Dormir muito é tão prejudicial quanto dormir pouco

quinnanya / Flickr

Um novo estudo descobriu que dormir muito pode ter consequências tão prejudiciais para a saúde quanto dormir pouco, reduzindo igualmente as capacidades cognitivas. 

Um grupo de cientistas da Universidade norte-americana de Ontário conduziu em junho de 2017 o “maior estudo sobre o sono do mundo”, que contou com 44 mil participantes. Os resultados da pesquisa foram agora publicados na revista científica Sleep.

“Queríamos realmente registrar os hábitos de sono de pessoas de todo o mundo”, explicou Adrian Owen, coautor do estudo, em comunicado.

Os participantes foram questionados sobre quantas horas dormiam habitualmente, tendo que responder a um extenso questionário sobre seus hábitos de sono. De acordo com a publicação, o objetivo passava por entender o impacto das horas de sono na mente.

“O questionário era bastante complexo. Os participantes tinham que nos dizer várias coisas, como a medicação que tomavam, a idade, a localização geográfica ou o tipo de educação que tinham recebido – pois são os fatores que podem contribuir para alguns dos resultados”, sustentou o pesquisador.

Uma das descobertas mais surpreendentes dava conta que os participantes que dormiam menos de quatro horas por noite tinham atividades cognitivas como se fossem nove anos mais velhos.

A equipe descobriu também que a forma como o sono afeta o corpo é transversal a todos os adultos. As maiores capacidades cognitivas foram notadas em participantes que relatavam dormir cerca de 7 a 8 horas por noite, independentemente da idade – números que a ciência já tinha provado através de outros estudos.

Curiosamente, os cientistas descobriram ainda que dormir horas a mais é tão prejudicial para o cérebro quanto dormir muito pouco.

“Descobrimos também que as pessoas que dormiam mais do que as 7/8 horas recomendadas pelos médicos tinham dificuldades cognitivas igualmente, assim como as que dormiam pouco”, acrescentou Conor Wild, que liderou o estudo.

O que a comunidade científica já disse

Muito já se disse e já se escreveu sobre o número de horas que cada um de nós deve dormir. Normalmente, os médicos recomendam cerca de 7 a 8 horas diárias de sono. Vários estudos publicados recentemente vão de encontro com esse número.

A ciência também tem se pronunciado amplamente sobre o tema – com alguns estudos bastante contraditórios. Pesquisas conduzidas em fevereiro de 2015 revelaram que dormir 8 horas faz, afinal, mal à saúde. Um estudo mais recente, de julho de 2017, sugere que dormir mais de 10 horas por dia aumenta o risco de contrair doenças cardiovasculares.

E os especialistas vão ainda mais longe. Além de estudarem o número de horas ideal para o bem-estar, apontam ainda a melhor posição para dormir, de forma a obter um melhor descanso. O segredo é, segundo dizem, dormir de lado – e, de preferência, para o lado esquerdo.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Erdogan revela objetivos da operação turca na Síria

Nesta terça-feira (15), o presidente turco Recep Tayyip Erdogan disse que a operação militar no norte da Síria está progredindo com sucesso, tendo 1.000 km de território ao longo da fronteira sido libertados de terroristas. "Temos …

Cientista da NASA revela possível localização de vida extraterreste em Marte

Alfonso Davila, cientista da NASA, acredita que haja vida em Marte e afirma que a NASA elaborou um plano para realizar uma investigação do subsolo do planeta. O cientista também revela que há diversos desafios na …

Em contexto de tensão na Síria, diplomacia boicota jogo entre França e Turquia

A polícia reforçou suas equipes nos arredores do estádio. Já os responsáveis pela segurança dentro do Stade France passarão dos 1.200 habituais para 1.400 homens. Há temores de que torcedores turcos e militantes pró-curdos se enfrentem …

Enterros verdes: Paris inova e inaugura seu primeiro cemitério sustentável

O cemitério de Ivry-sur-Seine, no subúrbio de Paris, reservou uma área de 1.560 metros quadrados para enterros sustentáveis. A nova ala deverá ajudar a diminuir o impacto gerado pelos enterros tradicionais. A contaminação do solo e …

Microsoft quer levar internet a mais de 40 milhões de pessoas em 2022

A inicativa Airband, desenvolvida pela Microsoft, está sendo expandida com a meta de conectar mais de 40 milhões de pessoas à internet até julho de 2022. Lançado em 2017, o programa visa o aprimoramento da internet …

Abandonados, curdos encontram em inimigo dos EUA um aliado

Regime sírio, um aliado russo, desloca tropas para a fronteira em apoio a milícias curdas, que estão sendo atacadas pela Turquia desde que perderam apoio de Trump. Nova aliança representa reviravolta no conflito. As Forças Armadas …

Experimento quântico indica que viagem no tempo é possível

Utilizando um computador quântico cientistas conseguiram fazer com que a máquina voltasse em uma fração de segundo ao passado mostrando que a viagem no tempo é possível. Viajar ao passado é um dos maiores sonhos da …

Dobram os focos de queimadas em terras indígenas da Amazônia

Números são os maiores desde 2011. Parque do Xingu registrou o total mais alto de sua história. Segundo Ipam, aumento se deve à ação de invasores em combinação com período de secas intensas. Dados do Instituto …

Obesidade cresce de forma acelerada no Brasil e se aproxima da taxa dos países ricos, indica OCDE

A quantidade de pessoas obesas no Brasil cresceu de forma mais acelerada que a média dos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Agora, o Brasil se aproxima da taxa do problema …

É detectado quando asteroide recém-descoberto poderia impactar Terra

A Agência Espacial Europeia (ESA) acrescentou um novo asteroide à sua lista de perigos porque esse corpo celeste pode colidir com a Terra dentro de 65 anos. O asteroide se chama 2019 SU3, tem um diâmetro …