2 mil anos depois, a rede de estradas romanas ainda gera riquezas

“Todos os caminhos levam a Roma”. Todo mundo já ouviu dizer e a ciência já nos mostrou que o ditado popular é realmente verdade. Um novo estudo mostra agora que a riqueza gerada pelas estradas romanas há 2 mil anos está, ainda hoje, relacionada com o desenvolvimento das cidades que as cercam.

A expressão popular acima mencionada espelha todo o esplendor do Império Romano em um sentido quase literal. De acordo com historiadores, foi no ano 117 que os romanos atingiram o auge da sua expansão geográfica. A sua rede de caminhos e estradas percorria 80 mil quilômetros – cerca de duas voltas inteiras ao redor Terra.

As estradas serviam para o transporte de tropas e mantimentos, que iam abastecendo o império conquista após conquista. Mais tarde, estes caminhos se tornaram rotas de comércio e de transmissão de mensagens.

Todos esses caminhos conectavam a Europa, o Oriente Médio e o norte da África. Atualmente, ainda é possível percorrer estas rotas – e, ao que parece, elas não têm apenas caráter turístico.

Um grupo de economistas da Universidade de Copenhague, na Dinamarca, concluiu que a riqueza gerada por estas estradas – de há quase 2 mil anos – está ligada ao desenvolvimento das cidades e localidades que atualmente as cercam.

Para chegar à conclusão, os pesquisadores compararam um mapa da antiga rede de estradas romanas com um mapa noturno de 2010 – em que é possível ver as áreas mais ou menos iluminadas pela rede elétrica.

Para os economistas é claro: quanto mais luz, maior o progresso econômico da localização. Para complementar a pesquisa, foram também recolhidas estatísticas anuais da população, densidade das estradas e produção econômica.

NASA

Os resultados finais apontam claramente que os lugares mais próximos das antigas rotas romanas tendem a coincidir hoje em dia com os locais onde existem mais acessos, pessoas e desenvolvimento econômico.

Os pesquisadores concluíram que o desenvolvimento de diversas cidades europeias ainda “se deve à persistência de uma notável infraestrutura construída há dois mil anos”, aponta o estudo.

A importância da roda

No entanto, os cientistas perceberam que a relação entre o número de estradas e o desenvolvimento atual não era tão claro no Oriente Médio e no norte da África.

E os cientistas explicam o porquê: entre os anos 500 e 1000, o transporte mais utilizado nestas regiões eram caravanas de camelos, em vez de carroças puxadas por bois. A utilização das caravanas era mais rentável, mas não exigia pavimentação das superfícies e manutenção, perdendo-se assim a possibilidade de manter o acesso durante séculos.

Por tudo isso, e de acordo com o estudo, o investimento em infraestruturas é um fator-chave na procura de um desenvolvimento sustentável e durável.

Ciberia // BBC / ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Nuvem monstruosa de poeira do Saara é observa da espaço vindo em direção a Amazônia

  Todo os anos o deserto do Saara, lá do lado oposto do Oceano Atlântico, sopra uma nuvem tão gigantesca de poeira em direção as Américas que foi apelidada de Godzilla. É a maior destas nuvens em …

Oi? Kanye West compara vacina para COVID-19 com "a marca da besta"

Em nova polêmica, o rapper norte-americano Kanye West fez uma série de revelações sobre como ele enxerga uma possível vacina contra o novo coronavírus (SARS-CoV-2). Durante entrevista concedida para a revista Forbes, o cantor também comentou …

Comentarista da CNN Brasil insinua que gays são promíscuos e ‘têm chance muito maior de ter Aids’

A CNN Brasil convidou o comentarista Leandro Narloch para falar sobre ao vivo sobre a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), de liberar a doação de sangue por parte de homens homossexuais e mulheres transsexuais, …

China detecta rastros de coronavírus em pacotes de alimentos do Equador

A China anunciou nesta sexta-feira (10/07) a suspensão das importações de alimentos do Equador após encontrar rastros do novo coronavírus em embalagens de camarão. Os vestígios foram encontrados em contêineres com pacotes de camarão branco do …

Pesquisadores se deparam com '1º colar' humano de 160.000 anos

Fósseis de conchas de amêijoas de 160 mil anos encontradas em cavernas de Israel são os primeiros exemplares de conchas usadas como adorno no corpo humano, defendem pesquisadores. Há cerca de 160 mil a 120 mil …

A China diz ter identificado uma nova doença muito mais mortal do que o Covid-19

A embaixada da China no Cazaquistão alertou sobre uma nova pneumonia desconhecida que seria ainda mais mortífera do que o coronavírus (Sars-CoV-2) causador Covid-19, de acordo com o South China Morning Post (SCMP). “A taxa de …

The Sims ganhará reality show para premiar jogadores em US$ 100 mil

A longeva franquia The Sims, onde gamers gerenciam todos os aspectos da vida de avatares virtuais, vai ganhar um reality show. Veiculado pela emissora norte-americana CBS, a atração se chamará “Spark’d” e deve ir ao ar …

Nudes de 100 anos encontrados dentro de parede são avaliados em milhares de dólares

O senso comum sugere que as gerações passadas eram mais conservadoras que as atuais, especialmente no que diz respeito à sexualidade. Basta escavarmos um pouco a memória – ou as paredes de nossas casas – para …

Presidente interina da Bolívia testa positivo para covid-19

A presidente interina da Bolívia, Jeanine Áñez, revelou nesta quinta-feira (09/07) que foi infectada pelo novo coronavírus e que iniciará um período de quarentena. "Junto com toda a minha equipe, temos trabalhado pelas famílias bolivianas durante …

Após Bolsonaro tirar máscara em entrevista, ABI entra com ação contra presidente no STF

A Associação Brasileira de Imprensa (ABI) apresentou nesta quinta-feira (9) uma queixa criminal ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra o presidente Jair Bolsonaro, depois que ele tirou a máscara em uma entrevista em que anunciou …