Erdogan declara vitória em eleições na Turquia

unaoc / Flickr

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan

Após 15 anos entre chefia de governo e de Estado, resultado inoficial aponta presidente Erdogan reeleito, agora com poderes executivos totais. Aliança conservadora-nacionalista garante maioria parlamentar absoluta.

Após numerosas notícias contraditórias e desmentidos, o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, declarou-se reeleito neste domingo (24/06).

“Nosso povo nos deu a tarefa de manter os postos presidencial e executivo”, disse, em breve discurso em Istambul. “Eu espero que ninguém tente lançar uma sombra sobre os resultados e prejudicar a democracia, de forma a esconder o próprio fracasso.”

Segundo resultados ainda inoficiais, o Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP), de Erdogan, apresentou 53% dos votos. O Partido do Movimento Nacionalista (MHP), com que forma aliança, obteve 11%. Juntos, eles deterão maioria absoluta no Parlamento. O principal oposicionista, o Partido Republicano do Povo (CHP), teve 31%.

Pouco depois do encerramento das urnas, seu líder, Muharrem Ince, acusou a agência estatal de notícias Anadolu de manipulação, advertindo seus adeptos que não se deixassem impressionar pelas primeiras contagens, pois, as autoridades sempre divulgavam primeiro os resultados de municípios próximos do partido de Erdogan.

De fato: nas primeiras fases da apuração o AKP apresentava maioria absoluta, segundo fontes próximas a Ancara. Além disso, enquanto o governo afirmava já terem sido aprovadas mais de 95% das urnas, um porta-voz do CHP rebatia que apenas 39% dos votos haviam sido contados e que a eleição iria ao segundo turno.

O Partido Democrático dos Povos (HDP), socialista e pró-curdo, saiu com cerca de 11%, superando a cláusula de barreira de 10% e, assim, habilitando-se a ocupar assentos no Parlamento. Seu candidato, Selahattin Demirtas, conduziu a campanha a partir da prisão, contando com o respaldo não apenas dos curdos, mas também da esquerda turca.

Cerca de 56 milhões de cidadãos foram pela primeira vez chamados às urnas para eleger simultaneamente o presidente e um novo parlamento. A participação eleitoral foi de 88%. Este pleito é considerado um passo decisivo para a reforma constitucional aprovada em 2017, que entrega todos os poderes executivos ao chefe de Estado.

Entre a chefia de governo e de Estado, Erdogan já dirige os destinos da Turquia há 15 anos, de forma crescentemente autoritária. Caso seja efetivamente reeleito, o líder turco começa o mandato sob um novo sistema presidencialista. A reforma constitucional para esse fim foi aprovada em referendo, em abril de 2017.

Na concepção de sistema presidencial de Erdogan, o poder de formar e dirigir o governo deve ser transferido do Parlamento para o presidente. Ele também pode vir a acumular o comando dos setores de inteligência e militar, e todos os ministros também deverão ser escolhidos por ele.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA: conheça a região com a maior taxa de mortalidade por Covid-19 no mundo

Mais de 12 milhões de pessoas estão contaminadas pela Covid-19 nos Estados Unidos. Mas o vírus não ataca o país de maneira equitativa. Os estados do centro assistem a uma progressão acelerada da epidemia …

Osmar Terra, negacionista da pandemia, está internado com covid-19 em UTI

O deputado federal Osmar Terra (MDB-RS), um dos maiores negacionistas da pandemia e fomentador de fake news sobre o novo coronavírus, está internado com covid-19 em um hospital em Porto Alegre. Segundo comunicado do Hospital São …

Detalhe microscópico revela segredos de retratos egípcios de 1.800 anos

Análise das partículas da tinta revelou novas informações sobre os retratos enterrados ao lado das múmias egípcias há mais de 1.800 anos. A pintura Retrato do Homem Barbudo foi feita entre 170 e 180 d.C. e …

Ação da polícia contra migrantes em Paris gera críticas

Forças de segurança desmontam de forma violenta acampamento improvisado no centro da capital francesa. Ministro do Interior diz que imagens são chocantes. Ação ocorre na véspera de votação de lei que favorece polícia. A ação da …

Pandemia gera escassez de matéria-prima e faz preços subirem no Brasil

Por três vezes ao longo do mês de outubro, Diogo Murrieta, dono da pizzaria La-Nápoles, em Belém do Pará, tentou comprar as embalagens de papelão nas quais suas pizzas são entregues aos clientes e não …

Quando as crianças dominaram o mundo: uma sociedade paralela que parece saída da ficção

Na virada do século XIX para o século XX, os jovens, aqueles que já não mais eram crianças mas ainda não haviam entrado para o mercado de trabalho e se tornado adultos, sequer eram vistos …

Sem reconhecer derrota, Trump autoriza início de transição para administração Biden

Mais de duas semanas após o anúncio da vitória de Joe Biden na eleição presidencial americana, Donald Trump autorizou nessa segunda-feira o início do processo de transição para a administração do democrata, mas não …

Os estados quânticos mais extremos são descobertos por cientistas

Pela primeira vez, físicos descobriram uma maneira de definir matematicamente o grau de quanticidade que qualquer coisa — seja partícula, átomo, molécula ou mesmo um planeta — exibe A partícula de luz é uma bola zunindo …

Itália supera a marca de 50 mil mortos por COVID-19

Primeiro país ocidental a registrar casos da doença torna-se o sexto do mundo a alcançar esta marca. País é o que mais teve mortes no continente nos últimos dias. O governo italiano informou nesta segunda-feira (23) …

Covid-19: EUA pretendem lançar campanha de vacinação em dezembro

O país, o mais atingido pela epidemia no mundo, espera vacinar sua população 24 horas após a concessão da autorização de emergência pelo FDA, a agência americana reguladora de medicamentos. A reunião pública de …