Dormir mais de 10 horas aumenta o risco de doenças cardiovasculares

quinnanya / Flickr

-

A conclusão é da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e do Instituto do Sono, na última edição do World Congress on Brain, Behavior and Emotions, congresso sobre o cérebro realizado em Porto Alegre.

Os cientistas apresentaram evidências de uma série de estudos nacionais e internacionais que identificaram os riscos à saúde associados à prática de dormir muito ou pouco.

Por exemplo, em uma pesquisa da Universidade do Nevada (EUA) e publicada no periódico Sleep Medicine neste ano, os autores concluíram que dormir de duas a quatro horas por noite aumenta em duas vezes o risco de sofrer enfarte ou Acidente Vascular Cerebral (AVC). Já entre os que dormem mais de dez horas, esse risco é sete vezes maior.

E segundo falou no congresso a pesquisadora da Unifesp e palestrante, Lenise Jihe Kim, o fenômeno pode estar associado às características do sono de quem dorme demais.

“Basicamente, as pessoas que dormem mais teriam maiores despertares durante a noite, ou seja, um sono mais fragmentado. E a cada despertar elevam a pressão arterial e a frequência cardíaca. Isso, cronicamente, leva à hipertensão e à inflamação, alterações cardiometabólicas que favorecem um AVC ou um enfarte”, disse a especialista, citada pelo O Estado de S. Paulo.

Até há poucos anos, os estudos dessa temática ficavam mais restritos aos riscos da privação do sono e não do excesso dele. “A temática das pessoas que dormem muito é bastante recente. Temos registros de alguns estudos um pouco mais antigos, mas pesquisas epidemiológicas com evidências populacionais são de 2016 para 2017”, disse.

Um dos primeiros estudos que já apontavam os riscos de passar muitas horas na cama – conduzido por pesquisadores de Baltimore, nos Estados Unidos, e publicado em 2009 no Journal of Sleep Research – mostrou que o risco de morrer por uma doença cardiovascular era 38% maior entre os que dormem muito em comparação com quem dorme oito horas por noite.

O índice é bem maior do que o encontrado entre os que dormem pouco. Nesse grupo, o risco de mortalidade era 6% maior.

Lenise explica que uma das hipóteses é que a pessoa que dorme demais, ao contrário daquele que sofre com insônia, não percebe que se trata de um problema de saúde. “Ela não reconhece bem os sintomas, acha que, por ter a oportunidade de dormir mais, não tem problemas e não procura serviços médicos. Mas a verdade é que os que dormem mais horas costumam sofrer mais com problemas como ronco e apneia do sono”, relatou.

E não é só o número de horas que define uma “pessoa que dorme muito”. “São aquelas pessoas que dormem mais do que a média da população, que é de sete a oito horas por noite, mas que fazem isso porque precisam dessa quantidade de horas. Não é simplesmente porque têm uma oportunidade de dormir mais em um fim de semana, por exemplo, é porque tem a necessidade de dormir muito para se sentirem bem no dia seguinte”, afirma.

No outro extremo, o dos que passam poucas horas na cama, os pesquisadores apontaram como riscos problemas cardiovasculares, obesidade e outras doenças associadas ao excesso de peso. Dormir de duas a quatro horas por noite eleva o risco de ganhar peso em 200%.

O motivo é que a restrição de sono provoca alterações metabólicas que alteram hormônios. Isso aumenta a nossa fome e diminui a sensação de saciedade. Ou seja, sem dormir bem, acabamos comendo mais do que comeríamos em um dia normal e vamos preferir comidas calóricas, ricas em gordura e açúcares, segundo explicou Monica L. Andersen, diretora do Instituto do Sono, professora da Unifesp e também palestrante do congresso.

O sistema de defesa do organismo também fica mais frágil com a privação de sono, segundo Sergio Tufik, presidente do instituto e também professor da Unifesp. “Dormir pouco prejudica o sistema imunológico e deixa o nosso corpo mais suscetível até mesmo ao crescimento de células tumorais. Essas células estão presentes em todas as pessoas, mas, com o sistema de defesa funcionando bem, a chance de as combatermos é maior”, contou.

// ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

A quantidade de nitrogênio emitida pela pecuária já ultrapassou os limites seguros

A quantidade de nitrogênio emitida pela criação de animais para abate é superior ao que o planeta pode aguentar. Cientistas alertam que é necessário diminuir o consumo de carne e laticínios. As principais fontes de nitrogênio …

França vai adotar teste de saliva nos aeroportos para evitar 2ª onda de Covid-19

O governo francês anunciou nesta sexta-feira (10) a implementação de testes a base de saliva em seus aeroportos. A medida, que tem como objetivo evitar uma segunda onda de contaminação pelo coronavírus, visa principalmente os …

De 4.200 anos? Arqueólogos desvendam em Israel 'emoji' mais antigo do mundo

Arqueólogos israelenses encontraram evidências de arte rupestre sem precedentes em dólmens de 4.200 anos. O novo projeto de pesquisa faz parte de um estudo de dólmens (monumentos megalíticos tumulares construídos por humanos) na Alta Galileia e …

Governo remarca Enem para janeiro e fevereiro de 2021

O Ministério da Educação anunciou nesta quarta-feira (08/07) as novas datas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2020, adiado em razão da epidemia de covid-19. As provas em papel serão aplicadas em 17 …

Steve Jobs dizia acreditar na eficiência do trabalho remoto já em 1990

Com a chegada da pandemia do novo coronavírus e, consequentemente o isolamento social, muitas pessoas conseguem continuar trabalhando normalmente de forma remota. Mesmo dentro de casa, felizmente, algumas empresas conseguem manter o contato com seus funcionários …

Viagem tripulada a Marte seria melhor com passagem por Vênus, afirmam astrônomos

De acordo com cientistas norte-americanos, cálculos das órbitas entre a Terra e Marte os levaram a concluir que tais viagens seriam mais rápidas, eficientes, e permitiriam estudar os dois planetas. Uma viagem da Terra a Marte …

EUA: Suprema corte autoriza a divulgação de documentos financeiros de Trump

A Suprema Corte dos Estados Unidos impôs uma grande derrota a Donald Trump, ao decidir que um procurador de Nova York tem direito de acesso a vários documentos financeiros do presidente, incluindo declarações de …

O fenômeno "água morta", observado a mais de cem anos, é finalmente explicado

Finamente uma equipe com especialistas de múltiplas áreas CNRS e da Universidade de Poitiers, ambas na França, decifrou a misteriosa ocorrência pela primeira vez. O estranho é fenômeno que desacelera navios ou faz que eles parem …

Pode mesmo haver vida nas nuvens de Vênus, dizem cientistas

Quem gosta de astronomia não deve saber que Vênus não é o mais habitável dos planetas. Com temperaturas em torno de 470ºC e com uma atmosfera formada por dióxido de carbono e nitrogênio noventa vezes …

Cientistas rebatem decisão da China de coletar DNA de homens e meninos

Um relatório que revelou que a China está coletando DNA de milhões de pessoas para ajudar a solucionar crimes. Essa informação tem levantado preocupações entre os pesquisadores sobre privacidade e consentimento, sob o argumento de que …