Crise de refugiados: Polônia prende dezenas de refugiados e acusa Belarus de ter provocado crise

A Polônia anunciou, nesta quarta-feira (10), uma operação contra os migrantes reunidos na fronteira com Belarus e a detenção de 50 pessoas, ao mesmo tempo que acusou Minsk e Moscou de terem organizado uma crise na entrada da Europa. De 3.000 a 4.000 migrantes, principalmente curdos do Oriente Médio, estão aglomerados há vários dias em uma área de bosques, na fronteira leste da União Europeia (UE), sob temperaturas gélidas e diante de tropas polonesas enviadas à região para impedir a passagem.

“Estamos muito preocupados com a situação humanitária e fazemos um apelo para os estados para garantir a segurança e o respeito aos migrantes e refugiados. Houve várias mortes trágicas nos últimos dias”, declarou à RFI Céline Schmitt, porta-voz da Agência das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), que, junto com a Organização Internacional para as Migrações (OIM) denunciam “a instrumentalização dos migrantes e refugiados para fins políticos.”

Os europeus acusam o presidente bielorrusso, Alexander Lukashenko, aliado da Rússia, de atrair migrantes do Oriente Médio para seu país e depois enviá-los para a fronteira com a Polônia, em represália pelas sanções da UE contra seu país, impostas devido à repressão aos opositores, depois da eleição presidencial de 2020.

O primeiro-ministro polonês, Mateusz Morawiecki, acusou o presidente russo, Vladimir Putin, de “dirigir” a onda de migrantes que tentam entrar ilegalmente na Polônia a partir de Belarus. Ele disse que o “ataque” ameaça desestabilizar a UE.

Moscou chamou as acusações de “irresponsáveis e inaceitáveis“.

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, pediu ao presidente Putin “ação contra a instrumentalização dos migrantes por parte do governo de Belarus”, segundo o seu porta-voz, Steffen Seibert. Durante uma conversa telefônica, a chanceler considerou “inaceitável a instrumentalização dos migrantes” na fronteira entre Polônia e Belarus.

Travessia da fronteira

As autoridades polonesas anunciaram nesta quarta-feira que houve um aumento nas tentativas de atravessar a fronteira e que algumas pessoas conseguiram chegar ao país. Nas últimas 24 horas, a polícia prendeu mais de 50 pessoas perto da fronteira por entrada ilegal no território, informou à AFP Tomasz Krupa, porta-voz do departamento regional de Podlaskie.

Na mesma região, de acordo com a porta-voz dos guardas de fronteira, Katarzyna Zdanowicz, três pessoas – um russo, um lituano e um sueco – foram detidos por terem contribuído para a “organização de travessias ilegais”. Eles podem ser condenados a oito anos de prisão.

A situação não é tranquila“, afirmou o ministro polonês da Defesa, Mariusz Blaszczak.

Ele acrescentou que pequenos grupos de migrantes tentam ultrapassar a fronteira do país, de “forma simultânea por diferentes lugares”.

Quase 15.000 soldados protegem as fronteiras polonesas, completou.

Intimidações

O ministério da Defesa também afirmou que as autoridades bielorrussas intimidam os migrantes para que atravessem a fronteira à força.

A pasta divulgou dois vídeos no Twitter que mostram um tiro supostamente disparado do lado bielorrusso da fronteira por um homem de uniforme.

Os vídeos mostram um grupo de migrantes perto da fronteira do lado bielorrusso, incluindo algumas crianças.

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, deve conversar nesta quarta-feira, em Varsóvia, com o primeiro-ministro polonês sobre a situação.

Ao menos 10 migrantes morreram na região, desde o início da crise, sete do lado polonês, segundo o jornal Gazeta Wyborcza.

A Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet, também falou sobre a crise. “Peço aos Estados envolvidos que adotem medidas imediatas para desativar e resolver esta situação intolerável, dentro de suas obrigações no direito internacional dos direitos humanos e dos direitos dos refugiados”.

Belarus acusa Ocidente

Diante de uma quinta rodada de sanções, que mencionam no Ocidente, o pretexto utilizado desta vez é a crise migratória provocada pela UE e seus membros limítrofes com Belarus”, afirmou o chefe da diplomacia bielorrussa, Vladimir Makei, em uma reunião com seu colega russo em Moscou.

Makei destacou que espera um “trabalho reforçado” com a Rússia, seu principal aliado, incluindo “uma reação conjunta a atos inamistosos” direcionados a Belarus.

O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov, concordou e afirmou que Minsk e Moscou reforçaram a “colaboração efetiva para contra-atacar a campanha contra Belarus iniciada por Washington e seus aliados europeus nas organizações internacionais”.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …