Bactéria engole metais tóxicos e os transforma em ouro

Uma equipe internacional de cientistas descobriu que a bactéria Cupriavidus metallidurans é uma especialista em purificação de metais preciosos. Ela consegue ingerir compostos metálicos tóxicos. O único efeito colateral dessa “indigestão” causada pelas toxinas é a produção de pequenas pepitas de ouro.

Os cientistas já sabiam que essa bactéria podia ingerir e gerar metais desde 2009, mas não entendiam como era capaz de entrar em contato com esses compostos tóxicos e convertê-los na forma metálica do elemento sem nenhum perigo aparente para o próprio organismo.

Depois de anos de pesquisa, a equipe conseguiu desvendar o mecanismo através do qual a bactéria consegue esse incrível feito.

A C. metallidurans prospera em solos que contêm hidrogênio e uma variedade de metais pesados tóxicos. Isso significa que a bactéria não tem muita concorrência de outros organismos, que seriam facilmente envenenados em um ambiente desse tipo.

“Se um organismo optar por sobreviver aqui, tem que encontrar uma maneira de se proteger dessas substâncias tóxicas”, disse um dos coautores do estudo, publicado este ano na revista Metallomics, o microbiologista Dietrich H. Nies, da Universidade de Halle-Wittenberg, na Alemanha.

A bactéria possui um mecanismo de proteção bastante engenhoso, que envolve cobre e ouro. No ambiente em que vive, compostos com esses dois elementos podem facilmente entrar nas células de C. metallidurans.

Para lidar com esse problema, as bactérias empregam enzimas para deslocar os metais ofensivos para fora das células. Para o cobre, há uma enzima chamada CupA. No entanto, se o ouro entrar com o cobre, a enzima é suprimida e os compostos tóxicos permanecem dentro da célula.

A bactéria eventualmente desenvolveu outra enzima para resolver a questão: CopA. Com esta molécula, a bactéria pode converter os compostos de cobre e ouro em formas que são menos absorvidas pela célula.

Isso garante que menos compostos de cobre e ouro entrem no interior celular. A bactéria é menos envenenada e a enzima que atinge o cobre pode eliminar o excesso desse metal sem qualquer impedimento.

Este processo não apenas permite que o micróbio se livre de todo o cobre indesejável, como também resulta em pequenas nanopartículas de ouro na superfície bacteriana.

Esse talento estranho da bactéria poderia ter aplicações práticas. Compreender como a C. metallidurans consegue “gerar” pepitas de ouro significa que os cientistas deram um enorme passo para entender o ciclo biogeoquímico do ouro.

Assim como outros elementos, o ouro pode passar por esse ciclo, ou seja, ser dissolvido, transformado e eventualmente concentrado novamente em sedimento.

No futuro, a compreensão pode ser usada para refinar metais preciosos de minérios que só contêm pequenas quantidades de ouro, algo que atualmente é muito complicado.

Ciberia // HypeScience / ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Startup ajuda pequenas empresas a monitorarem vacinação dos funcionários

A startup brasileira White Tents lançou uma versão em formato freemium — isto é, gratuita mas com alguns recursos pagos — de sua plataforma digital para pequenas empresas que queiram monitorar a vacinação de até …

Argentina vacinará brasileiros na região de fronteira e turistas estrangeiros menores de 18 anos

O governo argentino anunciou uma nova flexibilização para a entrada de estrangeiros no país, a vacinação de turistas menores de 18 anos e de cidadãos de países vizinhos que atravessarem a fronteira por via …

CPI da Pandemia conclui trabalhos e pede o indiciamento de Bolsonaro

Senadores aprovam relatório sobre atuação do governo na crise do coronavírus que propõe punição de 78 pessoas e duas empresas, após seis meses de depoimentos, coleta de provas e repercussão na mídia. A CPI da Pandemia …

Sinais de possível 1º exoplaneta fora da Via Láctea são detectados

Pela primeira vez na história, é possível que os cientistas tenham descoberto um planeta em outra galáxia. O possível exoplaneta recebeu o nome de M51-ULS-1 e se encontra a 28 milhões de anos-luz de distância na …

China vai vacinar crianças a partir de três anos contra a covid-19

Imunizantes aprovados são das farmacêuticas chinesas Sinopharm e Sinovac, fabricante da Coronavac. País será um dos primeiros a começar a vacinar essa faixa etária. No total, China já vacinou 76% da população. Ao menos cinco províncias …

"Bolsonaro ignora todas as necessidades culturais dos brasileiros", diz Gilberto Gil à revista Télérama

A imprensa francesa desta segunda-feira (25) destaca o show de Gilberto Gil nesta noite na Filarmônica de Paris. O músico brasileiro conversou com o jornal Le Monde e com a revista Télérama. "Gilberto Gil", embaixador …

"Peças extraordinárias" achadas na Indonésia podem ser da lendária "ilha do Ouro"

Tesouros no valor de milhões de dólares encontrados nos últimos cinco anos ao longo do rio Musi podem ser do antigo império malaio Serivijaia, na ilha de Sumatra, que por 300 anos dominou as rotas …

Pandemia de Covid-19 vai acabar "quando o mundo decidir acabar com ela", diz diretor da OMS

A pandemia de Covid-19 vai acabar "quando o mundo decidir acabar com ela", disse neste domingo (24) o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Ghebreyesus. O representante da ONU discursou na abertura …

Google está “criando Deus”, alerta ex executivo da Google

Segundo um ex-executivo do Google, a singularidade está chegando. E, segundo ele isso representa uma grande ameaça para a humanidade. Mo Gawdat, ex-diretor de negócios da organização moonshot do Google, que na época se chamava Google …

Pandemia causa a maior redução na expectativa de vida desde a Segunda Guerra

Desde a descoberta do coronavírus SARS-CoV-2, mais de 4,9 milhões de pessoas morreram oficialmente em consequência da infecção, segundo levantamento da Universidade Johns Hopkins. Nesse cenário, a pandemia da covid-19 reduziu a expectativa de vida …