as pessoas que estão com viagem agendada para locais com registros da doença, como Minas Gerais, Amazonas, Pantanal e países como Colômbia, Bolívia, Equador e Peru, entre outros”, diz a nota da secretaria.

O órgão alerta que a vacina pode causar reações adversas em casos de contraindicação. Outro risco é que a alta demanda faça com que pessoas que precisam da imunização não a encontrem disponível nos postos de saúde.

Para que evitar que vacina chegue aos casos em que há recomendação, uma remessa extra foi pedida ao Ministério da Saúde e já começará a ser distribuída hoje.

Governo descarta corrida aos postos

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal informou que recebeu, no mês de janeiro, 50 mil doses da vacina contra a febre amarela – 30 mil doses a mais do que a fornecida mensalmente à unidade federativa pelo Ministério da Saúde.

O reforço, segundo a pasta, se deve ao aumento da procura pela vacina após a confirmação do primeiro óbito por febre amarela registrado no Distrito Federal. A vítima, um homem de 40 anos que veio infectado de Januária (MG) para a capital federal, morreu na última sexta-feira (18).

Desde o anúncio do óbito, três novos casos da doença foram notificados na unidade federativa, mas todos foram descartados por meio de exames feitos pelo Laboratório Central. A identidade e demais informações dos pacientes, segundo a secretaria, não podem ser divulgadas.

A Secretaria de Saúde alerta que a população deve evitar a vacinação de forma desnecessária, o que pode ser prejudicial ao organismo.

Segundo a secretaria, quem já tomou duas vacinas contra a febre amarela, ao longo da vida, não precisa mais ser imunizado contra a doença.

O esquema para crianças é uma dose aos 9 meses de vida e um reforço aos 4 anos de idade. Para quem nunca tomou e já está na fase adulta, é necessário apenas uma dose e, após 10 anos, o reforço.

Pessoas que vão visitar áreas consideradas endêmicas, como algumas cidades de Minas Gerais e do Espírito Santo, e que vão receber a primeira dose contra a febre amarela devem se vacinar pelo menos dez dias antes da viagem.

“A população deve seguir a recomendação e administrar as doses no intervalo de tempo recomendado, uma vez que, quando não são respeitados os prazos, o excesso de doses pode aumentar a chance de adquirir a doença na forma vacinal”, alertou a secretaria.

Na semana passada, o secretário de Saúde do Distrito Federal, Humberto Fonseca, disse que a população pode ficar “absolutamente tranquila” quanto às medidas adotadas pela pasta.

“Vacinamos 191 mil pessoas até outubro de 2016 e vamos fechar os números do ano com mais de 95% de cobertura”, destacou.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Samsung pode ser beneficiada por tensão entre China e Índia

Enquanto os exércitos da China e da Índia se estranham na fronteira entre os dois países, quem pode sair ganhando com a rivalidade é uma empresa sul-coreana. A Samsung deve ser a principal beneficiada com o …

Com epidemia de Covid-19 controlada, Cuba inicia retomada do turismo internacional

Enquanto o coronavírus segue se propagando pelo continente americano, Cuba garante que a epidemia está controlada no país e reabre algumas praias ao turismo internacional. No total, país registrou pouco mais de 2.300 contaminações …

Pesquisadores encontram novos dados sobre época de Genghis Khan

Grande parte da vida de Genghis Khan permanece ainda um mistério, mas um novo estudo de pesquisadores da Austrália e Mongólia fornece novos dados sobre sua época. Genghis Khan, que teria vivido entre 1162 e 1227, …

Índia vê casos explodirem e vira um dos epicentros da pandemia

Com quase 700 mil casos de covid-19, a Índia ultrapassou a Rússia e se tornou nesta segunda-feira (07/07) o terceiro país mais atingido pela pandemia de covid-19 em todo o mundo. O Ministério da Saúde indiano …

Filho interrompe ao vivo de repórter para pedir biscoitos

Em mais uma das patacoadas do home-office, a jornalista Deborah Haynes da Sky News acabou sendo interrompida por seu filho, que fez um pedido bastante singelo para a mãe: ele queria alguns biscoitos. O vídeo foi …

Encontrados metais em crateras da Lua que podem dar pistas sobre sua formação

A hipótese mais aceita sobre a formação da Lua diz que ela surgiu após a colisão entre a Terra e um planeta do tamanho de Marte, chamado Theia. O suposto evento é chamado de “hipótese …

Coronavírus empurra Cuba de volta à crise

Apesar de a covid-19 estar sob controle no país, os problemas econômicos têm se agravado, e a já difícil situação de abastecimento se torna mais crítica. Segundo semestre deve ser ainda pior na ilha caribenha. Cuba …

Boicote ao Facebook: como a debandada de grandes anunciantes pode afetar sobrevivência da rede social

Boicotes podem ser extremamente eficazes: é o que o Facebook está descobrindo. No final do século 18, o movimento abolicionista encorajou o povo britânico a ficar longe de bens produzidos pelos escravos. Funcionou. Cerca de 300 …

Cientista conta quais formas de vida os humanos podem encontrar em Marte

A humanidade tem cada vez mais chances de conhecer outras formas de vida, conforme desenvolve suas capacidades de exploração espacial. Em Marte, poderemos encontrar organismos introduzidos por veículos espaciais e modificados sob influência das condições no …

O coronavírus do ocidente é uma versão mais perigosa do que a original

Esforços são realizados para identificar se o vírus SARS-CoV-2, causador da Covid-19, passou por mutações em relação ao primeiro identificado em Wuhan, na China, em dezembro do ano passado. Em abril, um estudo não revisado pelos …