“Biohacker” conhecido por injetar CRISPR no próprio corpo está sob investigação

O autointitulado “biohacker” Josiah Zayner está sob investigações das autoridades médicas do estado da Califórnia, Estados Unidos, sob suspeita de fazer exercício ilegal da Medicina.

O “biohacker” Josiah Zayner ficou conhecido em outubro de 2017, quando, após ingerir consideráveis doses de uísque, fez uma transmissão ao vivo onde injetou em seu braço o que dizia tratar-se de uma seringa contendo o DNA da ferramenta de edição genética CRISPR-Cas9, dizendo que isso lhe permitiria crescer mais músculos.

Zayner é o CEO de uma empresa chamada The Odin e possui diplomas e certificados em biofísica, mas não tem licença para exercer profissões médicas.  Em sua empresa, Zayner especializou-se em vender para o cidadão comum kits “faça você mesmo” de experimentação genética em plantas, animais e até humanos.

O próprio CEO já tentou, com as ferramentas da própria empresa, realizar procedimentos como um transplante fecal em um aeroporto, em 2016; e a engenharia genética da própria pele, em 2017.

Em 2018, porém, assumiu uma posição mais cautelosa, culpando-se pelo crescimento do mercado de biohacking e o aumento de pessoas protagonizando autoinjeções dos mais variados tipos. “Honestamente, eu meio que sou responsável por isso”, ele disse ao jornal The Atlantic, na época. No entanto, a The Odin segue vendendo seus kits.

Agora, a situação cresceu o suficiente para que as autoridades tomassem nota.

Em uma carta compartilhada pelo próprio Zayner em sua conta no Instagram, o Departamento de Assuntos do Consumidor, DCA, diz que “investigadores estão agora em uma fase de nossa análise onde nós gostaríamos de conversar com você sobre este assunto”. A entidade pede que Zayner agende com eles uma entrevista e anotaram na carta: “Nós vamos também discutir os seus negócios”.

Zayner defendeu-se das acusações, alegando inocência e criticando as autoridades médicas: “A verdade é que eu nunca dei a ninguém nada para que eles se injetassem ou tomassem, nunca vendi nenhum material destinado ao tratamento de doenças, e nunca aleguei que pudesse oferecer tratamentos ou curas pois sabia que este dia chegaria”, ele conta, referindo-se à carta e à investigação.

A parte mais f**a disso é que tem tanta gente morrendo não por minha causa, mas porque a FDA [agência regulatória de saúde nos EUA, similar à Anvisa, no Brasil] e o governo recusam-se a dar às pessoas o acesso a tecnologia e tratamentos de ponta ou, em alguns casos, até mesmo o mais básico plano de saúde. E mesmo assim, eu é que sou ameaçado com cadeia”.

Segundo a legislação norte-americana, a prática da medicina sem a devida licença pode gerar multa a partir de US$ 150 mil, em casos sem risco; ou até três anos de reclusão e encarceramento, em casos mais graves.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …

Em último vídeo do mandato, Merkel pede que população se vacine

A chanceler alemã Angela Merkel, que deixará o poder na próxima quarta-feira (8), voltou a defender neste sábado (4) a vacinação contra a Covid-19, no último de uma série de mais de 600 vídeos …

Descobrem na China ferramenta de marfim de 99 mil anos, possivelmente a mais antiga do país

Pesquisadores desenterraram uma pá de marfim datada de há cerca de 99.000 anos em um sítio arqueológico do Paleolítico na província chinesa de Shandong. Acredita-se que o objeto seja uma das primeiras ferramentas de osso utilizadas …