Buracos negros supermassivos afinal já existiam bem no início do Universo, segundo estudo

NASA/SOFIA/Lynette Cook

Buracos negros supermassivos são bilhões de vezes maiores que o Sol, estando sua maioria ainda em forte atividade e atraindo matéria para si, aumentando sua massa.

Os buracos negros supermassivos, ao contrário dos estelares que são originados a partir da evolução de estrelas de massa elevada, formam-se por imensas nuvens de gás ou por aglomerados de milhões de estrelas colapsadas.

Sendo assim, como é possível que, como observado recentemente, os buracos negros supermassivos já estivessem presentes quando o Universo, que agora tem 14 bilhões de anos de idade, tinha “apenas” 800 milhões de anos?

Um estudo recente de cientistas de Trieste, na Itália, analisado pelo portal Phys.org, oferece novas pistas sobre a datação da presença desses buracos negros no Universo.

Recorrendo a um modelo teórico de sua autoria, os estudiosos propuseram que o processo de formação dos buracos negros supermassivos teria sido muito mais rápido em suas fases iniciais, ao contrário do que até aqui se pensava, que teria sido bem mais lento.

Monstro cósmico que cresce no centro das galáxias

O crescimento de buracos negros supermassivos ocorre nas regiões centrais das galáxias, onde a formação estelar é extremamente intensa.

Mas as estrelas subsistem pouco tempo, evoluindo rapidamente para enormes buracos negros estelares. Chegados às regiões centrais das galáxias, fundem-se, “criando a semente do buraco negro supermassivo”, lê-se no artigo, citado pelo portal.

“De acordo com as teorias clássicas, um buraco negro supermassivo cresce no centro de uma galáxia capturando a matéria circundante, principalmente gás, crescendo sobre ela e finalmente devorando-a a um ritmo proporcional à sua massa”, por isso era entendido que se trataria de um crescimento lento, disseram os pesquisadores.

O que os cientistas descobriram

Contudo, cientistas italianos demonstraram que o processo era muito mais rápido do que era tido como certo até agora. Segundo seus cálculos, buracos negros supermassivos poderiam ter se formado também no início do Universo, ou seja, 800 milhões de anos após o Big Bang.

Provando, matematicamente, que sua existência era possível em um jovem Universo, os resultados da pesquisa conciliam o tempo necessário para o seu crescimento com os limites impostos pela idade do Universo.

A teoria pode agora ser validada com recurso a detectores de ondas gravitacionais, nomeadamente o telescópio Einstein, a antena espacial a laser LISA e pelo observatório de ondas gravitacionais LIGO/Virgo.

Os cientistas pretendem ainda “desenvolver modelos teóricos, como o idealizado neste caso, que sirvam para capitalizar a informação proveniente das experiências das ondas gravitacionais atuais e futuras, e dessa forma fornecer soluções para questões não resolvidas ligadas a astrofísica, cosmologia e fundamentos da física”, referiu Andrea Lapi, autora principal, citada pelo portal.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Governo italiano vende casas a 2 euros na região da Sicília

Mais uma vez o governo italiano está vendendo casas em áreas rurais da Itália, após o sucesso da campanha para repovoamento de áreas abandonadas. Além de promover a ocupação por meio de incentivos para jovens e …

Bolsonaro admite não ter provas de fraudes eleitorais

Em live para a qual convocou veículos de imprensa, Bolsonaro exibiu uma série de teorias falsas, cálculos equivocados e vídeos antigos, já verificados e desmentidos, mas que ainda circulam na internet, como supostas evidências de …

A incrível civilização antiga que mumificava os mortos 2 mil anos antes dos egípcios

"As mais antigas evidências arqueológicas conhecidas de mumificação artificial de corpos", segundo a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), estão presentes na América do Sul, na costa árida …

Delta pode causar covid-19 mais grave, alerta agência americana

Documento interno do órgão de prevenção de doenças dos EUA indica que a variante delta do coronavírus é tão contagiosa quanto a catapora e pode ser transmitida mesmo por indivíduos vacinados. "A guerra mudou", diz …

Vendas de vacinas anticovid impulsionam lucros de laboratórios

A empresa farmacêutica AstraZeneca anunciou nesta quinta-feira (28) que as vendas de sua vacina contra a Covid-19 alcançaram US $ 1,17 bilhão no primeiro semestre do ano. Este número corresponde à entrega de aproximadamente …

Cientistas transformaram água pura em metal pela primeira vez

Cientistas transformaram, pela primeira vez, água pura em metal. A pesquisa poderia permitir um estudo detalhado das condições de extrema alta pressão dentro de grandes planetas. A água pura é um isolante quase perfeito. Sim, a …

Imagens do satélite Amazonia-1 já estão disponíveis — e qualquer um pode acessar

O Ministério da Ciência e Tecnologia comunicou, nesta semana, que as imagens do Amazonia-1 já podem ser acessadas pelo público. O satélite Amazonia-1 foi lançado em fevereiro de 2021 e, desde então, já avançou por etapas importantes, …

Alemanha acusa médico sírio de crimes contra a humanidade

Promotores federais da Alemanha acusaram nesta quarta-feira (28/07) um médico sírio de assassinato e crimes contra a humanidade. O suspeito enfrenta 18 acusações de tortura contra pacientes de hospitais militares nas cidades sírias de Homs e …

Suposto 'padrão' citado por Bolsonaro não indica fraude eleitoral; presidente admite não ter provas

O presidente Jair Bolsonaro usou sua live semanal desta quinta-feira (29/07) para fazer uma apresentação questionando a lisura das últimas eleições e apontando o que considera ser "fortíssimos indícios" de fraudes nas urnas eletrônicas. No entanto, …

Cientistas revelam novos dados sobre neandertais e denisovanos após analise sanguínea

Cientistas, que analisaram os genes de três neandertais e um denisovano, descobriram que ambas as espécies de pessoas ancestrais provêm da África. Os autores também encontraram uma ligação genética entre os neandertais e os aborígines …