Alemanha vai facilitar cidadania para descendentes de vítimas do nazismo

Felipe Trueba / EPA

Medida é anunciada pelo Ministério do Interior em meio a campanha de grupo britânico que representa pessoas cujos antepassados fugiram da Alemanha nazista. Pedidos de cidadania alemã aumentaram após anúncio do Brexit.

O governo alemão anunciou nesta quinta-feira que está preparando a publicação de um decreto para que descendentes de vítimas do regime nazista obtenham mais facilmente a cidadania alemã. A medida ocorre em meio a uma campanha de um grupo britânico que representa habitantes do Reino Unido com antepassados alemães que fugiram do país natal em meio ao terror nazista.

Ao anunciar o plano, o ministro do Interior da Alemanha, Horst Seehofer, disse: “A Alemanha deve enfrentar sua responsabilidade histórica em relação àqueles que, como descentes de cidadãos alemães que foram perseguidos pelos nazistas, enfrentaram obstáculos para obter a cidadania.”

Pelas atuais regras alemãs, os descendentes de judeus alemães ou de outros antigos cidadãos alemães que foram perseguidos por motivos religiosos ou políticos têm direito a obter cidadania, mas na prática a norma é mais complicada.

Não foi incomum nos últimos anos que centenas de pessoas que se enquadram nesses casos não tenham tido sucesso em seus pedidos. Isso porque uma série de antigas regras restringe o direito para algumas pessoas que apresentam pedidos com base em um antepassado do lado materno, ou quando o pai ou o avô obteve a cidadania de outro país após fugir da Alemanha. Descendentes de alemães que foram adotados por famílias estrangeiras também se deparam com negativas.

Um dos pedidos rejeitados foi o da rabina Julia Neuberger, que nasceu em Londres em 1950, filha de uma judia que deixou a Alemanha para escapar dos nazistas anos antes. As normas não contemplam seu caso. Filhos legítimos nascidos entre 1914 e 1963 só podem adquirir a cidadania alemã de um pai alemão. Só os nascidos após esse período também podem fazê-lo com base no lado materno. “Todos consideramos isso injusto e discriminatório”, disse Neuberger.

Já o oncologista John Yarnold também foi rejeitado porque baseou seu pedido na linha materna. Sua mãe, uma judia nativa de Düsseldorf, deixou a Alemanha em 1938. Para agravar o caso de Yarnold, as autoridades consideraram que sua mãe deixou de ser alemã ao se naturalizar britânica quando se casou com seu pai, um cidadão do Reino Unido, pouco antes do início da Segunda Guerra Mundial. Pelas regras, ela perdeu a cidadania alemã por inciativa própria, ao adquirir outra nacionalidade.

Em dezembro do ano passado, descendentes de alemães perseguidos pelo nazismo formaram no Reino Unido o grupo “Excluídos do Artigo 116”, em referência à seção da Constituição alemã que trata da reinstituição da cidadania. O grupo representa 140 pessoas, a maioria britânicos, mas também habitantes da Austrália, África do Sul, entre outros países, que tiveram seus pedidos de cidadania negados nos últimos anos.

Os líderes admitem que a aprovação do referendo do Brexit em 2016 foi um incentivo para a formação do grupo, e que muitos membros têm interesse em manter uma cidadania de um país-membro da UE quando o Reino Unido deixar o bloco.

Em 2018, o Ministério do Interior alemão recebeu 1.506 solicitações de britânicos com base no artigo 116. Em 2015, antes do referendo do Brexit, foram apresentados apenas 43 pedidos.

“Estivemos na Alemanha para abordar o tema com todos os partidos – com exceção da Alternativa para a Alemanha (AfD)”, disse Felix Couchman, um dos fundadores do grupo, mencionando a sigla populista de direita. “Foi interessante notar que a maioria dos partidos não sabia sobre o que se passa. Foi preciso explicar a eles o que havia de errado, mas eles em geral foram muito acolhedores.”

