Embriões criados apenas com células-tronco são implantados com sucesso

(dr) Nicolas Rivron

Dois bastoides, embriões sintéticos criados em laboratório a partir de células-tronco

Cientistas holandeses criaram em laboratório embriões sintéticos na fase de blastocisto a partir de células-tronco de ratinhos.

Pela primeira vez, uma equipe de cientistas holandeses criou embriões de ratos de laboratório, utilizando células-tronco em vez de células sexuais. Os chamados blastoides podem ser obtidos em grande número e, assim, ajudar a entender a formação da placenta ou como o embrião se implanta no útero.

O principal objetivo dos cientistas é entender o motivo de existirem tantas gravidezes sem sucesso nas primeiras semanas de gestação, principalmente durante ou pouco depois da implantação no útero.

Fora do laboratório, ou seja, no mundo natural, quando o espermatozoide fertiliza um ovócito forma um zigoto, um embrião constituído por apenas uma célula. Posteriormente, o zigoto se divide em outras idênticas. Em certo momento, o novo ser parece uma esfera oca com cerca de 100 células e é nesta fase que passa a se chamar blastocisto.

De acordo com o Público, o blastocisto tem dois tipos de células-tronco: as células do pluriblasto e as do trofoblasto. As primeiras, que estão dentro do blastocisto, são células-tronco embrionárias pluripontentes, que dão origem a todos os tipos celulares do organismo. Já as células do trofoblasto fazem parte da camada externa de células do blastocisto e contribuem para a formação da placenta.

(dr) Nicolas Rivron

Blastoide: as células verdes iriam originar a placenta e as castanhas o feto

A equipe de cientistas desenvolveu durante vários anos esse modelo da fase inicial do embrião, no laboratório de Nicolas Rivron, do Instituto de Medicina Regenerativa Inspirada na Tecnologia da Universidade de Maastricht, que liderou a equipe.

Num processo que, à primeira vista, parece simples, os cientistas combinaram células-tronco pluriblasto e células-tronco do trofoblasto de ratos em um pratinho de laboratório.

Esses dois tipos de células-tronco embrionárias permitiram formar uma estrutura com três dias e meio, assim como se fosse um blastocisto. “Chamamos esses embriões sintéticos ‘blastoides’, que significa ‘como o blastocisto’”, explica Rivron ao jornal.

Em uma fase posterior da experiência, o blastoide foi implantado no útero de um ratinho fêmea. As células do pluriblasto deram instruções às células do trofoblasto como deviam se organizar e se implantar no útero e foi assim que se formou uma espécie de casulo que envolveu o embrião.

“O blastoide proliferou, se alongou e formou tipos de células específicas, incluindo células que atraem e se misturam com os vasos sanguíneos da mãe ratinho. Isso mostrou que a gravidez se iniciou”, explica o cientista.

O resultado é um modelo de cultura celular, pelo que o embrião não evolui para um estado mais avançado. Ainda assim, apesar de não ser a primeira vez que cientistas conseguem criar blastocistos em laboratório sem juntar óvulos e espermatozoides, essa é a primeira vez que o conseguem fazer juntando dois tipos de células-tronco.

Além disso, é também a primeira vez que uma equipe consegue ver esses embriões implantados com sucesso no útero de uma fêmea.

“Foi difícil descobrir as condições iniciais que desencadeiam a ‘conversa’ entre células-tronco”, explica Rivron. Para resolver o problema, o laboratório teve que testar várias combinações de moléculas. “Essas tentativas nos permitiram descobrir o coquetel perfeito e desencadear o processo de auto-organização”, conclui.

Esse avanço vai permitir estudar o embrião em detalhe e reduzir o uso de animais nas experiências. Além disso, a partir do blastoide será possível compreender como os embriões se formam ou como resolver problemas de infertilidade, de contracepção ou de algumas doenças suscitadas por pequenos danos nas células do embrião, como a diabetes ou doenças cardiovasculares.

“Agora temos uma nova forma de estudar as fases iniciais do desenvolvimento embrionário e explorar a influência de fatores ambientais no desenvolvimento e em doenças”, afirma Niels Geijsen, do Instituto Hubrecht (Holanda) e um dos autores do estudo, publicado na Nature Communications.

Mesmo assim, Nicolas Rivron diz que ainda é muito cedo para se perceber todas as implicações do “poderoso” modelo de pesquisa.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …

Em último vídeo do mandato, Merkel pede que população se vacine

A chanceler alemã Angela Merkel, que deixará o poder na próxima quarta-feira (8), voltou a defender neste sábado (4) a vacinação contra a Covid-19, no último de uma série de mais de 600 vídeos …

Descobrem na China ferramenta de marfim de 99 mil anos, possivelmente a mais antiga do país

Pesquisadores desenterraram uma pá de marfim datada de há cerca de 99.000 anos em um sítio arqueológico do Paleolítico na província chinesa de Shandong. Acredita-se que o objeto seja uma das primeiras ferramentas de osso utilizadas …