China se prepara para ‘guerra comercial’ com os EUA

U.S. Department of Agriculture / Flickr

O vice-ministro das Finanças da China, Zhu Guangyao

O vice-ministro das Finanças da China, Zhu Guangyao

O vice-ministro das Finanças da China, Zhu Guangyao, admitiu que as políticas que o presidente eleito dos EUA, Donald Trump, planeja aplicar em relação à China poderiam desencadear uma guerra comercial entre ambos os países.

“Se começar uma guerra comercial, a China pode aplicar medidas de resposta, que poderiam conduzir a uma redução do emprego nos EUA. No entanto, nós não queremos que isso aconteça, porque, tal resposta por parte da China pode afetar os dois países”, disse o vice-ministro.

Zhu Guangyao também acrescentou que se um dia essa guerra ocorrer, não iria durar mais de um ano, mas manifestou esperança de que a cooperação entre os dois países continue a se fortalecer.

Anteriormente, Donald Trump, que assumirá a presidência dos EUA em 20 de janeiro de 2017, declarou que o país deveria introduzir tarifas especiais sobre todos os bens importados da China.

De acordo com o político republicano, esta medida seria capaz de contribuir para o crescimento da taxa de câmbio do yuan em relação ao dólar. Além disso, Donald Trump, repetidamente classificou a China como “inimigo econômico dos Estados Unidos pela sua política monetária”.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

UE exportou mais de um bilhão de doses contra Covid-19, diz Comissão Europeia

A União Europeia exportou mais de um bilhão de doses de vacinas contra a Covid-19 para mais de 150 países. Essa quantidade representa a metade das doses produzidas na Europa, de acordo com dados …

Colin Powell, ex-secretário de Estado dos EUA, morre aos 84 anos

Primeiro negro a ocupar topo da diplomacia e da máquina militar americana, ex-general teve papel de destaque na Guerra do Golfo e arranhou sua credibilidade ao apoiar a invasão do Iraque uma década depois. Colin Powell, …

Criminosos usam escaneamento por código do próprio usuário para 'sequestrar' contas do WhatsApp

Em 2019, um relatório divulgado pelo laboratório de pesquisa da empresa de segurança virtual Eset alertou que uma das formas crescentes de sequestro de contas do WhatsApp era feita por meio de um ataque conhecido …

EUA: Manobras de Trump bloqueiam investigação sobre invasão do Capitólio

Vários parceiros e associados do ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, se recusaram a comparecer à comissão da Câmara que investiga a invasão de 6 de janeiro de 2021 contra o Capitólio, sede do …

Dor nos olhos após COVID-19: cientistas explicam causa de complicação inesperada do vírus

Uma pesquisa de cientistas alemães mostrou que o coronavírus pode penetrar nos olhos e infectar os fotorreceptores e células ganglionares na retina. Isso pode ser uma causa de problemas com os olhos após a COVID-19. Os …

Estudo mostra como mudanças climáticas afetarão a energia hidrelétrica no Brasil

Um novo relatório publicado pela Global Environmental Change revela que, nas próximas décadas, as reduções de precipitação e vazão dos rios na região amazônica — a maior bacia hidrográfica do mundo e uma forte candidata …

Merkel é premiada por compromisso com a União Europeia

"Somente uma Europa unida é uma Europa forte", diz a líder alemã ao receber o prêmio Carlos 5º. Rei espanhol destaca pragmatismo e confiabilidade da chanceler federal, descrevendo-a como uma "mulher extraordinária". Prestes a deixar o …

França: crianças pobres são ainda mais vulneráveis à poluição do ar, aponta relatório

O Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) e a rede mundial Climate Action Network International, que reúne associações que lutam contra o aquecimento global, divulgaram, nesta quinta-feira (14), o relatório "Injustiça social …

'Love is in the Bin': a obra semidestruída de Banksy vendida a R$ 121 milhões em leilão

Uma obra de arte de Banksy que se autodestruiu parcialmente em um leilão anterior foi arrematada agora a um preço recorde de 16 milhões de libras (cerca de R$ 121 milhões). Love is in the Bin …

EUA tentam virar a página da era Trump e voltam ao Conselho de Direitos Humanos da ONU

Os Estados Unidos voltaram, nesta quinta-feira, ao Conselho de Direitos Humanos da ONU, órgão que o país havia deixado durante o mandato de Donald Trump. O retorno mostra a vontade de Washington de fazer …