Crise “apagou o Natal” na Venezuela: já não há nem pisca-piscas nas ruas

A crise político-econômica “apagou o Natal” na Venezuela, onde segundo habitantes está tudo tão caro que é impossível uma ceia como antes e onde já nem se veem pisca-piscas nas ruas.

Oxalá se tudo fosse como antes, como no tempo de Carlos Andrés Pérez, quando éramos felizes e não sabíamos”, disse uma luso-venezuelana à agência Lusa, fazendo referência ao líder de Ação Democrática que presidiu a Venezuela em duas oportunidades e que em 1989 implementou um pacote de medidas econômicas que desencadeou uma violenta explosão social, conhecida como El Caracazo.

Com nostalgia, Violeta Soares, doméstica de 67 anos, lembrou que no passado “não era preciso fazer filas para conseguir alimentos, para o pão, para conseguir leite, açúcar, café, arroz, margarina…”.

“Eram outros tempos. Havia fartura. Na mesa de Natal havia salada, pão com presunto, pernil assado, doce de papaia, broas e bebidas. Hoje, nem Coca-Cola se consegue nas lojas e ninguém bate à porta para que prove um bolo, porque ou não há ingredientes ou está tudo tão caro que é apenas para os que vivem em casa”, explicou.

No Mercado de Chacao, Manuel Pérez, de 62 anos, desabafava que “tudo está muito caro”.

Andei comprando coisas para as ‘hayacas’ (prato típico do Natal venezuelano) e tive de fazer contas porque o dinheiro não chega para nada. Não cheira a Natal. Em casa éramos cinco, eu, a mulher, a filha, o genro e o neto. Eles emigraram e fiquei só com a mulher e, mesmo assim, se não fosse a ajuda que me mandam, passaríamos fome”, lamentou.

Para o luso-descendente José Freitas, engenheiro de software de 30 anos, neste Natal “não há nada que celebrar, está tudo tão mau no país que nem pisca-piscas se vê nas ruas”.

Perdi mais de 11 quilos em quatro meses. Para conseguir carne tenho que perder a noite para fazer fila. Hoje tudo está a um preço e amanhã a outro. Dizem que em janeiro o salário mínimo vai aumentar, mas isso não nos alegra, porque depois os preços disparam”, explicou.

Com um carro parado há três meses por falta de uma peça, sonha “emigrar um dia para Portugal”. “Mas a realidade me sacode e me lembra que não posso pagar a viagem, que é preciso euros e que não posso deixar para trás a mulher e o bebê de dois anos”.

Apagou-se tudo, o Natal, a esperança, a qualidade de vida e o futuro. Na Venezuela estamos deprimidos. Quem pode pensar em festejar vendo como tudo piora diariamente”, questionou.

Vários habitantes explicaram à Lusa que as ruas venezuelanas refletem a crise no país: salvo raras exceções, as pessoas deixaram de colocar adornos nas janelas, luzes nos beirais, nas árvores dos quintais e nas varandas dos apartamentos.

“Os que ainda podem, farão uma ceia mais modesta, que terminará em solidão e na saudade dos tempos em que vizinhos e amigos compartilhavam” a alegria das festividades.

Ciberia, Lusa // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Filho interrompe ao vivo de repórter para pedir biscoitos

Em mais uma das patacoadas do home-office, a jornalista Deborah Haynes da Sky News acabou sendo interrompida por seu filho, que fez um pedido bastante singelo para a mãe: ele queria alguns biscoitos. O vídeo foi …

Encontrados metais em crateras da Lua que podem dar pistas sobre sua formação

A hipótese mais aceita sobre a formação da Lua diz que ela surgiu após a colisão entre a Terra e um planeta do tamanho de Marte, chamado Theia. O suposto evento é chamado de “hipótese …

Coronavírus empurra Cuba de volta à crise

Apesar de a covid-19 estar sob controle no país, os problemas econômicos têm se agravado, e a já difícil situação de abastecimento se torna mais crítica. Segundo semestre deve ser ainda pior na ilha caribenha. Cuba …

Boicote ao Facebook: como a debandada de grandes anunciantes pode afetar sobrevivência da rede social

Boicotes podem ser extremamente eficazes: é o que o Facebook está descobrindo. No final do século 18, o movimento abolicionista encorajou o povo britânico a ficar longe de bens produzidos pelos escravos. Funcionou. Cerca de 300 …

Cientista conta quais formas de vida os humanos podem encontrar em Marte

A humanidade tem cada vez mais chances de conhecer outras formas de vida, conforme desenvolve suas capacidades de exploração espacial. Em Marte, poderemos encontrar organismos introduzidos por veículos espaciais e modificados sob influência das condições no …

O coronavírus do ocidente é uma versão mais perigosa do que a original

Esforços são realizados para identificar se o vírus SARS-CoV-2, causador da Covid-19, passou por mutações em relação ao primeiro identificado em Wuhan, na China, em dezembro do ano passado. Em abril, um estudo não revisado pelos …

Missão indiana levará sonda para investigar efeitos do vento solar em Vênus

Em 2005, o Instituto Sueco de Física Espacial (IRF) enviou à órbita de Vênus a sonda ASPERA-4, através da missão Venus Express, da agência espacial europeia ESA. A sonda estudou o planeta até 2014, medindo …

O mistério das centenas de elefantes encontrados mortos em Botsuana

A morte “totalmente sem precedentes” de centenas de elefantes em Botsuana nos últimos meses está cercada de mistério. O biólogo e ativista Niall McCann afirmou que colegas no país do sul da África identificaram mais de …

Coronavírus na Coreia do Norte: Kim Jong-un declara 'sucesso brilhante' no combate à pandemia e zero casos

O líder norte-coreano Kim Jong-un elogiou o "sucesso brilhante" de seu país ao enfrentar a pandemia de covid-19, segundo a agência de notícias estatal KCNA. Falando em uma reunião do Politburo, Kim disse que o …

Bolsonaro veta uso obrigatório de máscaras em comércio, templos e repartições públicas

Presidente alegou que uso de máscaras em locais fechados pode ser classificado como "violação de domicílio" e vetou trecho que obrigava o poder público a fornecer máscaras para a população mais pobre. O presidente Jair Bolsonaro …