Rota mortífera: Argélia abandona milhares de imigrantes no deserto do Saara

Em 14 meses, a Argélia abandonou milhares de imigrantes no Saara, obrigando-os a atravessar o deserto sem água ou comida. Desde 2014, teriam morrido cerca de 30 mil pessoas.

A Argélia tem obrigado milhares de imigrantes a atravessar o deserto do Saara, sem água ou comida. Nos últimos 14 meses, a Organização Internacional das Migrações (OIM) estima que 13 mil migrantes tenham estado nessa situação. Desde 2014, teriam morrido cerca de 30 mil pessoas no deserto.

De acordo com o Público, morrem ainda mais imigrantes no deserto do Saara do que no Mediterrâneo. Entre as vítimas, estão mulheres grávidas e crianças.

O alerta é dado pela Organização Internacional das Migrações e pelo Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (ACNUR), mas o assunto não é de agora.

O abandono de imigrantes começou no ano passado, quando a União Europeia começou a pressionar os países do norte da África para desmobilizarem os imigrantes que quisessem ir para a Europa através do Mar Mediterrâneo.

Segundo a TSF, a expulsão de imigrantes é permitida desde que seja feita nos termos da lei internacional. No entanto, não é o que está acontecendo na Argélia, pois o país não recorre às verbas oferecidas pela União Europeia para ajudar com a crise migratória.

Os imigrantes são colocados em caminhões e viajam durante horas até chegar a um local conhecido como Ponto Zero. Lá, os imigrantes são abandonados e obrigados a caminhar a pé em direção ao Níger, uma distância de cerca de 15 quilômetros, debaixo de temperaturas que podem chegar aos 48 graus.

A Organização Internacional para as Migrações ainda não tem estimativas do número de mortos no deserto do Saara, mas a referência é de 30 mil desde 2014.

No que diz respeito à expulsão de imigrantes, a Argélia não publica seus dados. No entanto, a Organização Internacional para as Migrações tem os próprios números e adianta que, desde que começou a contabilização, em maio do ano passado, os números não param de aumentar.

Em abril, por exemplo, foram mais de 2.800 os migrantes nessa situação. “A escala das expulsões que estou vendo agora, nunca tinha visto nada parecido. É uma catástrofe”, disse à Associated Press Alhoussan Adouwal, responsável da OIM na localidade de Assamaka (Níger).

Tanto a OIM como a ACNUR têm equipes no deserto e, algumas vezes, chegam mesmo a conseguir salvar quem encontram vagueando no calor infernal. Mas há muitos imigrantes que não aguentam essa rota mortífera pela sobrevivência.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Destroços de navio de centenas de anos são encontrados na Polônia

Arqueólogos encontraram um navio naufragado de várias centenas de anos, bem como uma ponte destruída da 2ª Guerra Mundial em um rio polonês. Arqueólogos encontraram um navio naufragado de várias centenas de anos, bem como uma …

Por que cientistas estão determinados a provar que Einstein estava errado

Ano entra, ano sai, e tanto a lei dos corpos em queda de Galileu Galilei quanto a teoria da relatividade de Albert Einstein são testadas novamente apenas para os pesquisadores confirmarem pela enésima vez que …

Bolsonaro faz apologia à ignorância, afirmam historiadoras no jornal Le Monde

  O jornal Le Monde que chegou às bancas na tarde desta segunda-feira (27) traz um texto de meia página criticando a política cultural em vigor atualmente Brasil. Assinado por duas historiadoras francesas e uma brasileira, …

OMS considera elevado risco global de coronavírus

A Organização Mundial da Saúde admitiu nesta segunda-feira (27/01) um erro na avaliação de risco global do novo coronavírus, que surgiu na China, e disse que o nível correto é elevado. Anteriormente, ele havia sido …

Quem é Vanessa Nakate, ativista negra cortada de foto com Greta em Davos

O tema era o meio-ambiente, mas o debate sofre o futuro da humanidade ganhou outros vultos quando a jovem ativista climática de Uganda, Vanessa Nakate, descobriu que havia sido cortada pela agência de notícias Associated …

Sobreviventes retornam a Auschwitz nos 75 anos da libertação

Autoridades de 50 países participam da solenidade no antigo campo de concentração na Polônia, em meio a temores pelo aumento do antissemitismo. "Precisamos tomar cuidado para que não volte a acontecer", diz sobrevivente. Mais de 200 …

Por que cientistas querem tanto provar que Einstein e Galileu estavam errados

Ano entra, ano sai, e tanto a lei dos corpos em queda de Galileu Galilei quanto a teoria da relatividade de Albert Einstein são testadas novamente apenas para os pesquisadores confirmarem pela enésima vez que …

Morreu Kobe Bryant, um dos maiores astros da NBA

Neste domingo (26), o astro do basquete norte-americano, Kobe Bryant, faleceu em acidente de helicóptero, na cidade de Los Angeles, nos EUA. Autoridades e testemunhas levantam as primeiras hipóteses sobre a causa da queda. O lendário …

Coronavírus terá impacto no PIB chinês e na economia global

A nova epidemia de coronavírus é um balde de água fria na cabeça do mundo. A começar pelos chineses. Em 2003, o último vírus mortal se propagando pelo mundo inteiro – o SARS – …

Abelhas adoram cannabis e este caso de amor pode ajudar a salvar a espécie

Consideradas os seres vivos mais importantes do planeta, as abelhas são animais insubstituíveis, dos quais dependemos para viver. No entanto, nas últimas décadas, devido ao aquecimento global e o uso execessivo de pesticidas, elas estão …