Estados africanos estão “um passo à frente” na questão dos refugiados

Convenção de Genebra sobre o Estatuto dos Refugiados completa 70 anos esta quarta-feira. Analistas consideram que países africanos estariam mais avançados na implementação dos direitos dos refugiados.

Desde que deixou a sua terra natal, o Burnika Faso, o jovem Hamado Dipama, que fugiu da violência, empenha-se na defesa dos direitos humanos. Há vinte anos, o estudante, juntamente com muitos outros, opôs-se à ditadura de Blaise Compaoré, que governou o país com punho de ferro durante 27 anos até ser derrubado durante uma revolta popular em 2014.

Graças à Convenção de Genebra, Dipama encontrou refúgio em Munique, na Alemanha, onde vive até hoje. A Convenção de Genebra é uma base indispensável para a proteção dos refugiados em todo o mundo. Define quem é refugiado e quais são os seus direitos e obrigações.

As pessoas que fugiram dos seus países e podem “justificar o medo de serem perseguidas por razões de raça, religião, nacionalidade, pertença a um determinado grupo social ou opinião política” têm direito a este estatuto.

“Quando estava em fuga, não sabia da Convenção de Genebra sobre os Refugiados. Nos nossos países, as pessoas têm pouca informação sobre o assunto. É uma lacuna. Foi quando vim para a Alemanha que tive de aprender e lidar com isso, pois fui rejeitado no início”, lembra Dipama.

Como surgiu o estatuto

Quando Dipama chegou à Europa, teve de lutar para obter a sua autorização de residência. “Porque é que algumas pessoas estão protegidas e eu não? Embora pudesse explicar tudo sobre a minha situação no Burkina Faso, que fui perseguido como estudante no movimento contra o ditador, isso não ajudou”.

No rescaldo da Segunda Guerra Mundial e face às crescentes tensões políticas entre o Ocidente e Oriente, as Nações Unidas adotaram esta Convenção em Genebra, em 1951, para proteger os refugiados. No entanto, no início limitava-se a proteger principalmente os refugiados europeus após a Segunda Guerra Mundial.

Na medida que a situação no mundo mudava, um novo protocolo alargou o âmbito da Convenção em 1967, e 149 Estados assinaram um ou ambos os documentos.A convenção desempenha ainda hoje um papel importante, uma vez que é o único documento que obriga os Estados a oferecer proteção aos refugiados”, explica Susan Fratzke. A analista do Migration Policy Institute em Bruxelas lembra que se trata da base das leis internacionais sobre refugiados e asilo em todo o mundo.

“Os autores do estatuto tinham em mente que as pessoas tinham sido expulsas das suas casas pela Segunda Guerra Mundial e pelos preparativos para a Guerra Fria. Mas hoje em dia as pessoas estão a fugir por muitas razões diferentes”, lembra.

Africanos avançaram mais

A Convenção de Genebra sobre o Estatuto dos Refugiados não está à altura do seu potencial, dizem alguns analistas que apontam para a falta de cooperação internacional e obrigações vinculativas para os Estados signatários. Atualmente, alguns estados africanos estão entre os maiores países de acolhimento de refugiados do mundo. Quase todos os países do continente assinaram a Convenção de Genebra.

Muitos Estados africanos deram “um passo à frente”, explicou Fratzke, ao adoptar a Convenção sobre Refugiados da Organização da Unidade Africana (OUA) – a organização antecessora da União Africana. Ao fazê-lo, os signatários conferem aos refugiados direitos legais que não estão cobertos pela Convenção de Genebra sobre os Refugiados.

Abiy Ashenafi, que dirige a Unidade de Migração do Centro de Direitos Humanos da Universidade de Pretória, na África do Sul, também pensa que o acordo da OUA abordou algumas das deficiências da definição demasiado restrita de “refugiado” na Convenção de Genebra.

Ambos os peritos, contudo, veem um problema de implementação: muitos dos países africanos que albergam refugiados carecem de recursos e são eles próprios nações frágeis com dificuldades económicas.

// DW

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …