Cientistas descobrem como parar o avanço do tipo mais mortal de câncer de pele

Edgepath / Flickr

Melanoma maligno, padrão de propagação superficial

Cientistas australianos descobriram que uma combinação de novos tratamentos pode parar o avanço da forma mais mortal de câncer da pele, o melanoma, interrompendo sua propagação para outros órgãos.

Os resultados de dois estudos realizados pelo Melanoma Institute Australia, com sede em Sydney, e publicados na New England Journal of Medicine mostraram-se bem sucedidos em pacientes com melanoma estágio III, cujos tumores tinham sido removidos cirurgicamente. Até agora, esses pacientes apresentavam um risco de 40 a 70%, considerado alto, de a doença avançar e se tornar fatal.

Com a nova pesquisa, os cientistas mostraram que é possível impedir que a doença se espalhe, efetivamente salvando vidas.

Um em cada três cânceres diagnosticados é de pele, de acordo com a Organização Mundial de Saúde. Embora 90% das pessoas possam ser curadas removendo o câncer primário através da cirurgia, nos outros 10% o melanoma se espalha, porque é detectado muito tarde.

Segundo a diretora médica do instituto australiano, Georgina Long, o objetivo final de fazer do melanoma uma doença crônica e não terminal está agora muito mais próximo de ser alcançado.

“Os resultados vão mudar a forma como tratamos os pacientes com melanoma, bem como sua qualidade de vida. Até agora, os pacientes no estágio III que tiveram os tumores cirurgicamente removidos simplesmente tinham que ficar à espera, para ver se o melanoma se espalhava. Viver com tanto medo os afeta severamente, bem como aos seus entes queridos”, acrescentou Long.

Os pesquisadores realizaram dois ensaios clínicos de 12 meses, um baseado em imunoterapia e outro com terapias direcionadas. Ambos foram bem sucedidos na prevenção da propagação da doença.

Em um deles, terapias específicas – dabrafenib e trametinib – bloquearam a ação de um gene, o BRAF, que é um estimulante para o melanoma. Isso não só impediu que o câncer no estágio III fosse recorrente, como aumentou a expectativa de vida global dos pacientes.

O segundo ensaio clínico tratou pacientes com nivolumab ou ipilimumab, drogas de imunoterapia projetadas para “reiniciar” o sistema imunológico com o objetivo de atacar células de melanoma. Os resultados mostraram que o nivolumab, em particular, diminuiu a hipótese de recaída nos pacientes.

“Estes ensaios clínicos mostram que agora temos munições para prevenir a propagação e o avanço do melanoma, uma área crítica do comportamento da doença sobre a qual não tínhamos controle”, disse Long.

Ciberia // HypeScience / ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …