Trump diz que “milhões de votos ilegais” o impediram de ganhar a eleição pelo voto popular

O presidente eleito dos EUA Donald Trump afirmou esse domingo (27) que, além de ter garantido em 8 de novembro a maioria dos grandes eleitores, também venceu no voto popular face à rival Hillary Clinton, alegando terem havido “milhões de votos ilegais” – mas não apresentou nenhuma prova disso.

Eleições EUA

Nos últimos dias, em plena celebração do dia Ação de Graças, a polêmica aumentou quando a ex-candidata ecologista à Casa Branca, Jill Stein, decidiu exigir a recontagem de votos nos estados de Wisconsin, Pensilvânia e Michigan.

Esses estados decisivos foram ganhos por uma curta margem pelo republicano Donald Trump. A campanha de Hillary Clinton já anunciou que vai participar na recontagem dos votos em Wisconsin. E Trump não gostou nada da história.

“Além de uma vitória esmagadora no colégio eleitoral, ganhei o voto popular se anularem os milhões de pessoas que votaram ilegalmente”, acusou no Twitter o futuro 45ª presidente dos Estados Unidos, que em 20 de janeiro será o novo inquilino da Casa Branca.

Segundo o sistema de escrutínio universal indireto, Donald Trump venceu as presidenciais com 290 grandes eleitores contra 232 para Hillary Clinton, num total de 538 para os 50 estados norte-americanos e a capital Washington. Os 16 grandes eleitores do Michigan que deverão ser atribuídos à candidatura de Trump ainda não foram oficialmente anunciados.

No sufrágio popular, o resultado eleitoral indicou que a democrata obteve mais dois milhões de votos que o republicano.

Nos três estados onde a votação foi contestada, o presidente eleito garantiu 100 mil votos de avanço: 20 mil votos no Wisconsin, 70 mil na Pensilvânia e 10 mil no Michigan.

Entretanto, o Presidente eleito voltou ao ataque no Twitter e acusou “graves fraudes eleitorais em Virgínia, New Hampshire e Califórnia – porque é que a mídia não noticiam isto? Enviesamento sério – grande problema!”.

Vários especialistas e jornalistas políticos alertam para a falsidade das alegações de Trump, sublinhando suas implicações futuras. Ezra Klein, fundador do portal Vox.com e cronista do Washington Post, comentou que “o mais assustador não é o fato do tweet de Trump ser falso. É o fato de que ele provavelmente pensa que é verdade”. Já David Frum, editor da revista The Atlantic, comenta que os tweets de Trump sobre as votações “podem ser um alerta para o fato de que o direito de voto pode estar prestes a se tornar mais difícil para milhões de pessoas“.

Recontagens

Ainda ontem, Trump e seus conselheiros censuraram vivamente a equipe de Clinton por querer participar na recontagem dos votos no Wisconsin. No Twitter, o milionário recordou à sua rival o momento da campanha em que Clinton o exortou a respeitar o resultado caso a democrata vencesse o escrutínio.

“Tanto tempo e tanto dinheiro que estão a despender, para um mesmo resultado!”, escreveu o homem de negócios.

“O povo se exprimiu e esta eleição está terminada”, tinha referido no sábado, ao considerar “ridícula” a iniciativa da ecologista Jill Stein que recolheu milhões de dólares para financiar seu pedido. Apesar de pretender participar na iniciativa, a equipe de Clinton já esclareceu que não detectou irregularidades em Wisconsin.

Kellyanne Conway, uma conselheira de Trump, aproveitou para denunciar uma “desconcertante recontagem” e apelou aos democratas para não serem “maus perdedores”.

Na cadeia televisiva NBC, Conway revelou que o presidente eleito e seu antecessor, Barack Obama, mantiveram no sábado uma conversa telefônica de 45 minutos.

“Da parte do presidente eleito Trump, posso adiantar que ele gosta muito de falar com o Presidente Barack Obama, evocar as questões graves com que este país e o mundo se confrontam”, afirmou. “Eles se entendem bem. Estão em desacordo sobre vários pontos, e isso não vai mudar. Mas se respeitam e respeitam o processo e a transição sem sobressaltos do poder”.

Donald Trump passou o fim de semana prolongado do dia de Ação de Graças em seu luxuoso complexo de golfe na Flórida, para acertar a elaboração do seu governo, havendo muita expectativa especialmente sobre a escolha do nome para a estratégica pasta da diplomacia.

No sábado, o New York Times publicou uma reportagem sobre os potenciais conflitos de interesses do futuro Presidente Trump, por conta de suas parcerias comerciais – muitas vezes conturbadas – por todo o mundo.

ZAP / Lusa

COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Trump nao precisa de provas.
    1- Mr Obama soltou um tonelada de presos, pouco antes da eleicao. Por que?
    2- os Democratas estao em luta para que nao seja exigida carteira de identidicacao para votar. ” e discrimibacao, provar que voce e voce mesmo”
    3- um endereco residencial na California, tinha 80 pessoas registradas.
    4- deveriamos verificar se mais veteranos da PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL votaram novamente. Eles votaram para o Obama e isso e provado.
    Chega ou quer mais?

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …

Em último vídeo do mandato, Merkel pede que população se vacine

A chanceler alemã Angela Merkel, que deixará o poder na próxima quarta-feira (8), voltou a defender neste sábado (4) a vacinação contra a Covid-19, no último de uma série de mais de 600 vídeos …

Descobrem na China ferramenta de marfim de 99 mil anos, possivelmente a mais antiga do país

Pesquisadores desenterraram uma pá de marfim datada de há cerca de 99.000 anos em um sítio arqueológico do Paleolítico na província chinesa de Shandong. Acredita-se que o objeto seja uma das primeiras ferramentas de osso utilizadas …