Cirurgia a laser promete transformar olhos castanhos em azuis em segundos

Olhos azuis estão presentes em 17% da população mundial. Por enquanto, a única forma do restante da população conseguir a cor tão admirada é por meio de lentes de contato coloridas ou implantes artificiais de íris. Mas isso pode mudar em breve, com o custo previsto de US$5 mil.

O procedimento, desenvolvido pela Stroma Medical, funciona ao eliminar a melanina – o pigmento que dá cor ao cabelo e à pele – da superfície da íris, o que permite que a luz entre e bata no estroma, a camada de fibras de colágeno mais expressa da córnea.

Não há pigmentação azul ali, o que acontece é que a falta de pigmentos faz com que a luz atinja pequenas moléculas e depois se espalhe, causando essa ilusão semelhante à que acontece na atmosfera da Terra.

Isso significa que todas as pessoas com olhos castanhos têm olhos azuis por baixo da camada de melanina. O tratamento quebra a camada frágil de pigmento na íris, e o corpo passa a remover as proteínas naturalmente.

Enquanto o procedimento leva apenas 20 segundos, os olhos só mudam de cor semanas depois. O laser atinge apenas a íris e fica longe dos nervos responsáveis pela visão.

Os médicos, porém, não parecem muito satisfeitos com esta novidade. Existe a possibilidade de que o pigmento entupa os canais de drenagem da córnea, o que poderia aumentar a pressão ocular. Isso poderia causar glaucoma, doença que pode levar à cegueira.

(dr) Cinemagraph

A Stroma Medical foi criada em 2009, e em 2015 anunciou que naquele ano começaria os primeiros procedimentos pagos. O anúncio, porém, não se concretizou, e ele ainda não é oferecido em nenhum país do mundo, sem previsão de quando deve começar.

Por enquanto, 37 voluntários de Costa Rica e México passaram pelo procedimento, que de acordo com a empresa trouxe resultados naturais e sem efeitos colaterais para os pacientes.

Imagens do resultado, porém, ainda não foram divulgadas, já que, de acordo com a empresa, os estudos devem ser encerrados antes da divulgação das imagens, quando isso é possível.

“Nosso primeiro local de pesquisa não permite que publiquemos nenhuma imagem dos pacientes. Outro motivo é que por enquanto só tratamos íris de forma parcial, e liberar imagens de tratamentos parciais não seria justo com o nosso procedimento”, explica um porta-voz na página do Facebook da empresa.

“Em nosso estudo atual, estamos tratando nossas primeiras íris completas, então quando este estudo estiver completo, vamos publicar as primeiras imagens dos pacientes”, acrescenta o porta-voz.

O site oficial da corporação está fora do ar desde meados de 2017, com promessas de novidades em breve.

Por enquanto, apenas voluntários que vivem na região próxima ao local dos experimentos podem participar dos testes.

Um representante da empresa diz que esses estudos não devem se estender ao Brasil, “porque é muito difícil fazê-los aí”. Assim que o procedimento for liberado, os primeiros países de implantação devem ser na Europa, seguido de perto pela América do Sul.

Os Estados Unidos, por outro lado, só devem entrar para esta lista “pelo menos três anos depois do início na Europa”, segundo a empresa, devido à dificuldade de liberação pelo FDA.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …