“Doença do 11 de setembro” mata mais dois bombeiros

(pd) Preston Keres / U.S. Navy

Bombeiro pede reforços, atentado de 11 de setembro de 2001, World Trade Center

Thomas Phelan e Keith Youg estiveram nas operações de socorro no atentado de 11 de setembro de 2001 e integram agora a lista de pessoas que morreram por problemas de saúde relacionados com o dia do ataque.

O atentado de 11 de setembro de 2001 fez um total de 2.977 mortos. Entre essas, 343 eram bombeiros, mas nessa lista não consta o nome de Thomas Phelan ou de Keith Young – até porque os dois homens só morreram na semana passada.

Apesar dos 16 anos que separam um dos maiores atentados da história da morte desses dois bombeiros, a ligação entre os dois momentos é íntima.

Thomas Phelan trabalhava no ferry que fazia o transporte de turistas de Manhattan até a ilha onde se encontra a Estátua da Liberdade.

Quando os aviões se chocaram contra as Torres Gêmeas, a evacuação das pessoas foi feita por barco e Thomas transportou centenas de pessoas até Nova Jérsei, a partir de localizações extremamente próximas da zona do atentado.

Aos dois homens que ajudaram a salvar centenas de vidas foi diagnosticado câncer. Thomas Phelan descobriu há poucos meses que tinha um tumor maligno no pulmão. Keith young lutava contra o câncer da pélvis desde 2015.

Na semana passada, nos dias 16 e 17 de março, respectivamente, os dois morreram.

De acordo com o Jornal de Notícias, que cita a Associação de Bombeiros de Gran Nova York, Thomas e Keith são as vítimas 172 e 173 dos voluntários que atenderam as emergências do dia 11 de setembro de 2001.

A mesma associação informa que, só em 2018, sete bombeiros morreram por “problemas relacionados com os ataques do 11 de setembro”.

O Centro para o Controle e Prevenção de Doenças nos EUA estima em 400 mil o número de pessoas expostas a poluentes tóxicos naquele dia em Nova York.

A Associação de Bombeiros de Gran Nova York aponta que um em cada oito bombeiros que esteve de serviço no Ground Zero sofreu de câncer e o Comitê de Saúde Ocupacional de Nova York informa que 6 mil é o número de socorristas presentes no local do atentado que sofrem de câncer.

Somos a prova viva dos efeitos do ataque e da sopa tóxica que respiramos durante meses”, declarou Gerard Fitzgerald, porta-voz da UFANYC.

Mas nem só os bombeiros e socorristas presentes no local sofrem com os efeitos secundários de um dos atentados mais mortais da história. Em 2015, a “Dust Lady” sucumbiu ao câncer.

(dr) Stan Honda

Marcy Borders numa das imagens mais icônicas da tragédia do 11 de Setembro de 2001

Marcy Borders ficou famosa no dia 11 de setembro de 2001, depois de ter sido fotografada pelo fotojornalista Stan Honda, coberta de pó, depois dos ataques terroristas ao World Trade Center.

A norte-americana dizia que tinha desenvolvido a doença ao inalar a poeira durante o ataque e passou a sofrer de alcoolismo e ansiedade nos anos seguintes à tragédia.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

NASA pode ter encontrado pistas sobre Planeta X

O suposto Planeta X segue repleto de mistérios e a única coisa que se sabe é que há algum objeto grande e massivo na região do cinturão de Kuiper. O grande objeto estaria causando uma grande …

Co-fundador da Wikipedia lança rede social livre de anúncios

O co-fundador da Wikipédia, Jimmy Wales, desenvolveu uma rede social chamada WT: Social, que opera basicamente do mesmo jeito que a enciclopédia virtual, ou seja, sem publicidade, apenas com doações. Apesar disso, não há ligação …

O que é a peste pulmonar e por que sua aparição na China preocupa

A forma mais rara, porém mais letal de peste, apareceu na China. Duas pessoas foram hospitalizadas em Pequim após contrairem a peste pulmonar ou pneumônica - uma variante altamente infecciosa da doença e muitas vezes …

Mais de 200 pessoas perderam visão em protestos no Chile

A principal associação médica do Chile anunciou nesta quinta-feira (14/11) que pelo menos 230 pessoas perderam a visão, parcial ou completamente do olho afetado, devido a tiros com espingarda de pressão disparadas por agentes de …

Movimento dos "coletes amarelos" completa um ano com efeitos positivos na economia

O diário econômico francês Les Echos desta sexta-feira dedica sua capa e várias páginas ao movimento dos coletes amarelos, que completa um ano neste domingo. O jornal analisa as consequências dos protestos na economia francesa …

Preço para voar em nave da Boeing será 60% mais caro do que na da SpaceX

O inspetor-geral da NASA divulgou nesta quinta-feira (14) um relatório sobre o Programa Commercial Crew, com detalhes sobre os problemas técnicos enfrentados pelas empresas SpaceX e Boeing no desenvolvimento de suas espaçonaves - Crew Dragon …

A corrida para salvar 33 marinheiros e 1 cachorro da ilha onde missionário foi morto por nativos há 1 ano

"Homens selvagens, provavelmente mais de 50, com armas caseiras, estão fazendo dois ou três barcos. Temo que eles nos alcancem no pôr do Sol. A vida de todos os tripulantes está em risco." A corrida contra …

Gigante chinesa do comércio eletrônico vende U$ 1 bilhão em 1 minuto

Sessenta e oito segundos. Esse foi o tempo que consumidores chineses levaram para gastar seu primeiro bilhão de dólares em vendas pela internet numa tradicional liquidação do país. O resultado surpreendente de vendas foi alcançado …

“A Tumba”: depósito de lixo nuclear está começando a se romper e afundar nas Ilhas Marshall

Antes de lançar a primeira bomba atômica do mundo, os EUA fizeram vários testes de detonações em locais remotos. O problema é que toda a radiação está até hoje nesses lugares, sendo que um desses …

Brasil dá 'sinal positivo' e valoriza participação no BRICS, diz especialista

Contrariando estimativas de que o governo de Jair Bolsonaro reduziria a importância do BRICS na sua política externa, o Brasil demonstra empenho e compromisso com o bloco, segundo especialista ouvido pela Sputnik. Em entrevista à Sputnik, …