Evo Morales comemora vitória de seu candidato, Luis Arce, à presidência na Bolívia

De La Paz, na Bolívia, o candidato a presidente Luis Arce e, de Buenos Aires, na Argentina, o ex-presidente Evo Morales comemoram vitória nas eleições tanto para presidente quanto para o Congresso, realizadas neste domingo (18). A presidente Jeanine Áñez, mesmo sem dados oficiais, admitiu a vitória da oposição que voltaria ao poder um ano depois de renunciar. Confirmado o resultado, a Bolívia se afastaria do Brasil e se alinharia com Venezuela e Argentina.

Inicialmente, o ex-presidente da Bolívia, Evo Morales, baseado em dados próprios, anunciou na Argentina, onde está refugiado, que o seu candidato, Luis Arce, foi eleito presidente na votação realizada nesse domingo e que o seu partido conseguiu maioria na Câmara de Deputados e no Senado.

Logo depois, o próprio candidato Luis Arce, apoiado em sondagens de boca de urna, anunciava a volta ao poder do Movimento ao Socialismo (MAS), onze meses depois da renúncia de Evo Morales.

Recuperamos a democracia e recuperamos, sobretudo, a esperança“, disse Luis Arce do escritório central de campanha do MAS, no bairro de Sopocachi, em La Paz, onde horas antes a vizinhança fizera um “panelaço” contra a sua candidatura.

Arce fez o discurso de vitória usando as mesmas palavras que Evo Morales tinha proferido minutos antes. “Vamos governar para todos os bolivianos. Vamos construir um governo de unidade nacional. Vamos reconduzir o nosso processo de mudança sem ódio, aprendendo e superando os nossos erros”, assegurou.

O discurso abordou três eixos: a recuperação da democracia, a união de todos os bolivianos sem rancores e a ideia de que o país era próspero, mas foi desviado do rumo pelo suposto “golpe”. “Estávamos indo por um bom caminho e houve uma mudança brusca, com um golpe de Estado que desestruturou tudo o que estávamos fazendo. O povo boliviano quer retomar o rumo do crescimento e de tudo o que estávamos construindo”, disse Luis Arce.

Evo Morales volta ao poder

Pouco antes, Evo Morales havia anunciado a vitória de Arce, em Buenos Aires. “Me assinalaram a vitória do irmão Lucho (Luis Arce), como presidente, e do irmão David (David Choquehuanca), como vice-presidente. Além disso, o MAS terá maioria nas duas câmaras da Assembleia Legislativa. Irmãos da Bolívia e do mundo, Lucho será o nosso presidente”, declarou Evo Morales em um discurso lido, sob aplausos da militância.

No momento em que o ex-presidente fez o anúncio, não havia ainda nenhuma informação oficial que confirmasse a vitória de seu candidato. Até então, o Tribunal Supremo Eleitoral tinha apurado apenas os primeiros 6% dos votos e o MAS de Evo Morales obtinha 33,3% dos votos, enquanto o candidato do Comunidade Cidadã, Carlos Mesa, obtinha 49,7%.

Nenhum instituto de pesquisa havia ainda anunciado sondagens de boca de urna, o que levou Morales a desconfiar da demora. “Hoje recuperamos a democracia. Recuperamos a pátria. Recuperaremos a estabilidade e o progresso. Recuperaremos a paz. Devolveremos a liberdade e a dignidade ao povo boliviano”, afirmou.

O ex-presidente também chamou as lideranças a um grande acordo nacional para tirar o país da crise. “Devemos deixar de lado as diferenças, os interesses setoriais e regionais para conseguirmos um grande acordo nacional com partidos políticos, empresários, trabalhadores e o Estado. Juntos construiremos um país sem rancores e que nunca recorra à vingança”, disse Morales.

O analista político Raúl Peñaranda não tem dúvidas de que, se a contagem oficial confirmar a vitória, Luis Arce pode ser presidente, mas quem vai governar realmente será Evo Morales. “Ele não só vai voltar à Bolívia, onde há vários processos abertos contra ele, como será quem vai realmente exercer o poder”, garante Peñaranda à RFI.

Bolívia afasta-se do Brasil

O economista e analista político, Carlos Toranzo, uma referência na Bolívia, prefere esperar o resultado oficial, mas disse que, se a vitória de Evo Morales, através de seu candidato Luis Arce, for confirmada, a Bolívia voltará a um alinhamento com a Venezuela e com a Argentina e dará um sinal à esquerda da região de que existe possibilidade de retorno ao poder.

“A disputa na Bolívia é um embate entre as duas posições ideológicas na região representadas no grupo de Puebla e o Grupo de Lima”, indica Carlos Toranzo à RFI.

Se Carlos Mesa ganhar, haverá uma aliança com os governos de centro-direita da região, reunidos no Grupo de Lima que se opõe ao regime de Nicolás Maduro na Venezuela.

