Excesso de cocaína nos rios deixa enguias hiperativas (e em risco de extinção)

A presença de vestígios de drogas, como cocaína, em rios e lagos da Europa está pondo em risco a sobrevivência das enguias. A conclusão é de um estudo que apurou que esses animais aquáticos ficam hiperativos e com severos danos em contato com a substância.

Vários estudos têm apontado como os rios e lagos europeus têm vestígios de drogas, como cocaína e ecstasy, que chegam aos cursos de água através dos sistemas de tratamento de esgoto.

Uma equipe de biólogos da Universidade de Nápoles Federico II, na Itália, resolveu estudar o impacto de uma dessas drogas, a cocaína, na vida das enguias. E a conclusão é de que “todas as principais funções desses animais podem ser alteradas“, como explica a pesquisadora que liderou o estudo, Anna Capaldo, na National Geographic.

Os pesquisadores colocaram enguias em águas contendo cocaína equivalente à que foi encontrada nos rios europeus, durante 50 dias.

“As enguias expostas a cocaína pareciam hiperativas, mas mostravam o mesmo estatuto de saúde geral de outros grupos”, explicam os biólogos no estudo publicado no jornal Science of the Total Environment. Contudo, “seus músculos esqueléticos mostraram evidências de lesões graves, incluindo colapso muscular e inchaço”, frisam.

“Essas mudanças ainda estavam presentes 10 dias depois da interrupção da exposição à cocaína”, refere o estudo, notando que a cocaína se acumulou no cérebro, nos músculos, nas guelras, na pele e em outros tecidos dos animais.

A conclusão é que, “mesmo concentrações ambientais baixas de cocaína, causam danos severos à morfologia e fisiologia do músculo esquelético da enguia prateada”, o que reflete o “impacto nocivo” da droga na “sobrevivência” da espécie, relevam os autores da pesquisa.

“Causa especial preocupação o fato de a cocaína ter aumentado os níveis de cortisol, um hormônio de estresse que induz o consumo de gordura”, explica Anna Capaldo à National Geographic. “O problema é que as enguias europeias precisam acumular gordura antes de migrarem para o Mar dos Sargaços para se reproduzirem, e níveis mais altos de cortisol podem atrasar o tempo dessa jornada”, frisa a pesquisadora.

As enguias passam entre “15 e 20 anos em águas frescas ou salobras em cursos de água europeus, antes de atravessarem o Oceano Atlântico para desovar no Mar dos Sargaços, a leste do Caribe e na costa leste dos EUA”, explica a National Geographic.

O inchaço ou colapso muscular provocado pela cocaína podem impedir as enguias de sequer conseguirem chegar ao Mar dos Sargaços.

Outro problema está relacionado aos níveis elevados de dopamina que podem impedi-las de atingirem a maturidade sexual, pelo que “a reprodução das enguias poderia ser prejudicada”, nota Anna Capaldo.

A população selvagem de enguias é considerada “criticamente ameaçada” devido a fatores como barragens, pesca excessiva e a poluição das águas.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Pessoal,

    A matéria sobre as enguias européias está muito boa, mas você erraram na foto.

    Esta é de um poraquê amazônico (Electrophorus electricus) e não de uma enguia européia (Anguilla anguilla).

DEIXE UM COMENTÁRIO:

"Raios" azuis misteriosos podem ser mais comuns do que os cientistas pensavam

Entre os vários fenômenos climáticos que existem, os raios continuam enigmáticos para nós: embora tempestades não sejam tão raras, ainda não entendemos completamente as descargas elétricas geradas no céu — muito menos aquelas apelidadas de …

Dono de cachorro machucado gasta R$ 2.200 para descobrir que o bicho estava imitando o dono por solidariedade

De vez em quando, nossos amados animais de estimação provam ser ainda mais doces e solidários do que muitas pessoas. Conheça Bill — um lurcher de Londres que está imitando a mancada de seu dono …

Minas Gerais é uma das 10 regiões mais acolhedoras do mundo: ranking

Minas Gerais está entre as 10 regiões mais acolhedoras do mundo. É que diz a eleição do Traveller Review Awards 2021, que incluiu pela primeira vez uma localidade brasileira no ranking internacional divulgado todo ano. Minas …

Manaus suspende campanha de vacinação contra covid-19

Segundo prefeitura, medida visa redefinir a prioridade dentro de grupo que deve receber primeiras doses. Paralisação temporária ocorre em meio a suspeitas de desvios do imunizante para parentes de empresários. A vacinação contra a covid-19 foi …

"Estupendamente grandes": cientistas descobrem buracos negros maiores que os supermassivos

Estudo sugere a possível existência de "buracos negros estupendamente grandes", ainda maiores do que os buracos negros supermassivos já observados no centro das galáxias. Os astrônomos já estudam há algum tempo os buracos negros supermassivos (SMBHs, …

União Europeia quer acelerar vacinação contra Covid-19 em todo o bloco

Líderes europeus se reúnem em videoconferência nesta quinta-feira (21) para discutir como acelerar a campanha de imunização contra a Covid-19 nos países-membros. Na agenda, os dirigentes da União Europeia também devem debater a cooperação …

Britânico não pode entrar na Holanda com sanduíche e ouve: ‘Bem-vindo ao Brexit’

Um simples sanduíche de presunto, feito em casa e devidamente embrulhado em papel alumínio, foi motivo suficiente para que um motorista britânico fosse parado, interrogado e por fim perdesse o alimento na alfândega localizada na …

Inclinação de Saturno pode ser explicada pela migração de suas luas; entenda

Em um novo estudo, cientistas do French National Centre for Scientific Research (CNRS) e da Sorbonne University perceberam que a inclinação de Saturno pode ser causada pela influência da migração de suas luas — principalmente …

A verdade sobre as pessoas que "ouvem" os mortos: estudo

Cientistas identificaram os traços que podem tornar uma pessoa mais propensa a afirmar que ouve as vozes dos mortos. De acordo com novas pesquisas, uma predisposição a altos níveis de absorção em tarefas, experiências auditivas incomuns …

OMS diz não ter conhecimento de mortes relacionadas ao uso da vacina da Pfizer

A OMS não tem conhecimento de qualquer morte relacionada ao uso da vacina contra a COVID-19 produzida pelos laboratórios Pfizer e BioNTech, disse hoje (20) a diretora-geral adjunta da organização, a brasileira Mariângela Simão. "Temos uma …