Coronavírus: custo alto pode deixar países mais pobres sem acesso a vacina contra covid-19

A geneticista molecular Kate Broderick faz parte de uma equipe de cientistas por trás de um dos 44 projetos que tentam desenvolver uma vacina para a covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus, em todo o mundo.

Ela é uma das pesquisadoras da empresa de biotecnologia americana Inovio, que planeja ter 1 milhão de doses prontas no início de dezembro. Mas onde ela chegará e quem vai recebê-las? É uma pergunta que muitas vezes vem à mente de Broderick: a cientista escocesa tem uma irmã que trabalha como enfermeira no Serviço Nacional de Saúde britânico, o NHS, na sigla em inglês.

“Minha irmã está lutando todos os dias para ajudar as pessoas a enfrentar esta doença. Então, sim, eu me preocupo em termos suprimentos para todos“, diz ela à BBC.

“Precisamos que esta vacina esteja pronta”, acrescenta.

‘Distribuição desigual’

Mas já existem preocupações a respeito de como soluções como a da Inovio podem acabar sendo “monopolizadas” por países mais ricos.

Um dos que alertam para esse risco de “lacuna de imunização” é o epidemiologista Seth Berkley. Ele é CEO da The Vaccine Alliance (Gavi), uma parceria global em saúde de organizações do setor público e privado comprometidas em aumentar o acesso à imunização em 73 dos países mais pobres do mundo.

Entre seus membros está a Organização Mundial da Saúde (OMS).

“Precisamos discutir isso agora, mesmo que ainda não haja uma vacina disponível”, diz Berkley à BBC. “O desafio será garantir que haja vacinas suficientes para as pessoas que precisam dela nos países ricos, mas também para as que precisam nos países pobres. É claro que estou preocupado. Maus comportamentos sempre acontecem com mercadorias raras. Precisamos fazer a coisa certa aqui”, acrescenta.

O temor de Berkley não é infundado: o acesso desigual já ocorreu — e vem ocorrendo — com vacinas anteriores.

Recentemente, o jornal alemão Welt Am Sontag citou funcionários do alto escalão do governo para relatar que o presidente dos EUA, Donald Trump, tentou — e fracassou — garantir acesso exclusivo dos americanos a uma vacina que está sendo desenvolvida pela empresa alemã de biotecnologia CureVac.

Lacuna da hepatite B

Um excelente exemplo dessa lacuna de imunização é a vacina contra a hepatite B, vírus que é a principal causa de câncer de fígado e é 50 vezes mais infeccioso do que o HIV, segundo a OMS. Estima-se que 257 milhões de pessoas em todo o mundo viviam com hepatite B em 2015. A imunização contra a doença tornou-se disponível nos países mais ricos em 1982, mas em 2000 menos de 10% dos países mais pobres do mundo tinham acesso à vacina.

Criada em 2000 por Bill e Melinda Gates, a Gavi ajudou a diminuir significativamente esse atraso com outras vacinas, graças a acordos com governos e empresas farmacêuticas.

Outro ator importante é a Coalition for Epidemic Preparedness Innovations (Coalizão para inovações em Preparação para Epidemias ou Cepi, na sigla em inglês), uma agência da Noruega criada em 2017 para financiar o desenvolvimento de vacinas usando dinheiro de doações públicas e privadas.

O Cepi defende abertamente o acesso igualitário às vacinas. “Como a covid-19 demonstra, as doenças infecciosas ignoram completamente as fronteiras políticas”, afirmou a instituição por meio de um comunicado. “Não podemos prevenir ou conter uma ameaça global de doenças infecciosas sem uma distribuição justa de vacinas.”

// BBC

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Uber testa modalidade que permite ao usuário reservar carro por hora

Na tentativa de achar novas fontes de receita para seu negócio de corridas compartilhadas, seriamente afetado pela COVID-19, a Uber está testando uma nova modalidade, focada nos passageiros que precisam fazer viagens mais longas e …

Revelada razão de comportamento instável de estrelas perto dos centros galácticos

Estrelas de ramo horizontal extremo são mais brilhantes e têm um ciclo de vida inferior ao das estrelas comuns, de acordo com um novo estudo. Os astrônomos estudaram o comportamento de um tipo especial de estrelas, …

Trump ameaça acionar Forças Armadas para conter protestos

No 7.º dia de manifestações antirracismo, Presidente dos EUA critica inação de governadores e promete enviar milhares de soldados para pôr fim a distúrbios. Visita de Trump a igreja é criticada como tentativa de autopromoção. O …

Não é apenas o coronavírus: surto de ebola retorna ao Congo

Foi confirmada, pelo ministro da Saúde do Congo, a descoberta de novos casos de Ebola na província de Équateur. O último surto do vírus altamente mortal ocorreu em 2018 e matou 33 pessoas no país. O …

Coronavírus: São Paulo se prepara para reabertura com 70% de leitos ocupados

O governo estadual de São Paulo ordenou a reabertura gradual dos estabelecimentos comerciais a partir dessa terça-feira (2). A gestão diz se basear no índice de infecções do novo coronavírus por cidade. Mesmo com 70% …

Júpiter é tão grande que quase virou um sol

Júpiter é o maior planeta do sistema solar. Assim, bem maior mesmo. Do tipo se você pegar todos os outros planetas e juntar suas massas, não chega nem aos pés dele. Nem mesmo metadinha. Esse gigante …

União Europeia pede que EUA reconsiderem sua decisão de cortar relações com a OMS

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, e o chefe de relações internacionais da União Europeia, Josep Borrell, pediram neste sábado (30) que os Estados Unidos “reconsiderem a decisão anunciada” de romper …

Astronautas da NASA chegam à ISS em nave da SpaceX e entram para a história

Depois de viajarem pelo espaço por 19 horas, os astronautas Bob Behnken e Doug Hurley chegaram à Estação Espacial Internacional (ISS) a bordo da nave Crew Dragon alguns minutos antes do previsto. O lançamento histórico aconteceu …

Nova Zelândia se encontra em cima de enorme bolha de lava, segundo pesquisa

Durante os anos 70, pesquisadores propuseram a teoria de que o interior do planeta se agita lentamente como uma bolha de lava. Estas bolhas flutuantes surgem como plumas do manto derretido do centro da Terra, onde …

Alemães usam criatividade para manter distanciamento social

Até final de junho, distância mínima está em vigor em espaços públicos. Instituições de cultura encontraram meios engenhosos para reunir grupos com segurança. Ideias vão de chapéu com boia até orações em estacionamento. Com medidas de …