Segundo adiantou o ministro Seehofer, o novo decreto prevê que aqueles que tiveram seus pedidos rejeitados possam apresentá-los mais uma vez. Além disso, o texto vai garantir que descendentes de mulheres alemãs que perderam a cidadania do país natal antes de 1953 ao se casarem com estrangeiros também sejam elegíveis para a obtenção da cidadania.

O grupo Excluídos do Artigo 116 elogiou a medida, mas também frisou que ainda é preciso fazer mais. Líderes do grupo afirmam que vários pedidos de cidadania demoram até três anos para ser processados, um período muito longo para muitos membros que têm acima de 80 anos. O grupo ainda pede que a própria lei seja modificada por meio da aprovação de nova legislação sobre restituição de cidadania para abarcar mais casos.

Segundo o grupo, o decreto não contempla, por exemplo, descendentes que já vivem na Alemanha e ainda não adquiriram a nacionalidade do país.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Metade da matéria do universo havia sumido, mas foi encontrada

Uma equipe internacional de pesquisadores parece ter finalmente resolvido o “problema dos bárions desaparecidos”. Bárion é uma classificação genérica para um tipo partículas que engloba prótons e nêutrons. Estas partículas, por sua vez, são os blocos …

Máscara elétrica autolimpante que carrega celular deverá custar apenas 1 dólar

Devido à pandemia do coronavírus, diversos especialistas alertam para a, cada vez mais real, possibilidade de usarmos máscaras para sair de casa até, no mínimo, o final do ano. Por isto, diversas empresas estão estendendo …

Bolsonaro bate recorde de rejeição, mostra Datafolha

Na primeira pesquisa feita após divulgação de vídeo da reunião ministerial, 43% dos entrevistados consideram governo ruim ou péssimo. Entre os quatro últimos presidentes eleitos, Bolsonaro é o pior avaliado. O índice de rejeição ao presidente …

Renault detalha plano econômico e anuncia 4.600 cortes na França

A empresa automobilística revelou nesta sexta-feira seu plano de cortes no país que integra um plano de economias de cerca de € 2 bilhões (cerca de R$ 12 bilhões) em três anos. A Renault …

Asteroide que dizimou os dinossauros teria atingido a Terra em "ângulo letal"

A teoria mais aceita é a de que os dinossauros foram extintos após um asteroide atingir a Terra de maneira catastrófica há 66 milhões de anos, causando danos sem precedentes em todo o planeta. Agora, segundo …

Repórter da CNN é preso ao vivo em protesto por morte de homem negro. Trump pede tiros em manifestantes

Minneapolis vive uma escalada de violência provocada por um policial branco que matou, de forma brutal, um homem negro. George Floyd foi asfixiado pelo joelho do oficial enquanto era filmado em plena luz do dia. Nem …

Diário de oficial nazista revela suposta localização de toneladas de ouro em castelo

Pesquisadores que buscam bilhões de dólares em tesouros nazistas roubados da Europa acreditam ter encontrado a localização de toneladas de ouro debaixo de antigo castelo alemão. Os pesquisadores acreditam ter encontrado 28 toneladas de ouro roubadas …

Coreia do Sul registra aumento de casos de coronavírus e teme nova onda da epidemia

A Coreia do Sul anunciou nesta quinta-feira (28) o maior aumento de novas contaminações por coronavírus em quase dois meses, devido a um surto de casos em um armazém de uma empresa de comércio …

Desigualdade eleva letalidade da covid na favela, diz estudo

Quase todos os dias, com ou sem pandemia, a diarista Joceliane Gomes Santos de Freitas, 29 anos, sai de casa às 7h em Barra do Ceará, comunidade de Fortaleza onde mora com o marido e …

Descoberta galáxia raríssima em forma de "anel de fogo" a 10 bilhões de anos-luz

Astrônomos capturaram uma imagem de uma galáxia localizada a cerca de 10,8 bilhões de anos-luz de distância. Mas o que realmente impressionou os pesquisadores é que se trata de um tipo muito raro: uma galáxia …