Já a vitória de Luis Arce vai significar a volta da Bolívia ao alinhamento com a esquerda da Venezuela e da Argentina, governos que aderem ao Grupo de Puebla. “O resultado pode fortalecer ou não o Grupo de Puebla, esse grupo herdeiro do Foro de São Paulo, onde a esquerda da região se refugia hoje. Seria bom para o Grupo de Puebla ter um novo aliado. Politicamente, demonstraria que o populismo tem capacidade de retorno”, avalia.

Pesquisas de boca de urna

Na Bolívia, para ser eleito no primeiro turno são necessários 50% dos votos ou 40%, desde que haja uma diferença de, pelo menos, dez pontos sobre o segundo colocado.

Na noite deste domingo (18), dois institutos de pesquisa divulgavam sondagens quase idênticas. Segundo a Cies Mori Luis Arce obteve 52,1%, Carlos Mesa, 31,5% e Luis Fernando Camacho, 14,1%. A “Tu Voto Cuenta” apontou a 53% para Luis Arce, 30,8% para Carlos Mesa e 14,1% para Fernando Camacho.

Até mesmo a presidente Jeanine Áñez, inimiga política do MAS, admitiu a vitória da oposição. “Ainda não temos dados oficiais, mas com os dados que dispomos, Arce e Choquehuanca ganharam a eleição”, disse. Já o candidato Carlos Mesa disse, de acordo com seu porta-voz, que “esperará ter a confirmação dos resultados oficiais”.

O presidente do Tribunal Supremo Eleitoral, Salvador Romero, pediu à população “calma e paciência” para a divulgação do resultado final que pode demorar dias.

Todas as sondagens indicavam uma vitória de Luis Arce, mas sem a quantidade suficiente para evitar o segundo turno. Em nenhuma delas, a diferença entre Luis Arce e Carlos Mesa superava os dez pontos necessários para se ganhar no primeiro turno e nenhuma indicava uma votação acima de 50%.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Os estados quânticos mais extremos são descobertos por cientistas

Pela primeira vez, físicos descobriram uma maneira de definir matematicamente o grau de quanticidade que qualquer coisa — seja partícula, átomo, molécula ou mesmo um planeta — exibe A partícula de luz é uma bola zunindo …

Itália supera a marca de 50 mil mortos por COVID-19

Primeiro país ocidental a registrar casos da doença torna-se o sexto do mundo a alcançar esta marca. País é o que mais teve mortes no continente nos últimos dias. O governo italiano informou nesta segunda-feira (23) …

Covid-19: EUA pretendem lançar campanha de vacinação em dezembro

O país, o mais atingido pela epidemia no mundo, espera vacinar sua população 24 horas após a concessão da autorização de emergência pelo FDA, a agência americana reguladora de medicamentos. A reunião pública de …

França quer punir delito de "ecocídio"

Membros do governo francês anunciaram neste domingo (22/11) que pretendem promover uma projeto de lei para punir o "delito de ecocídio" com o objetivo de combater danos graves e intencionais ao meio ambiente, com previsão …

Barco em formato de ziper “abre” os mares enquanto navega

Se na fábula bíblica Moisés abriu o Mar Vermelho, o designer japonês Yasuhiro Suziki decidiu tornar a metáfora quase literal, ao criar um barco no formato de um imenso zíper. O resultado é ao mesmo tempo …

Soldado medieval encontrado com espada e facas no fundo de um lago da Lituânia

Mais de 500 anos atrás, o corpo de um soldado medieval assentou no fundo de um lago da Lituânia e por séculos ficou escondido sob a lama. Agora, esses restos submersos finalmente foram encontrados. O esqueleto …

Como cientistas querem fazer 'viagem no tempo' por meio do olfato

Pinturas como a Mona Lisa atraem milhões de visitantes todos os anos a museus em todo o mundo. Imagine se, junto ao impacto visual da obra-prima de Leonardo da Vinci, eles também pudessem sentir o …

Companhias aéreas que voam para o Brasil em meio à pandemia

Maioria das empresas aéreas cortou rotas internacionais para o Brasil devido ao coronavírus e fechamento de fronteiras. Porém, algumas ainda têm voos programados. Veja a lista. Várias companhias aéreas cortaram voos internacionais para o Brasil devido …

Mais de 500 pescadores contraem doença de pele misteriosa no Senegal

Mais de 500 pescadores foram infectados por um doença de pele misteriosa no Senegal após retornarem do mar, informou um oficial sênior de Saúde do governo nesta quinta-feira (19). Os homens, que vêm de diversas cidade …

Animais domésticos ou silvestres não transmitem Covid-19 na França, diz agência sanitária

Após a análise de novos dados científicos, a agência nacional de segurança sanitária da França (ANSES) atualizou nesta quinta-feira (19) o relatório publicado em abril de 2020 sobre o potencial de transmissão da Covid-19 por …