Descoberta “Casa dos Mortos” onde podem estar enterrados os antepassados de Stonehenge

University of Reading Archaeology Field School / Andy Burns / Facebook

"Casa dos Mortos" em Wiltshire, Reino Unido, pode conter os vestígios mortais dos antepassados de Stonehenge

“Casa dos Mortos” em Wiltshire, Reino Unido, pode conter os vestígios mortais dos antepassados de Stonehenge

Arqueólogos britânicos descobriram uma “Casa dos Mortos” que data de 5 mil anos atrás e que pode conter os vestígios mortais dos antepassados dos povos que viveram em torno do monumento neolítico de Stonehenge.

A descoberta foi feita por arqueólogos e estudantes da Universidade de Reading, no Reino Unido, em um local conhecido como “Cat’s Brain” (ou Cérebro de Gato, em português) que fica situado entre os monumentos pré-históricos de Stonehenge e de Avebury, no condado de Wiltshire (região sul da Inglaterra).

A “Casa dos Mortos” foi encontrada no meio do campo de um agricultor, durante escavações realizadas no âmbito do projeto final de campo da Escola de Arqueologia da Universidade de Reading (UR).

Os arqueólogos situam o achado há 5 mil anos, acreditando que remonta ao início do período Neolítico, época em que apareceram no Reino Unido “as primeiras comunidades agrícolas e os primeiros construtores de monumentos”, conforme salienta a UR em comunicado no seu site.

O monumento começou sendo detectado através de fotografias aéreas e, depois, foi registrado por imagens de pesquisa geofísica.

Finalmente, os arqueólogos encontraram um edifício central com duas valas em seu redor, notando que estas podem ter sido feitas para escavar a terra que cobria os mortos.

Agora, “descobrir os restos enterrados dos que podem ser os ancestrais dos que viveram em volta de Stonehenge seria a cereja no bolo de um projeto fantástico”, destaca o Diretor da Escola de Campo de Arqueologia da UR, Jim Leary, citado na página da Universidade.

Jim Leary destaca a “fantástica oportunidade” de poder estudar “com as mais recentes técnicas e tecnologias” um monumento intacto como este.

Acredita-se que pode conter vestígios humanos datados por volta de 3.600 antes de Cristo, o que leva a codiretora da Escola de Campo de Arqueologia da UR, Amanda Clarke, a falar em uma “descoberta incrível de um dos primeiros monumentos britânicos” e que “oferece um vislumbre raro sobre este importante período da História”.

“Estamos colocando o pé dentro de um edifício significativo que permaneceu esquecido e escondido durante milhares de anos”, acrescenta Amanda Clarke citada pela UR.

As escavações continuam na tentativa de recolher ossos, artefatos e outras evidências que possam ser analisadas.

No próximo sábado, 15 de julho, o projeto abre as portas à comunidade para permitir a qualquer pessoa “ver a pré-história ser desenterrada”, informa Jim Leary.

// ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …

Em último vídeo do mandato, Merkel pede que população se vacine

A chanceler alemã Angela Merkel, que deixará o poder na próxima quarta-feira (8), voltou a defender neste sábado (4) a vacinação contra a Covid-19, no último de uma série de mais de 600 vídeos …

Descobrem na China ferramenta de marfim de 99 mil anos, possivelmente a mais antiga do país

Pesquisadores desenterraram uma pá de marfim datada de há cerca de 99.000 anos em um sítio arqueológico do Paleolítico na província chinesa de Shandong. Acredita-se que o objeto seja uma das primeiras ferramentas de osso utilizadas …