Após 25 anos de estudos, cientistas descobrem como chuva se forma na Amazônia

Neil Palmer / Wikimedia

Fotografia aérea de uma pequena parte da Amazônia brasileira próxima à Manaus

Fotografia aérea de uma pequena parte da Amazônia brasileira próxima à Manaus

Por suas características especiais, as grandes massas de nuvens que provocam chuvas na Amazônia influenciam o clima de todo o continente, mas até agora a ciência não sabia explicar como elas se formam e como se desenvolvem. Um novo estudo, publicado nesta terça-feira, na revista Nature, acaba de acrescentar a peça que faltava no quebra-cabeças.

De acordo com um dos autores do estudo, o físico Paulo Artaxo, do Instituto de Física da Universidade de São Paulo (USP), havia 25 anos que os cientistas tentavam descobrir como se formavam as partículas que permitem a formação das nuvens de chuva na região amazônica.

“Para que as nuvens de chuva se formem, é preciso que existam partículas em suspensão – os aerossóis – que servem como núcleo para a formação das gotas. Mas há 25 anos temos medido a distribuição dessas partículas sobre a floresta e elas não existiam em quantidade suficiente para permitir tantas chuvas. As contas não fechavam. Era um grande mistério”, disse Artaxo ao Estado.

A própria chuva, segundo Artaxo, “lava” os aerossóis no ar sobre a floresta, tornando teoricamente impossível a formação de novas nuvens. “Descobrimos que as partículas que permitem a chuva estavam se formando, sim, mas não onde pensávamos: elas se formam na alta atmosfera, a cerca de 15 quilômetros da superfície”, disse.

De acordo com o cientista, o processo começa quando os gases orgânicos voláteis que são emitidos pela floresta são levados à alta atmosfera pelas correntes ascendentes que existem dentro das nuvens.

“Naquela altitude, encontramos nanopartículas que têm de 1 a 10 nanômetros de diâmetro. Com a baixa pressão e os 55 graus negativos da alta atmosfera, essas nanopartículas se fundem aos compostos orgânicos que vieram da floresta e formam partículas 10 vezes maiores”, disse.

As correntes descendentes das nuvens, então, fazem com que as novas partículas, formadas nas alturas, desçam até a floresta. “Esse mecanismo repõe os aerossóis que haviam sido eliminados pelas chuvas – e assim permite a formação de novas nuvens”, explicou o cientista.

Segundo Artaxo, a descoberta só foi possível graças à utilização de um avião científico a jato, da Alemanha, equipado com sensores de alta tecnologia e capaz de voar a até 18 quilômetros de altitude.

“Antes, só tínhamos medidas feitas por aviões convencionais, que coletam dados a até quatro quilômetros”, disse. Segundo ele, os estudos com o avião fazem parte do projeto internacional Green Ocean Amazon (GOAmazon), que tem o objetivo de mapear as emissões urbanas na química da atmosfera da floresta.

“O objetivo do projeto é outro, mas acabamos desvendando esse importante mecanismo.”

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Confira o que cérebro de abelhas tem em comum com o de humanos

Segundo cientistas, existem semelhanças entre a atividade cerebral das abelhas-europeias e a dos humanos, o que poderia levar abelhas a serem usadas para estudar funções cerebrais dos humanos. As oscilações alfa (a atividade eléctrica gerada pelo …

Síndrome bizarra: esse é o primeiro caso de uma pessoa que urina álcool

Médicos do hospital da Universidade de Pittsburgh Medical Center (EUA) relataram o primeiro caso de uma síndrome bizarra na qual a pessoa urina álcool. Em outras palavras, o álcool se forma naturalmente na sua bexiga, …

Amazon abre seu primeiro supermercado que não aceita dinheiro

Dois anos depois de a Amazon inovar no ramo das lojas de conveniência abrindo a sua própria rede que aceita apenas pagamentos virtuais, a empresa está pronta para dar o próximo passo: nesta terça-feira (25), …

Não há motivo para pânico por coronavírus no Brasil, dizem especialistas

O primeiro caso do novo coronavírus no Brasil, confirmado nesta quarta-feira (26/02), levou o estado de São Paulo, onde reside o paciente infectado, a montar um centro de contingência para enfrentamento da doença. Quatro mil leitos, …

Abolição da pena de morte no Colorado entra em vigor em julho

O Colorado, no oeste americano, se tornou o vigésimo segundo estado dos Estados Unidos a abolir a pena capital, depois de um intenso e longo debate, especialmente por parte da oposição republicana. O fim da …

Cannabis tem potencial terapêutico como antibiótico, segundo cientistas

Uma equipe de cientistas da Universidade McMaster, no Canadá, estabeleceu que o canabigerol (CBG) tem potencial no tratamento de bactérias patogênicas. Cientistas da Universidade McMaster no Canadá identificaram um composto antibacteriano gerado pela maconha que poderia …

Escócia será o primeiro país a distribuir absorventes menstruais gratuitamente

O Parlamento autônomo da Escócia deu um passo em direção à gratuidade dos absorventes higiênicos para mulheres - decisão inédita no mundo. A proposta de lei foi votada por 112 deputados e visa lutar contra …

Não precisa sofrer. Carnaval começa cedo em 2021

Com a chegada da quarta-feira de Cinzas, está declarado o fim do Carnaval 2020… Ok, vai… Dá para fazer mais um bota fora na sexta e sábado dessa semana, pois, como sempre, brasileiro dá o …

Coronavírus: antiga vacina pode ter resposta para prevenção contra Covid-19

Novos casos do coronavírus SARS-CoV-2 continuam a se espalhar pelo mundo, mesmo que em velocidade menor de propagação, e sem nenhuma vacina ou medicamento para a prevenção — pelo menos até agora. Já são mais de …

Líderes políticos condenam apoio de Bolsonaro a ato anti-Congresso

Presidente teria compartilhado com aliados convocação para manifestações a seu favor e contra o Legislativo. Lula, FHC, OAB e outras lideranças alertam contra ameaça às instituições democráticas e à Constituição. Líderes políticos de várias correntes e …