Donald Trump vai retirar sigilo de arquivos sobre assassinato de Kennedy

Walt Cisco, Dallas Morning News / Wikimedia

O presidente dos Estados Unidos, John F. Kennedy, em Dallas, em 1963, na sua limousine ao lado da mulher, Jackie, poucos minutos antes de ser assassinado.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou esse sábado (21) que vai retirar o sigilo dos arquivos sobre o assassinato do ex-presidente democrata John F. Kennedy, baleado durante uma visita a Dallas, no estado do Texas, no dia 22 de novembro de 1963. As informações são da Agência EFE.

“Sujeito ao recebimento de informações adicionais, permitirei, como presidente, que sejam abertos os arquivos classificados e há muito tempo bloqueados de JFK”, disse Trump pelo Twitter, durante sua habitual série de mensagens matutinas na rede social.

O Arquivo Nacional tem até quinta-feira (26) para decidir quais dos 3,1 mil documentos sigilosos sobre o assassinato de Kennedy podem ser publicados e quais devem ser mantidos em segredo.

Trump é quem tem a autoridade final para decidir sobre a publicação dos arquivos ou mantê-los guardados por mais 25 anos.

Uma porta-voz da Casa Branca disse ontem (20) ao site Politico que os assessores de Trump estão trabalhando para “garantir a publicação da maior quantidade possível desses arquivos na quinta-feira”.

Mas reconheceu que o governo está preocupado com o fato de que alguns registros desses arquivos não foram criados até a década de 1990 e que eles devem ser revisados para que a publicação dos arquivos não causem um “dano identificável” à segurança nacional.

Um funcionário do Congresso que acompanhou de perto o processo afirmou ao Politico que a Agência Central de Inteligência (CIA) pressionou Trump para impedir a publicação de alguns documentos, possivelmente para esconder os métodos de atuação do órgão ou a identidade de alguns espiões que possam ainda estar vivos.

“Suponho que o presidente possa mudar de ideia no último momento, mas, a não ser o que o faça, não haverá uma publicação absoluta dessas informações. Veremos muitos arquivos na semana que vem, mas não todos, infelizmente”, disse a fonte, que pediu anonimato.

Quem questiona a versão oficial sobre o assassinato de Kennedy espera impacientemente a decisão de Trump, com a esperança de que os novos documentos possam esclarecer o maior mistério da história recente dos EUA.

Segundo o Politico, é possível que documentos da década de 1990 sejam publicados com censuras, de modo a evitar expor operações de inteligência relativamente recentes.

A maior parte dos 3,1 mil documentos sigilosos foi feito pela CIA, pelo FBI e pelo Departamento de Justiça. Uma lei de 1992 determina que eles sejam publicados totalmente na quinta-feira, a não ser que Trump determine o contrário.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Asteroide passará perto da Terra a 27.000 km/h na sexta-feira, alerta NASA

Um grande corpo celeste está se movendo na direção da Terra e chegará ao ponto mais próximo do nosso planeta nesta sexta-feira (6). De acordo com as estimativas da NASA, o asteroide 2019 WR3 mede entre …

Mensagem misteriosa pintada em urso polar na Rússia alarma pesquisadores

Imagens compartilhadas por perfis russos nas redes sociais com um urso polar pintado em spray com o símbolo "T-34" ter alarmado especialistas. Eles advertem que a pintura — cujas circunstâncias ainda não foram identificadas — pode …

Experimento deve provar que microgravidade inibe crescimento de tumores

De onde estiver, Stephen Hawking segue presente na ciência, e seus últimos conselhos devem render uma descoberta para lá de impressionante (e revolucionária). Em conversa com um pesquisador da Austrália, o gênio da física falou sobre …

Justiça absolve Lula e Dilma no caso "quadrilhão do PT"

Juiz que analisou caso afirma que denúncia apresentada por Rodrigo Janot contra cúpula do PT em 2017 foi tentativa de "criminalizar a atividade política". Ministério Público pediu absolvição dos réus em outubro. A Justiça Federal do …

Chineses ativam o primeiro radiotelescópio posicionado no lado afastado da Lua

Um experimento que levou mais de um ano para ser concluído no lado afastado da Lua finalmente está em funcionamento. Não está ainda 100%, mas o Netherlands-China Low-Frequency Explorer (NCLE) já consegue captar sinais de …

"Vão ter que mudar", diz Greta sobre Bolsonaro e Trump em retorno à Europa

A ativista chegou em Lisboa na tarde desta terça-feira (3), 21 dias depois de sair dos EUA a bordo de um veleiro. A jovem sueca retorna à Europa para participar da COP 25, a conferência …

Museu decide comprar apenas obras de mulheres por um ano por reparação histórica

Para se transformar a velha normalidade repleta de preconceitos, violências e desigualdades embutidas é preciso atitudes efetivas e concretamente transformadoras. Da mesma forma que a dívida histórica racial deve ser reparada não somente no discurso, mas …

Black Friday no Brasil superou a dos EUA nos apps de compras, segundo estudo

Neste ano, a Black Friday fez a sua marca entre as compras dos brasileiros. O próprio Canaltech fez uma cobertura muito especial em torno da Black Friday deste ano.Importada dos EUA, a tradição está mesmo …

Para acalmar a crise, presidente chileno propõe ajuda de R$ 520 para 1 milhão de famílias

O presidente do Chile, Sebastián Piñera, propôs nesta terça-feira (3) a criação de um bônus de 100.000 pesos chilenos (cerca de R$ 520), que serão distribuídos para 1,3 milhão de famílias. O objetivo da medida, …

Anvisa dá aval à venda de maconha medicinal em farmácias

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou nesta terça-feira (03/12) um novo marco regulatório para o registro e venda de produtos à base de cannabis em farmácias no país, tornando o Brasil a nação …