Após 25 anos de estudos, cientistas descobrem como chuva se forma na Amazônia

Neil Palmer / Wikimedia

Fotografia aérea de uma pequena parte da Amazônia brasileira próxima à Manaus

Fotografia aérea de uma pequena parte da Amazônia brasileira próxima à Manaus

Por suas características especiais, as grandes massas de nuvens que provocam chuvas na Amazônia influenciam o clima de todo o continente, mas até agora a ciência não sabia explicar como elas se formam e como se desenvolvem. Um novo estudo, publicado nesta terça-feira, na revista Nature, acaba de acrescentar a peça que faltava no quebra-cabeças.

De acordo com um dos autores do estudo, o físico Paulo Artaxo, do Instituto de Física da Universidade de São Paulo (USP), havia 25 anos que os cientistas tentavam descobrir como se formavam as partículas que permitem a formação das nuvens de chuva na região amazônica.

“Para que as nuvens de chuva se formem, é preciso que existam partículas em suspensão – os aerossóis – que servem como núcleo para a formação das gotas. Mas há 25 anos temos medido a distribuição dessas partículas sobre a floresta e elas não existiam em quantidade suficiente para permitir tantas chuvas. As contas não fechavam. Era um grande mistério”, disse Artaxo ao Estado.

A própria chuva, segundo Artaxo, “lava” os aerossóis no ar sobre a floresta, tornando teoricamente impossível a formação de novas nuvens. “Descobrimos que as partículas que permitem a chuva estavam se formando, sim, mas não onde pensávamos: elas se formam na alta atmosfera, a cerca de 15 quilômetros da superfície”, disse.

De acordo com o cientista, o processo começa quando os gases orgânicos voláteis que são emitidos pela floresta são levados à alta atmosfera pelas correntes ascendentes que existem dentro das nuvens.

“Naquela altitude, encontramos nanopartículas que têm de 1 a 10 nanômetros de diâmetro. Com a baixa pressão e os 55 graus negativos da alta atmosfera, essas nanopartículas se fundem aos compostos orgânicos que vieram da floresta e formam partículas 10 vezes maiores”, disse.

As correntes descendentes das nuvens, então, fazem com que as novas partículas, formadas nas alturas, desçam até a floresta. “Esse mecanismo repõe os aerossóis que haviam sido eliminados pelas chuvas – e assim permite a formação de novas nuvens”, explicou o cientista.

Segundo Artaxo, a descoberta só foi possível graças à utilização de um avião científico a jato, da Alemanha, equipado com sensores de alta tecnologia e capaz de voar a até 18 quilômetros de altitude.

“Antes, só tínhamos medidas feitas por aviões convencionais, que coletam dados a até quatro quilômetros”, disse. Segundo ele, os estudos com o avião fazem parte do projeto internacional Green Ocean Amazon (GOAmazon), que tem o objetivo de mapear as emissões urbanas na química da atmosfera da floresta.

“O objetivo do projeto é outro, mas acabamos desvendando esse importante mecanismo.”

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Embraer negocia sua divisão de carros voadores com a norte-americana Zanite

A Embraear confirmou nesta quinta-feira (10) que iniciou negociações com a empresa norte-americana Zanite Acquisition para realizar a fusão de sua divisão Eve Air Mobility. A unidade é responsável pelo desenvolvimento de veículos elétricos de pouso …

NASA flagra 'choque cósmico' impressionante a 140 milhões de anos-luz da Terra

A NASA compartilhou a imagem de um sistema galáctico, denominado Arp 299, que consiste em duas galáxias que estão em meio a uma fusão. A imagem mostra dois objetos próximos de forma oval, emitindo feixes de …

Infecção por dengue cai 77% em teste com bactéria em mosquito Aedes Aegypti

Um método que usa bactérias em mosquitos conseguiu reduzir em 77% os casos de dengue, segundo um estudo publicado na prestigiosa revista científica The New England Journal of Medicine. O estudo, realizado na cidade de Yogyakarta …

Por que especialistas são contra dispensar máscaras no Brasil

Após Bolsonaro propor fim da obrigatoriedade da proteção facial para vacinados ou pessoas que já superaram uma infecção pelo coronavírus, especialistas classificam ideia de "absurda" e "temerária". A necessidade do uso de máscaras para conter a …

Por que Brasil ainda não pode relaxar uso de máscaras como os EUA fizeram

Amplamente recomendada por cientistas e alvo de desdém do presidente ao longo da pandemia, a máscara facial contra a covid-19 poderá ter seu uso flexibilizado no Brasil, segundo anunciou Jair Bolsonaro nesta quinta-feira (10/6). No …

STF autoriza Copa América no Brasil

Ministros do Supremo Tribunal Federal formam maioria para rejeitar ações que visavam impedir competição de seleções. Patrocinadores retiram suas marcas do evento após controvérsias e preocupações com avanço da pandemia. O Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou, …

China aprova vacina contra covid-19 para crianças com mais de três anos

Autorização de uso emergencial foi confirmada pela farmacêutica chinesa Sinovac, fabricante da Coronavac. No entanto, ainda não foi informado quando essa faixa etária começará a ser vacinada. A China aprovou o uso emergencial de uma vacina …

Por que falar palavrão nos dá uma sensação tão boa?

Todos nós já passamos por isso quando damos uma topada, somos fechados no trânsito ou derramamos café. De repente, soltamos um xingamento inflamado. Instintivamente, buscamos um palavrão e, como num passe de mágica, obtemos um certo …

A consciência humana cria a realidade?

Existe uma realidade física que é independente de nós? A realidade objetiva existe? Ou a estrutura de tudo, incluindo o tempo e o espaço, é criada pelas percepções do observador? A afirmação inovadora vem de um …

Primeiro caso humano de hantavírus é detectado em Michigan

Trata-se de uma mulher adulta, que foi hospitalizada por uma doença pulmonar grave causada pelo vírus. O Departamento de Saúde do estado norte-americano de Michigan (MDHHS, na sigla em inglês) detectou o primeiro caso humano de …