Dormir muito é tão prejudicial quanto dormir pouco

quinnanya / Flickr

Um novo estudo descobriu que dormir muito pode ter consequências tão prejudiciais para a saúde quanto dormir pouco, reduzindo igualmente as capacidades cognitivas. 

Um grupo de cientistas da Universidade norte-americana de Ontário conduziu em junho de 2017 o “maior estudo sobre o sono do mundo”, que contou com 44 mil participantes. Os resultados da pesquisa foram agora publicados na revista científica Sleep.

“Queríamos realmente registrar os hábitos de sono de pessoas de todo o mundo”, explicou Adrian Owen, coautor do estudo, em comunicado.

Os participantes foram questionados sobre quantas horas dormiam habitualmente, tendo que responder a um extenso questionário sobre seus hábitos de sono. De acordo com a publicação, o objetivo passava por entender o impacto das horas de sono na mente.

“O questionário era bastante complexo. Os participantes tinham que nos dizer várias coisas, como a medicação que tomavam, a idade, a localização geográfica ou o tipo de educação que tinham recebido – pois são os fatores que podem contribuir para alguns dos resultados”, sustentou o pesquisador.

Uma das descobertas mais surpreendentes dava conta que os participantes que dormiam menos de quatro horas por noite tinham atividades cognitivas como se fossem nove anos mais velhos.

A equipe descobriu também que a forma como o sono afeta o corpo é transversal a todos os adultos. As maiores capacidades cognitivas foram notadas em participantes que relatavam dormir cerca de 7 a 8 horas por noite, independentemente da idade – números que a ciência já tinha provado através de outros estudos.

Curiosamente, os cientistas descobriram ainda que dormir horas a mais é tão prejudicial para o cérebro quanto dormir muito pouco.

“Descobrimos também que as pessoas que dormiam mais do que as 7/8 horas recomendadas pelos médicos tinham dificuldades cognitivas igualmente, assim como as que dormiam pouco”, acrescentou Conor Wild, que liderou o estudo.

O que a comunidade científica já disse

Muito já se disse e já se escreveu sobre o número de horas que cada um de nós deve dormir. Normalmente, os médicos recomendam cerca de 7 a 8 horas diárias de sono. Vários estudos publicados recentemente vão de encontro com esse número.

A ciência também tem se pronunciado amplamente sobre o tema – com alguns estudos bastante contraditórios. Pesquisas conduzidas em fevereiro de 2015 revelaram que dormir 8 horas faz, afinal, mal à saúde. Um estudo mais recente, de julho de 2017, sugere que dormir mais de 10 horas por dia aumenta o risco de contrair doenças cardiovasculares.

E os especialistas vão ainda mais longe. Além de estudarem o número de horas ideal para o bem-estar, apontam ainda a melhor posição para dormir, de forma a obter um melhor descanso. O segredo é, segundo dizem, dormir de lado – e, de preferência, para o lado esquerdo.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …

Em último vídeo do mandato, Merkel pede que população se vacine

A chanceler alemã Angela Merkel, que deixará o poder na próxima quarta-feira (8), voltou a defender neste sábado (4) a vacinação contra a Covid-19, no último de uma série de mais de 600 vídeos …

Descobrem na China ferramenta de marfim de 99 mil anos, possivelmente a mais antiga do país

Pesquisadores desenterraram uma pá de marfim datada de há cerca de 99.000 anos em um sítio arqueológico do Paleolítico na província chinesa de Shandong. Acredita-se que o objeto seja uma das primeiras ferramentas de osso utilizadas …