Astrônomos acabam de descobrir o maior cometa da história

Foram detectados os primeiros sinais de atividade em um cometa gigantesco de tamanho recorde.

Os astrônomos da Nova Zelândia foram os primeiros a detectar um coma, ou zona de gás e poeira, espalhando-se ao redor do megacometa C/2014 UN271, também conhecido como Bernardinelli-Bernstein, que pode ser mil vezes mais massivo do que um cometa típico. Pode ser o cometa mais massivo já encontrado na história.

A equipe que monitora imagens capturadas pelo Observatório Las Cumbres (LCO) está espalhada pelo mundo, e imagens de um dos telescópios de um metro da LCO hospedados no Observatório Astronômico sul-africano estavam disponíveis em 23 de junho à meia-noite EDT (0400 GMT). Acontece que é tarde na Nova Zelândia.

“As outras pessoas estavam dormindo”, lembrou Michele Bannister, membro da equipe da LCO, da Universidade de Cantuária, na Nova Zelândia, em um comunicado divulgado quarta-feira (14 de julho).

À primeira vista, no entanto, ela pensou que as novas imagens eram inúteis, graças ao problema sempre presente dos satélites que atravessam o campo de visão dos telescópios.

“A primeira imagem mostrou o cometa obscurecido pelo rastro de um satélite”, continuou ela. “Mas então as outras foram claras o suficiente, e Deus: lá estava ele, definitivamente um belo ponto felpudo, não totalmente nítido como suas estrelas vizinhas.”

O que chamou a atenção de Bannister foi um coma “espumoso” emergindo a uma distância incrível do sol. Quando a imagem foi tirada, Bernardinelli-Bernstein estava a cerca de 19 unidades astronômicas (UA) do sol. (Uma UA é a distância média terra-sol – cerca de 150 milhões de quilômetros). Aproximadamente o dobro da distância orbital de Saturno do sol. Energia solar nessa distância é uma fração do que temos aqui na Terra.

Dito isto, o cometa tem muita massa disponível para aquecer. Estima-se que o enorme núcleo de Bernardinelli-Bernstein tenha mais de 100 km de diâmetro, três vezes maior que o maior núcleo de cometa — o do cometa Hale-Bopp, um famoso cometa que foi visto a olho nu, que passou pela Terra em 1998. Infelizmente para astrônomos ansiosos, no entanto, Bernardinelli-Bernstein não se aproximará muito do nosso planeta para observações.

A aproximação mais próxima de Bernardinelli-Bernstein ao sol ainda estará além de Saturno em janeiro de 2031, mas os astrônomos têm uma década para planejar a abordagem. Telescópios terráqueos e no espaço, juntamente com qualquer sonda espacial que esteja por perto, observarão o cometa para aprender o máximo possível sobre sua composição e história.

“Agora há um grande número de pesquisas, como o Zwicky Transient Facility e o próximo Observatório Vera C. Rubin, que estão monitorando partes do céu todas as noites”, disse Tim Lister, cientista da equipe da LCO, no mesmo comunicado.

“Essas pesquisas podem fornecer alertas se um dos cometas mudar o brilho de repente”, acrescentou. “Então podemos acionar os telescópios robóticos da LCO para obter dados mais detalhados.”

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

“Bolsonaro não está dando os anéis, mas os dedos para tentar salvar o braço”, diz cientista política

O novo ministro super poderoso do governo de Jair Bolsonaro, Ciro Nogueira, nomeado para a Casa Civil, toma posse esta semana. Apesar de todo o fisiologismo, a analista Graziella Testa, da Escola de Políticas …

Não vacinados ameaçam combate à covid nos EUA

Em meio à disseminação de teorias da conspiração e a uma alta das infecções pelo coronavírus entre não vacinados, autoridades de saúde dos EUA lutam para convencer mais pessoas a se imunizarem contra a covid-19. Em …

Helicóptero da NASA estabelece novo recorde durante seu 10º voo em Marte

Neste sábado (24) o pequeno helicóptero da NASA em Marte, Ingenuity, conseguiu ultrapassar a marca de 1,6 km de distância percorrida acumulada após sobrevoar uma região rochosa na cratera Jezero. No sábado, o helicóptero robótico completou …

A curiosa rejeição de parte dos franceses ao passaporte sanitário na pandemia

No país onde o debate é uma espécie de esporte nacional, qualquer imposição verticalizada do governo pode ser considerada um acinte. Desde a Revolução, os franceses alimentam uma espécie de ojeriza ao compulsório que …

Astrônomo amador descobre nova lua na órbita de Júpiter

O corpo celeste recebeu o nome provisório de EJc0061 e mais provável é que seja um novo membro do grupo Carme, que orbita o planeta junto a outras 78 luas. O estudante Kai Ly se tornou …

Microsoft diz que 70% dos brasileiros já foram alvos do golpe de suporte técnico

Imagine estar navegando pela internet e se deparar com uma janela afirmando que há algo de errado com sua instalação do Windows. Ao clicar, você consegue entrar em contato com um técnico, que dá instruções …

Orçamento recorde não salva Jogos Olímpicos de Tóquio do desânimo causado pela Covid-19

Os jornais franceses desta detalharam o desafio dos organizadores dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, que começaram oficialmente nesta sexta-feira (23) sob a ameaça da Covid-19 e uma impopularidade recorde no Japão. Para a imprensa …

Comunidade LGBTQ da Hungria teme repressão e perseguições

Nos últimos meses, Boldizsár Nagy teve que lidar com situações que nunca imaginara. Por muito tempo, ele foi um jornalista e editor de livros infantis desconhecido, "ninguém especial", em suas próprias palavras. Quando, em 2020, ele …

68 anos! Conheça a história do homem com a maior crise de soluço do mundo

Você provavelmente já teve soluços ao longo da vida, certo? Alguns minutos de soluço são suficientes para deixar qualquer um emburrado. Mas já pensou soluçar por nada menos que 68 anos seguidos? Pois foi isso …

Mesmo após crise gerada por pandemia, Brasil terá 10 milhões de desempregados, dizem economistas

Com a aceleração da vacinação na maior parte do país, os brasileiros já começam a vislumbrar uma luz no fim do túnel da pandemia do coronavírus. Diante da perspectiva de gradual volta à normalidade, espera-se …