Astrônomos detectam estrelas que fugiram de guerra gravitacional

NASA / ESA

Nebulosa Kleinmann-Low, parte do complexo da Nebulosa de Órion

Nebulosa Kleinmann-Low, parte do complexo da Nebulosa de Órion

Enquanto os descobridores portugueses do século XV exploravam terras africanas, um grupo de estrelas travava uma guerra estelar na distante Nebulosa de Órion. As estrelas lutavam entre si num conflito gravitacional, que terminou com o sistema se afastando e com pelo menos três estrelas expelidas em direções diferentes.

As velozes estrelas passaram despercebidas durante centenas de anos até que, nas últimas décadas, duas delas foram detectadas em observações de rádio e luz infravermelha, comprimentos de onda que podem penetrar a espessa poeira da Nebulosa de Órion.

As observações mostraram que as duas estrelas viajavam a altas velocidades em direções opostas uma à outra. A origem das estrelas, no entanto, era um mistério.

Os astrônomos traçaram o caminho de ambas as estrelas 540 anos para o passado, até ao mesmo local, e sugeriram que faziam parte do mesmo, atualmente extinto, sistema múltiplo. Mas a energia combinada da dupla não batia certo. Os investigadores argumentaram que deveria haver pelo menos uma outra estrela que roubou energia do lançamento estelar.

Agora, o Telescópio Espacial Hubble da NASA ajudou os astrônomos a descobrir a peça final do quebra-cabeça ao encontrar a terceira estrela fugitiva. Os astrônomos seguiram o percurso da estrela recém-descoberta de volta ao mesmo local onde as duas estrelas anteriormente conhecidas estavam localizadas há 540 anos.

O trio reside numa pequena região de jovens estrelas chamada Nebulosa Kleinmann-Low, perto do centro do vasto complexo da Nebulosa de Órion, a 1300 anos-luz da Terra.

“As novas observações do Hubble fornecem provas muito fortes de que as três estrelas foram expelidas de um sistema múltiplo,” afirma o pesquisador principal Kevin Luhman, da Universidade Estatal da Pensilvânia, EUA.

NASA / ESA / Z. Levy

Quando duas estrelas se fundem ou formam um binário apertado, esse fenômeno libera energia

Quando duas estrelas se fundem ou formam um binário apertado, esse fenômeno libera energia

Os astrônomos já tinham encontrado, anteriormente, alguns outros exemplos de estrelas em rápido movimento que traçaram de volta a sistemas estelares múltiplos e que provavelmente foram afastadas. Mas estas três estrelas são os exemplos mais jovens de estrelas ejetadas.

Segundo o estudo publicado na publicados na revista The Astrophysical Journal Letters, as estrelas têm provavelmente apenas algumas centenas de milhares de anos, o que significa que são jovens o suficiente para albergar discos de material deixado para trás na sua formação.

Todas as três estrelas se movem extremamente depressa para fora da Nebulosa Kleinmann-Low, a quase 30 vezes a velocidade da maioria dos habitantes estelares da nebulosa.

As três estrelas provavelmente foram expulsas do seu lar natal quando se envolveram num “jogo de bilhar” gravitacional, comenta Luhman.

Com base em simulações de computador, os astrônomos preveem que estas guerras gravitacionais ocorram em conjuntos estelares jovens, onde as estrelas recém-nascidas se aglomeram.

Através da comparação de imagens da nebulosa, obtidas pelo James Webb Space Telescope, com aquelas obtidas anos antes pelo Hubble, os astrônomos esperam identificar mais estrelas fugitivas que se separaram de outros sistemas múltiplos.

// ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Sarampo causou mais de 140 mil mortes em 2018

De acordo com OMS, maioria das vítimas tinha menos de cinco anos de idade e não havia sido vacinada. No ano passado, foram registrados quase 10 milhões de casos da doença no mundo. O sarampo causou …

O que contribuiu em peso para o 'colapso maia'?

Pesquisas recentes reforçam a teoria de que o colapso de muitas das grandes cidades maias mesoamericanas estava relacionado a períodos prolongados de seca, alguns de até 200 anos. Nayelli Jiménez Cano, pesquisadora do Laboratório de Zooarqueologia …

Com 39% da população abaixo da linha da pobreza, Ruanda patrocina PSG e causa polêmica

O time de futebolParis Saint-Germain (PSG) divulgou nesta quarta-feira (4), uma parceria de três anos com o governo de Ruanda, sem especificar o valor. Em maio de 2018, o país africano já havia assinado um acordo …

Os pássaros estão encolhendo, e você nunca vai adivinhar por quê

De acordo com um novo estudo americano, devido a mudança climática, os pássaros estão encolhendo em tamanho, embora a envergadura de suas asas esteja ficando maior. “Descobrimos que quase todas as espécies estavam ficando menores. As …

Navio de combate alemão da 1ª Guerra Mundial é encontrado nas Malvinas

Um cruzador alemão, afundado pelos britânicos durante a Primeira Guerra Mundial em 8 de dezembro de 1914, foi achado perto da costa das ilhas Malvinas. Trata-se do SMS Scharnhorst, principal navio da esquadra do almirante Maximilian …

Impeachment de Trump avança nos EUA: entenda o caso em poucas palavras

Você já deve ter ouvido falar que a reação a um polêmico telefonema com um líder estrangeiro ameaça o futuro da Presidência de Donald Trump. O presidente americano enfrenta um inquérito de impeachment sob a acusação …

Twitter vai ser mais rígido com conteúdo adulto na internet e preocupa criadores

Desde o ano passado tem sido mais difícil para os criadores de páginas com o perfil NSFW (Not Safe for Work ou não seguro para ver no trabalho — impróprio, em tradução livre) ter seus …

Otan tenta exibir união, enquanto líderes são flagrados falando de Trump

Chefes de Estado e de Governo de 29 países participaram nesta quarta-feira (4) do segundo dia da cúpula de aniversário de 70 anos da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), em Watford, nos arredores …

Radar aéreo descobre um navio viking em uma fazenda

Um estudo do Instituto Norueguês de Pesquisa do Patrimônio Cultural (NIKU) descobriu um navio viking em uma fazenda usando radar aéreo. O achado foi uma surpresa e um golpe de sorte, uma vez que este local …

Casamentos entre pessoas do mesmo sexo saltam 61,7% no Brasil

O número de casamentos realizados entre pessoas do mesmo sexo em 2018 aumentou 61,7% em relação ao ano anterior, segundo dados divulgados nesta quarta-feira (04/12) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com …